Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Robinho em 11 de novembro de 2016 às 00:07:45»
To simplismente fudido
Viciado
Sem sentido
Meu cerebro está amassado
Por causa de vicios
Viver é dificil depois que voce amassa o cerebro
Voce quer viver facil
Pra isso tem que viver dificil
Largar vicio é a coisa mais dificil de se fazer
Tem que ter dedicação
Pra largar a escravidao do vicio
Tem que ser escravo da dedicação
Mas ser escravo da dedicação é dificil
Muito dificil
E doloroso
Sera que vale a pena?
Vou me viciar em poesia
Nao tem mais volta
To fudido...
marta em 28 de maio de 2015 às 17:04:31»
é bom desabafar acreditem em mim eu já o fiz.
tania cristina em 29 de julho de 2014 às 17:42:42»
senhor eu sei que meu esposo me engana ele não se importa comigo não me procura somos como dois colegas dentro de casa se estou no quarto ele esta na sala quase não conversa. eu sinto falta de uma pessoa para conversar nossas conversa é muito pouco. eu não sei o que fazer estou frequentando a igreja e pedindo a DEUS não sei pois a um ano perdi meu pai com 17 dias perdi meu irmão e agora tem 4 meses perdi outro irmão eu estou muito carente e meu esposo em casa é mesmo que não existe ninguém em casa meu choro e minhas angustia é na igreja que eu me desabafo mas é muito difícil ele é uma pessoa fria parece que não tem sentimentos eu vivo fingindo que esta tudo bem que não desconfio de nada ele paquera até as minhas amigas ele acha que eu não percebo as vezes tenho vontade de me separar mas o que me impede é meu filho eu me sinto uma pessoa muito infeliz vivo de faz de conta!
ELIENAR ALVES DOS SANTOS em 21 de janeiro de 2014 às 15:35:25»
hoje estou me sentindo a pior das pessoas,porque magoei uma pessoa que nunca merecia ser magoada,mais o que posso fazer já ta feito e eu estou muito triste com a minha capacidade de fazer besteira ajudem-mi pra que eu possa pensar antes de ferir a pessoa que amo,por favor qual a melhor palavra nesse momento? ou o que posso fazer.
avatar
151098 em 11 de setembro de 2013 às 02:02:53»
Oi! procurei saber sobre a importância da escrita, mas para ter algo para ler, pois já venho escrevendo há muito tempo, sobre minha vida e minha angustias e tristezas, pois cheguei num momento que não adianta falar mais dos meus problemas para ninguém, e principalmente para psicólogos, parentes e etc. Parente então dependendo do que vc conte, no futuro serve como uma arma contra vc, então tô fora, só me resta meu caderno mesmo. Nele rabisco, grito, expresso meus sentimentos mais dolorosos e muitas da vezes me ajudou bastante, aliviando minhas tensões. Tenho 38 anos, sou casada, tenho dois filhos. Quanto a essa estrutura familiar eu tenho orgulho, mas o grande mal são minhas insatisfações : com a vida que levo, como sou, como estou fisicamente, com vontade de trabalhar e não poder, etc. Deixei de ser vaidosa, sinto-me feia, gorda, mal arrumada, largada, enfim neste momento me sinto um lixo, e sem vontade de lutar contra isso. Não sei porque, mas minha vontade de ir embora, para um lugar em uma praia linda, serena é gigantesca. Amo ir a praia, então acho que seria um refúgio para eu renovar minha alma e energia. Mas o que fazer com a consciência? Ela me perseguiria, enchendo-me de culpas por ter abandonado minha casa, meus filho que ainda precisam de mim, e etc... Então chego a conclusão que não adiantaria, de repente voltaria pior, com mais ráiva de tudo e de todos.
Hoje vivo mais um momento de tristeza, estava com um bolo enorme na minha garganta o dia inteiro, precisava desabar, sabia que meu choro viria de uma forma violenta e não deu outra, chorei, chorei, chorei muito, perdi o sono então resolvi procurar algo que falasse sobre os benefícios de escrever. Que bom e obrigada por abrirem este espaço, para pessoas como eu que precisam fazer isso. Estou mais aliviada. Obrigada
confused
avatar
msp1500 em 31 de março de 2013 às 21:09:27»
Eu costumo escrever de vez em quando pra passar o tempo. É muito bom.
jmoura em 09 de março de 2013 às 19:01:00»
meu amor as vezes sinto q ele e nao correspondido,amo muito ele nome e com a letra c ele e homen so pra deixar claro,peço q quem puder comente me ajudem prefiro nao falar tudo a minhas amigas,ñ e q eu ñ confio nela,+ quero PAZ e isso encontro quando escrevo +,nao consigo escrever um diario tenho medo d q leiam,preciso d amigos novos,meninas e meninos sem ma intençao me procurem no face mary joalla,d vestido lilas e com a mao no rosto,espero q vcs possa me ajudar.....bjs e preceso conhecer alguem novo.
Maria em 05 de março de 2013 às 17:59:51»
ola eu sou a M e tenho 11 anos, a minha vida e uma porcaria, sinto-me sozinha e sem amigos, eu decidi escrever neste site para me sentir melhor, como nao tenho ninguem para falar e para aqui que venho, e como se o meu computador fosse um diario. nunca tive namorado, mas acho que gosto de dois rapazes o G e o N.
eu nunca tinha escrito os meus sentimentos, mas acho que resulta mesmo, as minhas notas nao sao o que eu esperava, a minha mae nao fica contente com nada, tenho medo de nao passar de anos, pois estou no 6ºano e tenho exames finais estou com muito medo.
vou tetar vir ca mais vezes escrever.
ketellen em 08 de junho de 2012 às 15:55:59»
fé em deus
Andreia Ferreira em 23 de março de 2012 às 17:35:46»
Acho que escrever é bem melhor do que falar nossos problemas para os outros...Ninguém é capaz de nos compreender, ninguem nos entende, só DEUS.As pessoas julgam nossas vidas, mas ninguem nunca sabe o que se passa nela.
Ana Vitoria em 18 de março de 2012 às 13:06:26»
Nossa vc e muiito booom gostei muiito'''!=)
luciene em 15 de fevereiro de 2012 às 19:20:47»
Vou começar esta experiência hoje, pois faço, psicoterapia e as vezes realmente não encontro respostas para as minhas dúvidas
avatar
Dominique em 17 de maio de 2011 às 17:35:45»
Eu, qdo estou angustiada ou coisa parecida, escrevo alguns poemas. É ótimo!
Flor de Lótus em 17 de maio de 2011 às 13:57:02»
Na infância e adolescência os diários eram amigos inseparáveis e extremamente fiéis... nunca tive medo de alguém ler... sempre tive liberdade, privacidade e respeito em minha casa, o q me permitia sonhar em meus diários e ser menina... tbm pensava que se um dia , quando eu fosse muito famosa e minha vida tivesse acabado, poderia ser imortalizada pelos meus pensamentos simples de menina e até pecaminosos que escrevi em meus "Queridos Diários" (era assim que começava na maioria das vezes)! Seriam tantas descobertas! kkk Hoje, escrevo muito pouco, nem tenho lugar póprio para isso... na dor, ou na vontade de registrar... qualquer papel e caneta serve (isso é um pouco mais perigoso!).
Me divirto horrores ao reler meus erros de português, minhas paixões platônicas e infantis, meus recortes... acho q escrever liberta e aprimora!
Bem... é isso! Ah... excelente texto Ricardo Porto, parabéns!!!
avatar
FoxRaider em 16 de maio de 2011 às 23:50:19»
Eu não gosto de desabafar com pessoas, a última vez que o fiz, tudo o que o meu ouvinte sabia sobre mim caiu por terra. neutral
avatar
revolt4d4 em 16 de maio de 2011 às 23:44:48»
Nunca preenchi um diário e quando não usava mais rasgava as páginas ou queimava.
Segredos são segredos ora essa. lol
Leilah em 16 de maio de 2011 às 18:57:54»
Eu nao confio em nada pra falar as minhas angustias e segredos...nem um pedaço de papel, sempre acho q alguem vai pegar e ler. por isso nunca consegui escrever um diario...:/
avatar
Deeh em 16 de maio de 2011 às 18:43:40»
Ricardo Porto, seu texto é excelente.
Parabéns
Ricardo Porto em 16 de maio de 2011 às 18:32:30»
Tive que fazer uma redação numa entrevista para emprego.
Meio que contei minha vida.
Dei até um título.
O TAL DE CURRICULUM VITAE

Já chorei até cair no sono e acordei sem lembrar de nada. Já peguei ônibus errado, pedi desculpas ao cobrador e continuei andando por caminhos desconhecidos. Confundi sentimentos e magoei a mim mesmo. Já despejei caldo de feijão na rapa do arroz e fiquei viciado em comer na panela.
Eu já dei risadas até ficar com cãibras na barriga, já mergulhei até o pulmão quase fugir pela boca. Hoje, aproveito ao máximo o oxigênio que penso ter direito.
Já fiquei eternamente apaixonado várias vezes. Já me senti sozinho no meio da multidão, com saudades daquele nome que escrevi com xixi no muro da escola.
Já fugi de casa quando morava sozinho e voltei para chorar no banheiro. Eu já voei com asas de aço e vi minha cidade lá de cima, mas não consegui encontrar meu lugar. Corri descalço na chuva, roubei uma flor no jardim de uma inimiga e fiz as pazes deitado na grama molhada.
Já apostei que amigos não partiriam e perdi várias lágrimas. Fiz cócegas no meu filho só para ele parar de chorar e discuti com o espelho que teimou que eu estava envelhecendo. Já fiz promessas impagáveis e me queimei com a vela. Durante um banho de chuva sonhei um amor de verão que talvez dure para sempre. Já escrevi poesias sobre solidão numa festa de fim-de-ano.
Já estourei bola de chiclete no cabelo da amada e brinquei de mocinho, astronauta e aprendiz de feiticeiro. Passei trote por telefone e me escondi atrás da cortina esquecendo os pés para fora. Já levei choque elétrico e caí da escada com a bunda no chão. Sai caminhando sem rumo e fiquei sem nada na cabeça pensando naquele amor vazio.
Fiquei ouvindo estrelas no telhado da casa da vó e roubei frutas de uma árvore do tamanho dos meus sonhos. Fiquei tentando esquecer algumas pessoas que descobri serem as mais difíceis de esquecer.
Já chorei ouvindo música no elevador lotado e me cortei fazendo a barba, em uma madrugada chuvosa. Já vi o pôr-do-sol alaranjado, cinza e violeta e bebi cachaça no bico do copo de plástico até ficar com a boca falando das histórias que nunca vivi. Já vi a cara da morte meio de perto e agora vivo cada dia como se fosse o melhor.
Quase morri de amor muitas vezes e quase revivi outras para agradecer o sorriso de alguém especial. Vi amigos partindo e encontrei mais alguns novos e agradeci o ir e vir sem razão da vida.
Foram tantas coisas que fiz e fotografei num cantinho da mente reservado para ao dias da minha vida, tantas emoções encostadas na parede do coração, que até faz parecer que a vida vale a pena.
E agora, um formulário quer ditar o meu futuro, me encostando na parede e interrogando em letras garrafais que gritam: — Qual a sua experiência?
Experiência? Será que “plantador de sonhos” é uma boa experiência?
Não, claro que não.
Os questionadores ainda não sabem colher sonhos.

#*#*#*#*#*#*#*#*#
avatar
Deeh em 16 de maio de 2011 às 18:31:39»
Se a moda pega, ficarei desempregada antes mesmo de me formar... rolleyes biggrin

Falando sério, acho também que me expresso com mais clareza quando escrevo, mas quando desabafamos com terceiros deixamos escapar alguns detalhes que não são tão perceptíveis para nós, mas o outro pode ajudar a esclarecê-los.

E a fala, por ser tão desordenada, termina expondo mais os nossos reais pensamentos, nossas ansiedades e angustias. A escrita é mais elaborada, a gente pensa bem e acaba omitindo algumas idéias que julgamos inapropriadas, por medo de julgamentos - Dos outros e de nós mesmo.
avatar
revolt4d4 em 16 de maio de 2011 às 17:25:26»
Eu sempre desabafei num pedaço de papel, é como se eu falasse comigo mesma.
Nunca confiei em outra pessoa pra contar o que sinto, mas hoje compartilho meus traumas com meu namorado e ele me ajuda muito, Como a gente mora longe eu continuo escrevendo e não falando, pra mim, isso ainda é difícil.
neutral
avatar
xandy46 em 16 de maio de 2011 às 16:39:00»
Escrever sobre os problemas é muito bom mas ultimamente de forma infeliz o MDIG está cheio de policiamento correto pronto para criticar e com pouco para cooperar. ma
avatar
Lucy em 16 de maio de 2011 às 15:45:40»
Sei não publicar no mdig; só se fosse anônimo serve?
avatar
Raxyz em 16 de maio de 2011 às 14:53:08»
O cara não corta a unha não hem?
avatar
LukeSchimmel em 16 de maio de 2011 às 14:18:40»
Desabafo: Ahn?
avatar
Fanhoso em 16 de maio de 2011 às 13:45:03»
Eu tenho uma coisa pra desabafar:
Ontem à noite eu comi dois frangos assados, uma travessa de farofa, três pedaços de lasanha, salada de maionese - meia travessa, dois pedaços de torta de frango, metade da assadeira de batata assada, dois copos de coca-cola e meio pote de sorvete.

Mas depois de tudo isso ainda sentia fome então comi uma pizza que estava na geladeira com um canecão de café com leite.

E hoje estou me sentindo ótimo, só que estou com fome e não vejo a hora de almoçar.

Era isso.
avatar
Marya em 16 de maio de 2011 às 13:32:46»
Eu concordo com esse estudo, quando eu escrevo me sinto melhor, me sinto desabafar realmente.
Ah, é sério essa história de mandar nossos desabafos para o Mdig?
Ok, quando eu tiver uma história legal para contar vou mandar para o Mdig então.
avatar
Tyr em 16 de maio de 2011 às 13:04:53»
Acho que vai dar certo sim!
avatar
Luna em 16 de maio de 2011 às 12:13:22»
Desabafar é uma necessidade. Trocar idéias com outras pessoas sobre algo que incomoda e faz mal, pode fazer a gente perceber que, há sempre situações piores que as nossas. Que um-hum, sei!. Que vai dar tudo certo, se a gente colocar a nossa fé em ação... Que é normal. Que isso acontece nas piores familias. Que minha, nossa! Que é preciso saber viver. Que vc reclama de barriga cheia. Que é claro que o sol vai voltar amanhã... Vc pode até descobrir que deu muita atenção, perdeu muito tempo com que não devia. O sentimento ruim tende a diminuir.

Mas, eu não gosto de desabafar, embora faça vez ou outra. Já fiz aqui no MDig. Na maioria das vezes me arrependo, é como se eu estivesse dando importância demais a coisas que já passaram e deviam estar trancadas pra sempre em fundo de um baú.

Quando eu começo a lembrar, por ex. de algo não bom que ocorreu na infância, e me indigno ou me entristeço ou caço culpados... me sinto mediana.

No fundo, detesto choramingar e remoer... É chato alugar as pessoas, até porque todos têm seus problemas, e nem todos estão se importando com os nossos, mesmo que sejam bons ouvintes.

Aquele cara que tbm não se importa, mas que é pago pra ouvir suas lamúrias, acho que é o tal psicanalista, não daria certo pra mim, terminaria a sessão com ele deitado no divã e eu fumando seu cigarrinho do capeta.

Ah, eu me rearranjo sozinha. Convivo com uns fantasmas, exorcizo outros. É, eu gosto das minhas birutices.
Puxa, me deu vontade de cantar rodopiando nos campos de margarida, uma coisa tipo Mary Poppins...

Eu vivo a vida cantando
Hi, Lili, hi, Lili, hi lo
Por isso sempre contente estou
O que passou, passou
O mundo gira depreeeeeeessa..
avatar
Mih em 16 de maio de 2011 às 11:54:00»
Tenho preguiça de escrever,pq se eu for escrever o tanto que falo,meus dedos calejariam! mrgreen
Então,prefiro falar!!
avatar
Adao Bandeira em 16 de maio de 2011 às 11:48:43»
Eu posso dizer: que essa é a melhor forma de desabafa e a maneira mais fácil é escrevendo...Aqui no mdig eu encontrei uma forma de desabafa meus pensamentos e aliviar os pensamentos ruins que passam em minha mente,com a ajuda de alguns amigos do mdig eu aprendi muito e hoje estou feliz de participar desse site...
avatar
Brazuka em 16 de maio de 2011 às 11:44:38»
O post tem tudo a vê pois no meu caso, sou super preguiçoso do caramba com tudo na vida e até de falar por isto, não sou e nem nunca fui muito de papo com ninguém mas se falasse como escrevo, falaria até pelos cotovelos como podem ver.
Claro que não sou um cara anti social pois adoro gente e sempre 'tou com um caso novo com uma gata diferente a cada semana se possível de modo que, por ser assim sempre tão cansado, além de só namorar deitado, acho bom o namoro de hoje pois a gente não precisa falar nada, pois a primeira coisa que perde é a língua.
O mais legal também é que sou mais analítico nas mensagens das coisas que quero dizer escrevendo e 'tá mais que legal assim pois, além de boca fechada não entrar mosquito, um segredo muito íntimo que é para ser só nosso, deixa de ser segredo, a partir do momento em que o dividimos por dois. sha lol lol lol lol
avatar
Evandro Eloy em 16 de maio de 2011 às 11:19:01»
Sei que o Mdig me ajudou muito, e embora junto a desabafos eu tenha despejado muita M. sei que aqui tenho amigos que souberam aproveitar o bom...
outros... ainda estão a apenas pisar no que joguei fora...
avatar
Politico Honesto em 16 de maio de 2011 às 11:12:50»
Pensei que fosse a bebida. Pelo menos é o que diziam meus amigos bebuns.

A propósito... First! sha