Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
Tyr em 29 de agosto de 2011 às 13:11:22»
Proc! Ainda bem que tu tá longe! lol
Não disse que essa tabela tinha serventia?! mrgreen
Proctologista em 29 de agosto de 2011 às 11:40:28»
Mas isso é importante para avaliação do funcionamento intestinal.
Sou proctologista e isso é importante, sim. Pasmem!
avatar
Tyr em 28 de agosto de 2011 às 19:41:54»
Olhando mais friamente, dá pra dizer que a ultima pesquisa serve como tabela de classificação para a ... para a ...
Como a coisa 'sai'... lol
Não é uma cagada completa.
avatar
Nato em 28 de agosto de 2011 às 15:40:36»
Este post é uma "merda"! XD
avatar
Firelow em 28 de agosto de 2011 às 14:15:37»
3-4-6-7 - só faço esses lol
avatar
Luiz Felipe em 27 de agosto de 2011 às 22:55:24»
Isso não é pesquisa. no maximo é dinheiro gasto atoa com estatistica e classificações inuteis.
Pesquisas usam de estatisticas, elas devem ter um objetivo. Isso não tem objetivo algum.
O problema não é "pesquisar" sobre merda. o problema é pesquisar qualquer coisa sem objetivo algum exceto ter mais "papers" com o Alucard disse.

Fico puto com isso.
Mas fazer o que, o ser humano é vagabundo. certo que isso vem dum pseudo-cientista que era aquele tipo de aluno que enche a cara todo dia, não ta nem ai para o curso, e nunca faz nada a não ser dizer que tudo é chato e dificil. odeio esse tipo de gente.
O pior é que o sistema de ensino premia esse tipo de comportamento. pois dá para passar uma graduação inteira e sair sem saber nada, ou melhor, passar em todas as provas (outro conceito problematico, mas não vamos entrar nesse assunto) e não conjugar e interralacionar os conhecimentos, i.e., um monte de informação dispersa sem objetivo a não ser passar na prova.
Esse processo em parte é culpado por gerar esse tipo de cientista mediocre.
Felipee em 27 de agosto de 2011 às 15:46:45»
a minha fezes é do tipo 2
avatar
Tyr em 27 de agosto de 2011 às 13:44:15»
Nã TRAAAAAAAAAAAAAAAVE!!!!!
Que merda! mrgreen
avatar
Alucard em 27 de agosto de 2011 às 13:13:44»
Grande Tyr,
Respondo-Tyr:

1- R: Não.
2b- R: Nietzsche te responde: “quantos homens se precipitam para a luz, não para ver melhor, senão para brilhar?” - Eu complemento: “eis que a ânsia em brilhar também está a erigir escuridão!”
3- R: Por pouco... Mas as perguntas foram satisfatórias. =)
Aikashi em 27 de agosto de 2011 às 11:37:47»
Hoje to no tipo 3...
avatar
Tyr em 27 de agosto de 2011 às 08:33:04»
Alucard, amigo
Com sua resenha "um pouco" extensa você quis nos dizer que é factível que estudos desta natureza, apesar de aparentarem desatino com a lógica, tem sua relevância na seara das ciências exatas?

1 - Acertei?
2a - Se SIM, de que maneira?
2b - Se NÃO, qual o significado de suas elucubrações?
3 - Ficou legal meu resumo ? mrgreen
avatar
KaiserThel em 27 de agosto de 2011 às 01:45:46»
Essa é a primeira coisa do Mdig que eu vou tentar esquecer
avatar
revolt4d4 em 27 de agosto de 2011 às 00:34:35»
Ser cientista, às vezes, é uma bosta! rolleyes
avatar
Jacky em 26 de agosto de 2011 às 22:11:25»
Nossa tanta coisa pra ser estudada, e eles vão estudar merda o-o
avatar
Alucard em 26 de agosto de 2011 às 20:37:14»
Apesar de considerar irrefletido o julgamento de um estudo específico, o qual, a mim, possui uma dimensão ininteligível; relevo o veredicto vulgar deste recinto.

De fato, esta conclusão arraigada e completamente lamentável a que se vem falando por aqui não é (e isto já está ficando repetitivo...) fruto de um ou dois fatores, mas de uma multicausalidade que engloba desde a ideologia educativa – que vigorou nos pertinentes – ao capitalismo selvagem a que estamos submetidos!

Observe que todos os projetos são justificados (como preconização inalienável) para se valer de subvenções, e, é improcedente compararmos a ciência feita nos tempos de Darwin com a ciência feita em nosso tempo! O motivo que suporta esta improcedência vem do acoplamento capitalista desenfreado que hoje a move, que, por sua vez e infelizmente, move os cientistas em suas decisões sobre se fazer ciência! Ora, TODO cientista que deseja renome neste meio DEVE publicar MUITO em revistas de maior fator de impacto possível; isto é, há uma ideologia do “mais é melhor” que é lamentavelmente distribuída aos novos cientistas... E, os mesmos, lamentavelmente, continuam a passá-la para as próximas gerações! O maior número de publicações gera maior currículo para o cientista, que, por sua vez, consegue maior facilidade para obter financiamento para novos estudos... E, com isso, eis que surge outro grande mal na ciência: o preconceito – a indecência da valorização leviana de trabalhos oriundos daqueles ditos renomados em detrimento dos mais desconhecidos (de poucas publicações), os quais podem ser tão bons quanto os primeiros; o desterro aos trabalhos de países de terceiro mundo, que afunila cada vez mais a maré da ciência para o sistema (metodologia científica) imposto por países de primeiro mundo, o que também leva a língua inglesa ao seu status quo na ciência... Há, de fato, mais pormenores, e, acho que não preciso continuar para que possamos concluir o óbvio:

(1)- A priorização da quantidade reduz a qualidade das pesquisas!

(2)- Como silogismo: revistas norteiam a ciência, pois os cientistas precisam delas para "sobreviver" => Revistas são meios que prezam pela angariação de capital => Logo, a ciência é movida pelo capitalismo!

(3)- A ética da ciência precisa ser um assunto recorrente!

É difícil acreditar que um maior rigor científico seja suficiente para driblar este percalço que, aqui, estamos nos referindo, pois HÁ muito rigor! Há rigor até demais, pois apelações lingüísticas e arbitrariedades (frívolas a meu ver) são também admitidas em certos meios, o que, somadas a tantos outros reptos, contribuem para um rigor extremo e demasiadamente INSALUBRE ao psicológico dos acometidos! Não duvidem deste rigor... Pessoas psicologicamente despreparadas já optaram pelo suicídio por conta dele (o que é inaceitável)!

Esse assunto possui mais pormenores, e, caso alguém esteja interessado, visite-me aqui:

alucard-insights.blogspot.com/2011/07/scientification-in-upstairs.html
avatar
m4GnUm em 26 de agosto de 2011 às 18:41:54»
takipariu...quem vai ficar prestando atenção na m3rd@ que faz...cacete! fool Esses caras só fazem c#gada mesmo...
sooneca em 26 de agosto de 2011 às 18:33:20»
Faltou a espuminha!!
avatar
Lucy em 26 de agosto de 2011 às 17:06:45»
mas que diabos de pesquisas são essas neh não ah vai fazer crochê, vai aprender a borda toalha ma
avatar
Luna em 26 de agosto de 2011 às 15:44:14»
Ah, eu tô feliz, ganhei meu dia, a minha é ideal, eu só c@go em forma de salsicha ou cobra, lisa e suave. Suave? Eu nunca mais vou olhar a salsicha com os mesmos olhos. Acabou.

Acontece que, todos os anos, milhares de pessoas se formam nas mais diversas áreas científicas. E quantos são os que descobrem ou dão a vida pesquisando coisas realmente significativas? Darwin fez muito pela ciência, e muitos não dão valor. Pra ser um cientista, basta vc se formar em ciências, biológicas por exe, não significa talento e capacidade para algo grade ou no mínimo viável.

Eu não sei como funcionam as coisas lá dentro, dentro das universidades, mas acredito que os cientistas tem que dar conta de pesquisas, mesmo que sejam toscas. Acredito tbm que eles transam naquele lugar onde guardam os materiais de limpeza. Por algum motivo, eles têm que dar conta de que estão fazendo algo, já que são cientistas. Eles estão ali com materiais e aparelhos disponíveis. Eles não fazem exame de sanidade mental. Eles podem conhecer alguém que conhece alguém, o que lhes pode dar uma certa moral pra perder tempo com o que quiserem.

Aí vem essa avalanche de noticias esquisitas, todo dia, sobre pesquisas e descobertas malucas. Aliás, eu queria saber como a noticia sai do meio científico e chega para os sites.

Isso nem me irrita, o que me irrita e ler pesquisas pela metadade, por ex: celular é cancerígeno, provavelmente cancerígeno, possivelmente cancerígeno, quem sabe cancerígeno ou provavelmente não é cancerígeno. As notícias pela metade são tbm a prova de que eles têm que dar conta de qualquer coisa.

Sei do lado macabro da ciência, do a toa e do decepcionante tbm. Mas a amo mesmo assim, porque ela me permite conhece o sensacional.
avatar
Confortably Numb em 26 de agosto de 2011 às 15:29:24»
mas que merda de pesquisa!! cool
avatar
Tyr em 26 de agosto de 2011 às 15:01:56»
Eu conheço um cabra que ia adorar esse ultimo estudo. Só fala sobre isso.
Mas tratando desses artigos, nem tudo que a ciência faz tem sentido as vezes. Fazer o que?
avatar
Politico Honesto em 26 de agosto de 2011 às 14:59:16»
Esses cientistas têm merda na cabeça, Maria - literalmente! mrgreen twisted
avatar
Marya em 26 de agosto de 2011 às 14:54:36»
Ah mas, pera lá, chama isso de cientistas??!
avatar
Politico Honesto em 26 de agosto de 2011 às 14:53:05»
Sendo assim, eu passo esta merda (literalmente?) a você, Azulão! É a sua cara! twisted twisted twisted
avatar
LukeSchimmel em 26 de agosto de 2011 às 14:48:31»
Mas hein?
Lembrei da tanorexia .-.
avatar
LucianoBlues em 26 de agosto de 2011 às 14:45:04»
No clima do post, dedico esse first ao PH twisted