Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Página 1 de 2 (97 comentários)
« Ant. | Primeira | 1 | 2 | | Última | Prox. »

Maria Lucia em 28 de julho de 2012 às 19:03:46»
Bom,sou completamente á favor do aborto de feministas.Teríamos que desenvolver um sistema divinatório para ver,antes de nascer,quem iria se tornar feminazi abortista,assim,as mataríamos logo antes de causar mal á humanidade.Curioso como estas "senhorritas" nunca cogitiam a idéia que as mães delas poderíam tê-las abortado,não é? Mais curioso ainda é elas defenderem "liberdade de expressão e fazer o que quiser com o corpo" mas tacar pedra em quem é contra esta atrocidade e reclamar das consequências de suas prosmicuidades.
Thaisms em 09 de abril de 2012 às 07:46:29»
Sempre fui contra o aborto, por isso, uso camisinha e comecei a tomar anticoncepcional, no entanto hoje é o quinto dia de pausa da primeira cartela e nada da menstruação aparecer! começo a pensar que nem toda mulher engravida por não se prevenir, eu me cuido e agora apesar de as chances serem poucas de engravidar, estou desesperada, quem se cuida corre risco e quem não se cuida corre mais, começo a pensar que nem sempre uma gravidez indesejada é 'falta de vergonha na cara' como eu mesmo dizia, honestamente com isso que estou passando agora, não sei o que pensar!
avatar
Politico Honesto em 03 de janeiro de 2012 às 01:04:34»
Até aqui houve combate.
desconhecia em 22 de dezembro de 2011 às 03:54:14»
alguem sabe me dizer quanto sai um aborto aqi no japao
Jean P. Carvalho em 07 de setembro de 2011 às 18:38:18»
Caro "M.j believer", e se a gravidez da mulher for fruto de um estupro, por exemplo, ela deve ser considerada "culpada" por ter sido estrupada, e não pode de forma alguma recorrer ao aborto?

Ou se for o caso da criança nascer c/ uma deficiência grave, como a acrocefalia, q. inclusive significa q. esta criança não durará muito, sendo q. a mãe também poderá sofrer sequelas - ou mesmo risco de morte - então mesmo assim a mulher não deverá ter direito ao aborto?

Isso sem falar que o aborto, sendo proibido, mesmo assim é praticado, de forma ilegal, em "clínicas" fundo-de-quintal, ou por pessoas totalmente despreparadas, e por métodos inadequados, o q. só faz aumentar o nº de mulheres que têm de ser atendidas c/ urgência nos hospitais, mobilizando toda uma equipe e um leito q. poderia estar atendendo outra pessoa, caso o aborto fosse legalizado, ao menos em certas condições...
M.j believer em 02 de janeiro de 2011 às 16:55:23»
NENHUMA mulher deveria abortar se o fez, e não teve cuidados para se proteger que cuide da criança, porque se abortar essa mulher é a mesma coisa que uma assassina, porque abortar é matar um ser humano, e ainda por cima sem escolha ou defesas!
Tanko em 17 de outubro de 2010 às 01:19:18»
Eu pessoalmente ***jamais*** abortaria ou recomendaria que uma mulher abortasse, a não ser nos casos em que o aborto é garantido por lei. E eu sou agnóstica.

Concordo que as pessoas deveriam ter responsabilidade pelo que fazem, mas a gente SABE que não funciona assim na prática. A grande maioria das pessoas é estúpida, independentemente de escolaridade. Basta olhar para certos políticos eleitos recentemente, com atestado de canalha colado na testa e tudo!

Quem pensa que a criminalização do aborto e o medo de ir para o inferno faz com que as pessoas sejam responsáveis está se iludindo. Se fosse assim tava tudo ótimo por aqui. Ninguém engravidava sem poder criar... ninguém abortava a não ser em casos extremos pois o bebê seria sempre planejado e querido... e o melhor de tudo, não teria criança na rua fazendo curso de bandido.

Se o aborto fosse legalizado, pelo menos haveria um pouco mais de controle. Eu ouvi esta sugestão e acho que faz todo o sentido.

A mulher que procurasse um hospital para fazer aborto, antes deveria passar por um exame psicológico, ter orientação de planejamento familiar e anticoncepcionais, poderia optar por uma ligação de trompas se já tivesse vários filhos e tudo o mais.

Talvez assim outros abortos fossem evitados e também uma nova gravidez sem planejamento. Ou talvez a mulher depois de ser orientada, depois desta chance, repensasse sua posição e resolvesse ter o filho.
Eu do Rj em 02 de outubro de 2010 às 01:20:58»
Hj em dia só engravida a mulher q quer, pq existem bilhões de métodos contraceptivos... Não tem lógica legalizar o aborto, pq todo mundo sabe como acontece uma gravidez,então, é só evitá-la. Por mais q ela seja indesejada, a mulher seja mãe solteira, ou ache q é mt nova para ser mãe entre outros motivos, nada, eu disse NADA tira o direito daquela criança de nascer. E é justamente a mulher q tem q se prevenir mais, afinal tem homens babacas q transam sem camisinha já pensando:"se ela engravidar eu saio fora".No final das contas qm carrega o bebê é a mulher e ela sabe disso. Volto a dizer :Nada tira o direito de uma criança a vida!! Cara, na boa engravidou e não quer o bebê ou não tem condições de criá-lo?? Espera a criança nascer e põe num orfanato q seja. É mil vezes melhor q MATÁ-LA. Mas tenha isso como última das últimas opções. Não sou a favor do aborto nem em casos de estupro afinal, por mais q a criança seja fruto de um crime horrendo, ainda assim, ela não tem culpa e continua sendo um ser humano q tem direito a vida como qualquer outro. A criança não tem culpa de ter um monstro como pai... Porém, continua sendo uma criança!!!
avatar
Knapa em 01 de outubro de 2010 às 22:41:46»
Quem tem responsabilidade para fazer filhos, tem que ter a responsabilidade de criá-los.

Acabar com uma vida por mero capricho ?
Claudio em 30 de setembro de 2010 às 23:25:54»
Como assim, Nelson Costa?!! Então és a favor do aborto no meu caso?! Quanta conveniência... Acorda prá vida, cara ou volta e fica lá no mundo mágico de OZ.
ƒorelly em 30 de setembro de 2010 às 21:38:27»
Pelo visto para essa tal intitulada "Portuguesa" o aborto deve ser um passe livre para a ... heh deixa para lá.
Débora em 30 de setembro de 2010 às 21:09:28»
Realmente, é a felicidade das piranhas esse movimento dar certo... Dia internacional da camisinha não existe, né? Absurdo... Pobres? Pobres podem pegar camisinhas gratuitas no posto, sem contar que previne doenças. Não é falta de tentar educar essas pessoas, viu? É falta de responsabilidade mesmo! Ah, anticoncepcionais também dão. Esse movimento do direito do aborto é movimento de gente que não tem responsabilidade. Simplesmente um ABSURDO.
ƒorelly em 30 de setembro de 2010 às 19:38:38»
Deixa eu ver se eu entendi, uma mulher tem o direito de dar sem usar preservativos, e então ela gera uma vida, mas, seria chato e trabalhoso criar uma criança, logo ela tem todo o direito de interromper? Deve ser a felicidade das piranhas essa ideia huh?

Ah mas espera! Elas eram pobres, tadinhas! Oh! Aposto que precisa ter MUITO dinheiro para saber que sexo engravida!

Eu não me importo com nenhuma vaca feminista, aborto só é justo em caso de estupro ou risco. Se deu assuma! Foi mulher o bastante para abrir as pernas, não foi?

A filha cadela do meu vizinho fez um aborto clandestino, adoro fazer piadas de duplo sentido ou comentarios maldosos no elevador e ver como a meretriz fica incomodada.
pastor em 30 de setembro de 2010 às 19:37:42»
jesus
Bel em 30 de setembro de 2010 às 13:49:43»
Prezada Srta Su, se a mulher não deseja filhos por vários motivos como a renda , a falta de amor entre os parceiros, o fato de não querer ser mãe, previna-se. Há variadas maneiras para não ter uma gravidez indesejada.O fato da irresponsabilidade feminina no que diz respeito a sua sexualidade não lhe dá o direito de se tornar também uma assassina. O aborto não é opção, a não ser de tornar-se criminosa, usar camisinha e outros meios, são sim opção. E quem vela pelo direito das crianças? Outro ser humano não pode pagar por nossos erros. No mais, entendo bem do assunto, tive uma gravidez indesejada, decidi levar adiante, criei sem pai e sou feliz com meu filho.
Srtª Su em 29 de setembro de 2010 às 15:52:19»
Portuguesa, tudo bem vc é contra o aborto. Eu sou a favor!
Os pais ñ são bestas, eles como nós, somos vitimas de um sistema falho, q nos obrigar assumir uma responsabilidade mesmo ñ tendo condições nenhuma. É muito fácil julgar quem faz, mas vc ñ sabe o q se passa na vida delas. No caso do meu namorado e sua ex, eles estavam em dificuldade financeira, briga familiar, ñ se amavam, um filho pra criar, ação de despejo e c um salário mínimo q ñ dava p se sustentar. É fácil falar e julgar, vai viver a situação. É triste saber q ainda tem gente c a mente tão arcaica e acha o aborto uma coisa do outro mundo e faz vista grossa nas situações q a sociedade vive.
É tudo muito lindo o governo ñ legalizar o aborto, por ferir direito moral do ser humano e tal...
Poderia ser legalizado o aborto. E seria quase igual ao sistema do cigarro a pessoa sabe q faz mal, mas fuma.
As pessoas sabem q o aborto ñ é ideal, mas é uma opção. O casal tem o direito de decidir se quer fazê-lo ou ñ.
Ela em 29 de setembro de 2010 às 15:21:00»
Quando que é o "Dia Internacional do uso de camisinha?" ou então o "Dia Internacional da laqueadura de trompas pra mulheres com mais de x filhos?" ou ainda o "Dia Internacional do uso de anticoncepcional" ?? Ha, fala sério, né. Quem não quer, evita. Quem não sabe evitar, aproveite o "Dia Internacional de instrução de métodos contraceptivos". Agora, matar um bebê, é crime. Mesmo que ele seja do tamanho de um caroço de feijão.
Dane em 29 de setembro de 2010 às 13:43:44»
Conheço uma certa pessoa que tirou o seu bebe qdo estava no 6o mes de gestação.. não sei como ela ainda consegue se ver no espelho. e ainda é arrogante pra caramba. Não passa de uma assassina..essa eu falo mesmo.. eu a conheço.. dá pra todo mundo, uma vagaba... e continuou dando depois... hj em dia engravidou de novo.. desta vez o cara quis casar com ela... sou totalmente contra o aborto a não ser em casos de estupro ou se a mãe correr o risco de morrer.
avatar
Marii em 29 de setembro de 2010 às 13:09:13»
Srt Stu... isso é pra mãe e pro pai não esquecerem mais da cagada que fizeram em tentar abortar. Pra ver que uma irresponsabilidade e egoísmo afetaram a saúde de uma pessoa que não tem nada a ver com a imaturidade deles.
Srtª Su em 29 de setembro de 2010 às 12:59:06»
Portuguesa

Ñ distorce, uma coisa é o bebê ser bem vindo e nascer c problemas, outra coisa é vc ñ querer o bebê, fazer um aborto clandestino e por causa desse ato à criança nascer doente. Nasceu p sofre era melhor nem ter nascido. Se ela tivesse feito um aborto bem feito. Ninguém estaria nessa situação.
O motivo de o rapaz estar c problemas nos rins foi por causa do procedimento mau sucedido. A mãe ñ o queria nem o pai, então opinaram pelo chá, mas ñ deu certo. E o rapaz teve sorte q os pais o assumiram, pior acontece quando abandonam dentro de uma caixa ou na lata de lixo. Vc acha isso certo?
Srtª Su em 29 de setembro de 2010 às 12:27:54»
Acredito q todos q postaram a favor do aborto ñ sofreram lavagem da mídia, são pessoas realistas. Sinto me ofendida toda vez que leio: “pessoas a favor do aborto é assassina”.
Eu ñ sou assassina, sou a favor da pessoa poder escolher o que realmente quer, se a mesma quer abortar por varias razões então que o faça c segurança. O meu protesto é que ñ é possível no Brasil fazer isso c segurança. Ñ precisamos ir muito longe p observar algumas trágicas tentativas de aborto. A ex-esposa do meu namorado tentou abortar, mas ñ conseguiu, hj o filho dele tem problemas sérios nuns rins, vive no hospital, o garoto só vive falando em morrer, é muito triste, mas isso poderia ter sido evitado se houvesse uma clinica especializada em aborto. O garoto e os pais ñ estariam sofrendo hj.
avatar
Angelik em 29 de setembro de 2010 às 10:25:54»
Rafayellow , por isso que a pensão é obrigatória, para que o homem também se responsabilize pela gravidez.
Se o pai da criança não puder pagar, os avós são obrigados.

Há maternidades e creches gratuitas, mas as mulheres parem que nem coelhos, assim não há vagas para todos.

Não acho que o governo deve se responsabilizar pela irresponsabilidade das pessoas.
É a mulher que deve se preocupar com sua própria saúde e se proteger não só da gravidez como também de DSTs.

Além disso, o aborto é muito mais prejudicial a saúde da mulher do que você pensa, mesmo que seja feito em clínicas especializadas e caras. Muitas não conseguem engravidar depois.

Proibir o aborto também é uma maneira de cuidar da saúde reprodutiva da mulher.
avatar
AlanFcker em 29 de setembro de 2010 às 10:02:43»
Não Luna, a importancia da vida não é medida pelo grau de inutilidade da minha, seria muita honra, eu apenas respondi brincando a pergunta do "vmourae" no outro comentário.
Agora realmente não posso dialogar com vc quanto ao "direito de um embrião se desenvolver, da criança nascer e seguir seu curso", pq provavelmente não tenho a mesma concepção que vc quanto ao que é a vida humana e quando ela de fato começa. Assunto deveras minucioso para ser tratado em poucas linhas, apenas digo que difere do que a Maria escreveu em seus últimos comentários. Quanto ao aborto em si, minha opinião já foi dada, não tenho oq adicionar.
Sem mais, passar bem

twisted
Rafayellow em 29 de setembro de 2010 às 09:36:57»
É com tristeza que percebo que toda a responsabilidade de uma gravidez indesejada fica para a mulher. Se ela aborta, é a assassina, já um pai que abandona o filho não é tão grave assim. Nenhuma mulher fica feliz em fazer um aborto e essa prática acontece sendo proibida ou não, então o papel do governo é se preocupar com a saúde destas mulheres, que morrem às centenas por ano e as q não morrem ainda ficam sujeitas a prisão se buscarem ajuda num hospital depois de um aborto mal feito.
avatar
Angelik em 29 de setembro de 2010 às 09:21:37»
Bem lembrado Maria e Portuguesa. Há uma distorção de valores no feminismo. Passar uma borracha suja nos erros não é motivo de orgulho para ninguém.

Já que a mulher tem direito a escolha, porque ela não escolhe se prevenir?
Não entendo toda essa discussão por causa do aborto. Com tantos meios contraceptivos o aborto seria totalmente dispensável se as pessoas tivessem consciência.

Foi sem querer? Cometeu um erro? então assuma seus erros.
A melhor maneira de amadurecer é assumindo os próprios erros. Se toda vez que uma mulher engravidar "sem querer" ter um aborto facilitado, ela nunca vai aprender a se prevenir.

Não há desculpa para o aborto, hoje em dia um filho não acaba com a vida da mulher, ela pode pode continuar estudando, trabalhando se divertindo e nem é obrigada a casar com o pai do seu filho. Ser mãe solteira hoje em dia é até sinal de independência.
Salvo raros casos, não há nada que justifique um aborto.

E isso não tem nada a ver com religião. Tem a ver com educação e moral.
avatar
Evandro Eloy em 29 de setembro de 2010 às 06:39:38»
Como eu disse... cada cabeça é um mundo...
avatar
Tyr em 29 de setembro de 2010 às 03:19:24»
Kct! Passei uma hora lendo coment de tudo que é jeito!
avatar
guizul em 29 de setembro de 2010 às 01:48:24»
Nossa, eu estava vendo umas imagens de abortos; que coisa horrorosa. cry

Deem uma olhada - http://www.4shared.com/get/...
Julia jpn em 28 de setembro de 2010 às 23:01:00»
Aqui no Japão o aborto é legalizado. Fazem em qualquer clínica particular ou hospitais públicos, resultando num grande número de adolescentes que optam pelo processo para cobrir a irresponsabilidade. Pior que isso só o fato deles acharem que uma filha adolescente grávida e solteira é uma vergonha na família, uma espécie de insulto à honra. Pra quem vive de aparências isso é um escândalo. Não existe diálogo sobre o assunto. Sou contra o aborto já que um bebezinho não tem culpa das atitudes dos adultos.
alexcesar em 28 de setembro de 2010 às 21:49:35»
o que acho engraçado é que as pessoas falam de aborto como se fosse o unico (ou algum) metodo anticoncepcional, hoje em dia é inadmisivel isso, mais infelizmente é FATO e o FETO, indefeso é quem danca... é triste a corda sempre arrebenta do lado mais fraco mesmo... mais a realidade é que é uma mae (irresponsavel) que esta matando o seu filho...
avatar
Hellen em 28 de setembro de 2010 às 21:42:48»
Sou totalmente contra o aborto!!!
avatar
Lucy em 28 de setembro de 2010 às 21:41:05»
Que cada pessoa tem direito sobre seu corpo não ha duvida , mas estamos falando do direito de matar um ser humano, "o filho é meu eu deixo ele viver se eu kiser" , então porque fazer o filho? isso deveria ser considerado crime, ja que o aborto é um assassinato, mas o egoismo das pessoas é tão grande que elas só pessam em fazer o que é melhor pra si, dane-se a criança indefesa, tenho nojo de kem apoia esse tipo de legalizaçao
avatar
wires75 em 28 de setembro de 2010 às 21:37:28»
A vida em primeiro lugar!!!
avatar
Marii em 28 de setembro de 2010 às 21:10:51»
Eu não to aqui pra mudar a opinião de ninguém a respeito de nada, cada um tem a sua e pronto. Mas posso comentar a respeito e devo dizer que algumas pessoas envergonham com um pensamento tao primitivo.
Imagina quantas vidas já não foram tiradas? Quantas pessoas poderiam estar ao nosso redor e não estão porque alguem simplesmente tirou isso delas? Imagine se fosse com a gente?
Com vida não se brinca, nem com a nossa e principalmente com a dos outros.
Ben em 28 de setembro de 2010 às 20:48:39»
Vou ser simples e direto:

- Nasci de uma gravidez não planejada, acidente de carnaval. Pais solteiros, sem trabalho, sem recursos. Ambos queriam abortar-me.

- Minha avó foi contra. Disse que me criaria, e criou! Nasci, cresci, e estou vivo hoje, forte, sadio, com uma ótima cabeça.
Hoje faço faculdade, tenho um bom emprego, e ajudo minha mãe, pai e avós financeiramente.

- Mas eu poderia ter sido assassinado antes de nascer!

Aborto Nunca!!!!!!
avatar
Guiddo em 28 de setembro de 2010 às 20:18:03»
Eu concordo que a mulher pode fazer o que quiser com o seu corpo. Porém, ela não pode ter direito de fazer o que quiser com um outro corpo, pois o ser que está dentro dela é independente e não um prolongamento do seu corpo. O aborto seria até aceitável em casos de estupro ou má formação do feto. Mas apenas para interromper uma gravidez indesejada é uma anomalia.
E concordo em gênero, número e grau com o Nelson: esse Cláudio é um aborto ambulante. O embrião não vai tornar-se uma vida, ele já é.
avatar
Luna em 28 de setembro de 2010 às 19:39:21»
As bactérias são fundamentais na manutenção da vida, Alan. Sabendo disso, vc pode dizer agora que um embrião é inferior até mesmo a uma bactéria, já que antes vc os tinha comparado, e agora não possuem valor algum.
Agora a importância da vida humana vai ser medida pela inutilidade da vida do AlanFcker. E o direito do embrião de se desenvolver, da criança nascer e seguir seu curso, vai se baseado na vida, nas frustrações, nas premonições e nas falhas dos outros.
Tô impressionada.
avatar
Marya em 28 de setembro de 2010 às 19:13:19»
Uma das mais belas conquistas de nossos dias é a emergência do feminismo que reivindica os direitos da mulher sistematicamente violados em todo o mundo.

Mas ao lado dessa magnífica revolução cultural, surgiu um arremedo degenerado de feminismo, verdadeira excrescência teratológica no organismo social, fruto de lavagem cerebral operada pela televisão. Essa “feminismomania” apesar de ser um quisto microscópico, tem uma virulência arrasadora, procurando suplantar, pelo grito, a voz da razão e do bom senso. Todos os meios de pressão são usados para impor a legalização do aborto. Apelando para o pluralismo da sociedade moderna e para a democracia, se reivindica para cada pessoa a total autonomia para dispor da própria vida e da vida de quem ainda não nasceu. Segundo essas “feministas”, feto é mera matéria biológica e só é vida após sua “libertação” do útero. Desprezando a convicção e a consciência da quase totalidade das mulheres do mundo, essas feministas desvairadas, autocredenciando-se como profetas da democracia, gritam que a lei deve ser expressão da vontade da maioria que é favorável ao aborto. Estamos perante o relativismo ético que faz da maioria parlamentar o árbitro supremo do direito, numa tirania contra o ser humano mais débil e indefeso, quando pretende coagir a maioria parlamentar a decretar a legitimação do aborto. Essa é a fraqueza da democracia na qual a regulação dos interesses é feita a favor de parcelas mais fortes e mais industriadas para manobrar não apenas o poder, mas também a formação dos consensos. A democracia se torna então uma palavra vazia.
avatar
Marya em 28 de setembro de 2010 às 19:12:51»
A ciência genética moderna demonstrou que, a partir do momento em que o óvulo é fecundado, inaugura-se uma nova vida, que não é a do pai nem a da mãe, mas sim a de um novo ser humano que se desenvolve por conta própria. Nunca poderia tornar-se humana, se não o fosse já desde então. Não há mais dúvida possível sobre o surgimento da vida humana na concepção. Todo o patrimônio genético do novo ser já se encontra determinado no óvulo fecundado. Após a concepção nada ocorre de novo que possa alterar a natureza do novo ser surgido com a união das duas células. A partir daí, só há desenvolvimento do feto humano. Desde o primeiro instante já está programado aquilo que será o novo ser vivo, uma pessoa individual, com características já bem determinadas. Todos os aspectos biológicos, psicossomáticos e até o temperamento do novo ser humano já estão definidos, inclusive a cor dos cabelos. Desde a fecundação, tem início a aventura de uma vida humana com as imensas potencialidades que caracterizam a pessoa humana. O ser humano deve ser respeitado e tratado como uma pessoa desde a sua concepção e, por isso, desde esse mesmo momento, devem-lhe ser reconhecidos os direitos da pessoa, entre os quais o primeiro de todos, o direito inviolável de cada ser humano inocente à vida.

O direito à vida é inviolável. Ora, o que é inviolável não pode estar sujeito à ameaça de violação. Se há a menor possibilidade de vida humana no embrião, então uma lei permitindo interromper seu desenvolvimento é uma violação evidente do direito à vida. Diante do direito à vida, não existem privilégios nem exceções para ninguém. Perante as exigências morais, todos somos absolutamente iguais. Não há vida mais importante ou menos importante. Dentro da ordem natural, é a mãe que renuncia à vida em favor do filho. O filho no seio da mãe não é um injusto agressor. Ele está no seu devido lugar, mesmo se a vida da mãe corre perigo. O feto, além de inocente, é indefeso e não deve responder sequer pelo risco de vida da mãe.

Se a vida é um direito inviolável, eliminar a vida pelo aborto é sempre um crime de violação do fundamento dos direitos humanos, que é a vida. Esse direito não permite qualquer exceção. Nem o estupro, nem o risco de vida podem violar um direito inviolável. Nem mesmo o Código Penal pode prever qualquer exceção. O Código pode despenalizar, mas não pode descriminalizar o aborto. Eliminar a vida é sempre crime.

A pior crise do mundo moderno é a “cultura da morte” que, usando todos os meios de comunicação, está apostada na difusão do permissivismo sexual, do menosprezo pela maternidade e na fundação de instituições internacionais que se batem sistematicamente pela legalização e difusão do aborto no mundo.
avatar
NelsonCosta em 28 de setembro de 2010 às 18:43:20»
Claudio, quem deveria ter abortado pelos vistos era a tua mãe..

isto realmente há pessoas que parece que tem o intestino grosso ligado ao cérebro. só tem ideias de merd@
Claudio em 28 de setembro de 2010 às 18:26:39»
Nessa discussão um ponto deve ser fundamental: Religião e política deveriam ser como óleo e água: JAMAIS DEVERIAM SE MISTURAR!! Esse tema deve ser debatido politicamente, pois o estado é laico.
Deixar a igreja interferir em assuntos como esse é perigoso para o exercício da democracia. Porque se depender da igreja, até os 10 mandamentos se tornariam lei. E, convenhamos, como diz o ditado: "Eles nunca impediram nada, mas deram cada idéia...".

E se os Testemunhas de Jeová tivessem força e pedissem a proibição de transplantes e transfusão de sangue, atos não permitidos pelo seu código de saúde?!
Quem realmente chora pela centenas das supostas vidas dos embriões retirados diariamente em clínicas clandestinas, sem nenhuma assepsia e com risco para as mães?
Lutar por essas "vidas" é esquecer das verdadeiras vidas, dos que pedem nos sinais de trânsito, dos sem tetos, dos que morrem diariamente nos hospitais por falta de atendimento.
Vamos deixar de hipocrisia e lutar pela VIDA DOS VIVOS, antes que eles morram de fome.

E tem mais, quem realmente consegue derramar uma lágrima que seja por causa de um embrião, cuja evolução foi interrompida por um aborto?! A gente não se comove nem mesmo com os natimortos, que já são fetos. Vou até mais longe: A gente mal consegue sentir algo quando a mãe não sobrevive (exceto se for da nossa família, claro). Mas aposto que todo mundo se emocionou com o triste fim da menina Isabela Nardoni... ou com o garotinho que foi arrastado preso ao veículo roubado por 5 kilômetros até a morte. Então o critério é simples: Não é vida se não há compaixão. Deixemos desse nosso complexo hipócrita de Madre Tereza porque, no fundo (e nem é tão fundo assim), nós não estamos nem aí com um espirro de semen depositado na barriga de uma desconhecida há um mês atrás.
avatar
AlanFcker em 28 de setembro de 2010 às 18:16:59»
Se minha mãe tivesse abortado eu simplesmente não estaria aqui, facil responder não? Nada fiz de notavel para o mundo então ele continuaria como está.
O que torna o ser humano tão especial? pq um feto recem formado pode ser considerado como um ser humano, se nessa fase seu desenvolvimento se assemelha ao de bactérias? Pq a vida de um ser humano que ainda não tem nem noção de existência própria é mais importante do que a vida do ser vivo que a maioria dos que aqui comentam, comeram hoje no almoço?
Eu sou contra transformar o aborto em uma método contraceptivo como a pílula do dia seguinte por ex. da mulher simplesmente ir lá e abortar 1, 2, 3 vezes como se estivesse fazendo as unhas. Mas casos em que a camisinha estourou ou um vacilo dos dois, sei lá, acho que a pessoa pode optar por fzr um aborto sem ser chamada de assassina.
Ps, não no Brasil de hoje.
Srtª Su em 28 de setembro de 2010 às 18:02:33»
Maria e Portuguesa

Educação sexual, pílula do dia seguinte, camisinha são uns dos métodos de se evitar, o aborto só seria mais um destes q só vai ajudar.
O que tem de aborto clandestino espalhado aqui no Brasil, vc passa por uma clinica ginecológica e nem desconfia q lá acontece aborto, mas só para quem pode, p aqueles q ñ podem, restam abortos caseiros q quase sempre é mal sucedido e causa até a morte.

Pensa, a mulher ou o casal ñ tem direito nem de decidir se quer ou ñ ter o filho. Isso é cruel! Se for um casal pobre, adolescente ou quem for. A gente ñ sabe o q se passa na vida de alguém p ficar julgando. A decisão de ter ou ñ a criança é exclusivamente do casal, ñ pode ficar ditando regras, é arcaico essa atitude.

É quase igual o pensamento do Bispo que excomungou a mãe a filha, elas podem pq foi estupro. E se ñ fosse estupro. Se a menina tive tido relações sexuais, por livre espontânea vontade, com um colega de 12 anos e engravidasse. Eles ñ teriam o direito do aborto pq estes quiserem manter a relação e terão de a sumir tão jovens a responsabilidade? Ñ sei ñ, pra mim isso ñ é justo.
Acho se as pessoas são capazes de perceber o que é certo ou errado tenho certeza q serão capazes de decidir se vão querer um filho ou ñ, o aborto ira ajudar muito nessas situações.

Outro exemplo. Uma mulher casa e descobre q o marido ñ vale R$ 1,00. A pobre engravida, mas ela ñ quer filho dele, ela ñ quer mais olhar p cara do cachaceiro. Vocês acham justo ela levar uma gestão adiante, mesmo ñ querendo? Sabe o vai acontecer com essa mulher. 1- Vai tentar uma aborto com um chá misturado c coca-cola mais uma veneno, q quase sempre ñ dá certo. 2- Criança nasce c deficiência pq o aborto ñ deu certo, 3- o marido abandona-a e dá mesada muchuruca q mal da pra compra o rancho imagina os remédios. 4- Vai p o hospital publico, pq ñ dinheiro p pagar particular e o filho consome todo o seu tempo ñ da p se especializa p progredir. Será q esse sofrimento todo vale a pena? Ñ é mais fácil abortar.
vmourae em 28 de setembro de 2010 às 18:02:22»
Legalizar o aborto não dá liberdade para a mulher, mas torna uma assassina quem o pratica.
Argumenta-se que a mulher tem direito sobre seu corpo, e eu concordo, mas o fato é que o feto formado com a participação de um gameta feminino e outro masculino, já não é mais o corpo da mulher, e sim o de um outro ser vivo, indefeso e que, supostamente, é fruto do amor dessa mulher. Mas se a mulher só faz sexo por prazer, não há amor, mas uma imensa irresponsabilidade.
Agora eu fico imaginando se as maes dos defensores do aborto tivessem abortado...
avatar
ICTUS em 28 de setembro de 2010 às 17:35:21»
http://www.zenit.org/articl...
Eduardo R Jr em 28 de setembro de 2010 às 17:28:31»
"Desde quando assassinar inocentes é ajuda?...
E por que tem gente que se preocupa tanto com a saúde das gestantes e na vida das gestantes, mas por outro lado não se preocupa com a saúde e a vida daquele inocente que está no ventre da mãe?..."

Uma semente é uma arvore?
Um ovo é uma galinha?
Um feto é uma criança?
Eduardo R Jr em 28 de setembro de 2010 às 17:26:04»
Prefiro despenalizar e fazer um preço bem alto para poder abortar o filho doque continuar deixando fazerem clandestinamente..
é assim que o brasil funciona, só aprende se pesa no bolso.
avatar
Angelik em 28 de setembro de 2010 às 17:17:02»
O governo já distribui gratuitamente pilulas e preservativos e já faz palestras sobre planejamento familiar na maioria dos postos de saúde.

Também sou a favor da liberdade de escolha, mas é muito mais fácil escolher prevenir do que provocar um aborto.

Sim, a mulher tem o direito de escolher. O problema é que elas não param em um aborto, fazem dois, três, quatro e por ai vai. Se for fácil abortar, não vão se conscientizar nunca.

Sou contra o aborto.
O Brasil definitivamente não está preparado para legalizar nem aborto nem drogas.
avatar
ICTUS em 28 de setembro de 2010 às 17:06:50»
Kiko
só conheço um papa, morreu quando eu tinha 9 anos (meu pai)

"o feto que ela traz dentro de si ainda não tem a mente desenvolvida"

Mas na prática a realidade é outra, pois os abortos não acontecem apenas no início da gestação, e alguns casos o aborto é praticado na faze de desenvolvimento do bebê.
avatar
Marya em 28 de setembro de 2010 às 16:45:55»
A srtª Su diz:

"a legalização do aborto é uma ajuda enorme p essa gente. Vai evita complicações e até morte das gestantes será menos transtorno para todos"...

Desde quando assassinar inocentes é ajuda?...
E por que tem gente que se preocupa tanto com a saúde das gestantes e na vida das gestantes, mas por outro lado não se preocupa com a saúde e a vida daquele inocente que está no ventre da mãe?...
Por que a vida de uma gestante é importante e a vida de um ser no ventre da mãe não é igualmente importante?...

A Constituição Brasileira diz: - Toda pessoa tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal. Veja o Artigo 5º da Constituição da República Federativa do Brasil. ....
A vida, como bem mais precioso à pessoa humana, merece lugar de destaque entre os direitos a serem protegidos, tanto pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, como por todas as leis em qualquer parte do mundo.

“O direito à existência consiste no direito de estar vivo, de lutar peio viver, de defender a própria vida, de permanecer vivo. É o direito de não ter interrompido o processo vital senão pela morte espontânea e inevitável. Existir é o movimento espontâneo contrário ao estado morte.”

“A vida humana não é apenas um conjunto de elementos materiais. Integram-na. outrossim, valores imateriais, como os morais. A Constituição, mais que as outras, realçou o valor da moral individual, tornando-a mesmo um bem indenizável (art. 5º - V e X). A moral individual sintetiza a honra da pessoa. o bom nome, a boa fama, a reputação que integram a vida humana como dimensão imaterial.”
Página 1 de 2 (97 comentários)
« Ant. | Primeira | 1 | 2 | | Última | Prox. »