Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Antonio Vigatto em 31 de janeiro de 2012 às 00:03:50»
parece fake pra mim, na segunda vez q o cara joga ele n acerta o buraco, mas sim perto do pé dele, mas mesmo assim explode bem no meio do buraco.
avatar
Aleh em 30 de janeiro de 2012 às 23:54:10»
Os chineses são fogo! fool
avatar
Luiz Felipe em 26 de janeiro de 2012 às 21:20:47»
Legal, brincando com o abacatinho.

Não sou bom com granada nos jogos, toda vez solto na parede e volta em mim, dai eu explodo.

Acho que ia ser igualzinho se eu tivesse uma de verdade, eu ia derrubar no meio do pé e explodir em vez de derrubar no buraco.
avatar
Confortably Numb em 26 de janeiro de 2012 às 10:07:49»
kkkkkkkkk não consigo parar de rir do pulo dos caras razz
avatar
Raxyz em 25 de janeiro de 2012 às 21:01:26»
Henrique José

Eu até pensei que poderia ser isso, mas não me pareceu que ele tenha jogado na parte côncava. parecia ter jogado antes de começar a descer. Pode ter sido impressão, mas me pareceu estranho, eu sei que treinamento militar são no limite do aceitável, mas um treinamento onde os soldados possam virar purê...
Se bem que a China já é tão superpopulada que pode até ser essa a intenção. Kkkkkkkkk.
shiran de joinville em 25 de janeiro de 2012 às 19:39:18»
Servi no Exército Brasileiro e lembro que o treinamento de recrutas no uso de granadas é apenas com simulacros de peso e aspecto idêntico ao das granadas reais. Só que se tratam de pesos inofensivos de 1kg.

Para reduzir custos e obviamente por segurança, o Exército disponibiliza apenas esses pesos para que os soldados do Efetivo variável (serviço militar regular) aprendam como atirar uma granada com precisão. Lembro que o lançamento é bem técnico, e muito diferente do movimento de jogar uma pedra qualquer.

O tempo da granada que usávamos era de 4 segundos. Então arrancávamos a trava, e atirávamos o simulacro por cima da cabeça e para a frente na direção do olhar, num movimento bem amplo de rotação do braço. Tínhamos que fazer a granada passar por uma trave que ficava a uma distância de uns 10 metros. Depois de atirá-la, nos jogávamos ao chão cobrindo a cabeça.

Assim é que funciona a principal instrução de lançamento de granadas explosivas no exército. (existem ainda a fumógena e as de efeito moral como a de Luz-e-Som, e as de gás lacrimogêneo)

No vídeo podemos ver que eles soltam a granada em uma espécie de trincheira, e toda trincheira construída corretamente possui seu fundo côncavo (afunilado) e com um buraco no centro, que serve para que uma granada que caia na trincheira role para essa "caçapa" e assim sua explosão é orientada em uma área estreita para cima, muito mais do que para os lados, reduzindo os danos aos soldados que estiverem ao redor do buraco ou fora da trincheira, como nesse caso demonstrado no vídeo.
avatar
Nordestino em 25 de janeiro de 2012 às 17:19:37»
Não acredito . Troll
avatar
Gabriel Mota em 25 de janeiro de 2012 às 14:31:09»
KKKKKKKK Ê perigo.... lol
Henrique José em 25 de janeiro de 2012 às 13:18:42»
Raxyz

Exactamente
A granada rola para o meio do buraco, que de tanto rebentar já tem efeito funil ( V) por isso rebenta no meio!

Pertenci aos Comandos, tropa de elite Portuguesa, e devo dizer que é suicídio rebentar uma granada desse jeito!
O tempo entre retirar a cavilha de segurança ou activar até rebentar, pode variar em segundos, o mínimo aconselhável é de 4 segundos, variando dependendo do modelo de granada, que são dois tipos: ofensiva ou defensiva.

Nestes casos falta contabilizar o numero de feridos, já que estes alunos levam a contagem ao limite, tipo roleta russa, e se o tempo variar 1 ou 2 segundos ... lá vai o aluno ...
avatar
Marya em 25 de janeiro de 2012 às 13:17:16»
he he he cool
avatar
martins em 25 de janeiro de 2012 às 13:10:32»
Complementando, não sei como é a realidade no restante do país,mas a realidade em Fortaleza e no Nordeste em geral é assim.
avatar
martins em 25 de janeiro de 2012 às 13:04:06»
Faço parte do corpo de saúde do Exército Brasileiro. O único risco dos nossos recrutas são o de desidratação, ou fraturar um osso por exemplo. Os treinamentos físicos são bem extenuantes. O treinamento com armamentos deixa muito a desejar, pois praticamente só se aprende a manusear o fuzil.
Na realidade, a utilização de mais armamentos e explosivos fica a cargo dos sargentos e oficiaisnas suas respectivas academias. Como os recrutas são o efetivo variável , eles tem apenas um treinamento básico e depois vão para a reserva mobilizável em caso de necessidade.
avatar
m4GnUm em 25 de janeiro de 2012 às 12:57:54»
kkkkk' rachei com esses china!!! lol lol
avatar
Raxyz em 25 de janeiro de 2012 às 11:59:34»
Reparem a segunda vez que eles fazem isso, o último joga a granada no chão, quase no pé dele, mas a explosão acontece como se tivesse tacado no meio.

Estranho não?
avatar
Politico Honesto em 25 de janeiro de 2012 às 11:52:27»
Batata quente com granada? O vídeo é uma comédia.