Faça o seu comentário

:

:







Comentários

admiradora em 23 de maio de 2007 às 15:44:41»
Sem comentários..........!
estou fora !
Vitor em 22 de maio de 2007 às 12:23:38»
Amigo Faisca, não sou nenhum velho ranzinza, mais tbém nenhum bobo sem noção, para ser engraçado tbém precisa de inteligência meu caro, falar besteira não é engraçado!!!pense nisso!!!
DEDE em 22 de maio de 2007 às 11:10:22»
Meu carissimo Lampa,observe qual foi a fonte desse comentario.Essa associação composta por empresários,grandes empresários,se beneficiam com esse programa.É logico que um computador poderia sair por um custo baixissimo,se houvesse boa vontade em implantar um sistema de informatização nesse país para todos os brasileiros.(se bem que mesmo que cada brasileiro tivesse um micro,talvez não adiantasse muito,uma vez que o país ainda mantém uma altíssima taxa de analfabetismo).
Um bom começo para acabar com essa estigma de republica de bananas,deveria começar pelos educadores,professores e docentes de todo país,sem esperar que o governo faça alguma coisa.
Pode ser que essa geração esteja perdida,mas se salvarmos a próxima,com certeza a história podera ser diferente.
Abraços Fraternos DEDE

razz razz razz
avatar
Lampa em 22 de maio de 2007 às 09:40:13»
DEDE acho que voce acredita em papai noel, duende, fada madrinha
peter pan, capitão zero , quer dizer capitão gancho, tem pessoas
que não tem dinheiro nem para comprar um leite para o filho, e
vocer me vem com este papo de computador, para de viajar na
maionese, não queira voce pensar que todos podem se dar a isto e
tem mais, muitos que vão comprar sabe se la em quantas prestações
sera, e voce acha que ira sair por este preço. lol lol lol
DEDE em 22 de maio de 2007 às 09:29:31»
Brasília, 18 de maio de 2007.

Governo amplia benefícios para tornar computadores mais baratos
Os computadores no mercado varejista, que já haviam registrado queda nos preços, vão ter seus custos para o consumidor mais uma vez puxados para baixo. Nesta semana, o governo federal, por meio do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), publicou portaria com uma série de alterações na configuração do projeto Computador para Todos.

A intenção é fazer com que a população possa adquirir equipamentos mais atualizados, com preços acessíveis, utilizando os créditos do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal (CEF). O principal destaque é a inclusão dos computadores portáteis na medida.

Para facilitar a compra do produto, o governo vai oferecer crédito para os computadores portáteis, cujo valor chegue até R$ 1,8 mil. O notebook deixou de ser considerado um item de luxo para ser visto como um equipamento que oferece mobilidade para muitos profissionais e estudantes, afirma o secretário de Política de Informática do MCT, Augusto Gadelha.

Além dos portáteis, os consumidores terão as mesmas condições oferecidas para os computadores de mesa (desktops), os quais terão seus preços reduzidos de R$ 1,4 mil para R$ 1,2 mil. Outro benefício do Programa para os desktops é a de oferecer um equipamento padrão com mais capacidade de memória e possibilidades de utilização de dois processadores. É bom para o consumidor saber que ele pode comprar um produto de qualidade, com garantia e nota fiscal, reforçou Gadelha.

Dentro do mercado de computadores pessoais no País, os notebooks deverão evoluir dos 8,2% comercializados em 2006 para 14% em 2007. O mercado estima que o crescimento médio no ano será de, aproximadamente, 10% no volume das vendas.

Cresce o consumo de PCs

Em 2005, os consumidores adquiriram 5.672 milhões de unidades de computadores de mesa. No ano passado, o consumo saltou para 8.225 milhões, um aumento de 46% nas aquisições. Entre 2005 e 2007, o Banco do Brasil e a Caixa financiaram 11.509 equipamentos com recursos do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador). Por sua vez, o BNDES ofereceu, em 2006, às empresas varejistas, crédito para aproximadamente 146 mil unidades.

Duas ações do governo federal garantiram estes números: o Programa Computador para Todos e a Lei 11.196/2005, que isentou de PIS e da Cofins os computadores pessoais com custo de até R$ 4 mil. Outra iniciativa que contribuiu para baixar o preço é a utilização de software livre, em vez de software proprietário, nas configurações dos equipamentos.

As medidas adotadas pelo governo também estão contribuindo para o declínio do mercado cinza, formado basicamente por produtos contrabandeados. No primeiro trimestre de 2006, o mercado cinza detinha 53% de participação ilegal na compra dos desktops. No mesmo período deste ano, a porcentagem caiu para 37,5%. A queda é observada, ainda, em relação aos computadores portáteis, que baixou de uma parcela de 40% do primeiro trimestre de 2006 para 27% no último trimestre do mesmo ano.

Em 2006 foram comercializados 3,5 milhões de computadores para o segmento doméstico, sendo que 63% corresponderam à compra do primeiro computador. Estima-se que no mesmo ano 19% dos domicílios brasileiros possuíam um computador pessoal.

Os dados são da Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica).
Abraços Fraternos DEDE

razz razz razz
Faisca em 22 de maio de 2007 às 08:54:56»
E um dedão bem grande para um tal de Vitor, que ou é um velho ranzinza ou é uma boneca mal comida... twisted
avatar
Lampa em 22 de maio de 2007 às 08:49:37»
corre mascotinho tem dedo para voce, afinal voce ja saiu mostrando
o CU na foto, manda ve. lol lol lol

aproveita tras o DEDE, Mario, o FERA651, Ze betio, Capitão Zero
estão todos loucos por um dedo. lol lol lol
DEDE em 22 de maio de 2007 às 08:17:06»
ui ai ui
DEDE em 22 de maio de 2007 às 08:16:30»
hehehehe