Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Márcio Cirqueira em 02 de novembro de 2013 às 21:42:28»
Caraca! Q imaginaçao fértil a desse povo! Vai saber que história eles tiveram que os induziu a deduzir as realidade dessa forma.
marlos em 05 de junho de 2012 às 12:19:52»
esse povos do papuo guine sao um bando de tarados faser isso com as crianças por isso que vive na moir miseria do mundo eles mata as mulhres e come para ficar dando e comendo cu de homem
lord martin em 02 de abril de 2012 às 20:25:24»
nossa, por que eu nao escolhi nascer lá? para uns o inferno. Para mim, o paraiso!
Amélia em 29 de fevereiro de 2012 às 22:28:42»
Ah por certo o texto é de internet...nao lembro a fonte
Amélia em 29 de fevereiro de 2012 às 22:25:47»
Cultura é cultura,leia (se tiverem disposiçao)respeitem,ainda que nao aceitem

Na Grécia antiga, as mulheres só serviam para reprodução... Prazer era exclusividade do macho... e só valia homem com homem mesmo...Era perfeitamente normal e aceitável a homossexualidade.

Muitas sociedades consideravam a homossexualidade como algo "normal". O exemplo mais conhecido é a Grécia antiga. O amor entre os homens era idealizado na arte e na poesia grega. A mitologia grega está cheia de histórias de amor de gays e lésbicas. Na sociedade grega um homem que se apaixonasse e tivesse relações sexuais com outro homem era visto como sendo perfeitamente normal.

A história de Adonis e Narciso, por exemplo, fala de um deus caindo na luxúria e perseguindo belos jovens. O culto a Adonis tinha templos e festivais dedicados a celebrar e promover relações gays...um sucesso!!!!!!!!

Isso não deve levar-nos a crer que a sociedade grega era um paraíso sem opressão. Era uma sociedade baseada na escravidão, na qual a maioria da população era composta de escravos. Escravos não tinham nenhum direito - escravos fortões para trabalhos pesados, escravos passivos (ou efeminados) para trabalhos domésticos, e assim por diante.

Além do mais, as mulheres possuíam uma moral tão baixa, que os homens pensavam que era impossível para eles e uma mulher terem uma relação amorosa de igual para igual - as mulheres eram para cuidar da casa e das crianças, o amor era com rapazes. Era uma sociedade altamente opressiva e deprimente.

Na cidade de Esparta o amor entre jovens e homens era um aspecto importante em seu exército. Um guerreiro treinava um jovem na arte da guerra, um aprendizado longo e árduo. A relação entre o guerreiro e o seu aprendiz era próxima e vital, tão importante que os planos de batalha do exército espartano eram feitos com base nessa relação.

No Japão feudal - os samurais - tinha idéias semelhantes às dos espartanos, refletidas em poemas e histórias de amor gay da época.

Ainda fazia parte das obrigações do aprendiz "servir de mulher" ao seu mestre, havendo a crença de que, por meio do esperma, se transmitiam heroísmo e nobreza. Uma loucura total!!!!!!!!

Também havia a justificativa de treiná-los para as guerras, nas quais inexistia a presença de mulheres. Era um privilégio da nobreza.

Nas olimpíadas gregas, os atletas competiam nus, exibindo a beleza física, sendo proibida a presença das mulheres nas arenas pois eles achavam que elas não tinham capacidade para apreciar o belo.
avatar
Luiz Fernando Galiza em 29 de fevereiro de 2012 às 15:45:23»
eek
avatar
Pitralon em 29 de fevereiro de 2012 às 15:17:00»
Marcelo Hikari, tudo o que você escreveu não é besteira. É a sua opinião, e eu respeito-a.
A minha opinião resumida sobre o assunto é mesmo aquela que escrevi e pouco me importa se você ou outro qualquer concorda com ela ou não.
Não lamento não poder admirar esta cultura da forma como admiro outras, seja a dos esquimós, a dos aztecas ou a grega antiga. Se eu for obrigado a respeitar esta, entao terei de respeitar as culturas que praticam o canibalismo, os caçadores de cabeças, as tribos que fazem sacrifícios humanos...
Por muito que lhe custe há mesmo culturas mais ricas que outras, seja tecnologicamente, seja na Arte, seja, principalmente, na capacidade de influenciar e enriquecer outras. Não é o caso desta que apenas se destaca por um único aspeto, por acaso muito asqueroso.
avatar
Marcelo Hikari em 29 de fevereiro de 2012 às 12:58:10»
@Pitralon; Tudo o que você falou foi besteira. Não existe cultura mais evoluida que que outra. Você acha que o que eles fazem é nojento? Pois se ponha no lugar deles, na cultura deles isso é normal e visto com orgulho! Você nos acha "evoluidos" ? Bem, para mim sacrificar tempo, saúde e amor pelo dinheiro não é evolução nenhuma e nem matar alguém para roubar suas coisas.
Santa ignorância...

:/
michelewillig em 29 de fevereiro de 2012 às 09:45:54»
Olha sem comentários.......o que eu posso comentar???Achei nojento demais...credo.
avatar
Pitralon em 29 de fevereiro de 2012 às 09:22:01»
As aberrações culturais destes povos são certamente fatores cruciais para não evoluirem e permanecerem num atraso civilizacional que os deveria envergonhar. Chegam ao século XXI mais atrasados científica e tecnologicamente que outros povos estavam há 3000 anos e, se insistirem em preservar os seus "valores" culturais, ficarão ainda mais 300000 anos sem evoluir.
Por outro lado, a nível global e transnacional existe agora uma política de respeito e preservação das culturas alheias, por muito repugnantes que elas sejam.
Mas a "sorte" de viver segundo a ignorância e crendice ancestral não será eterna, pois em algum momento da História serão vítimas da intolerância do Tempo.
Amélia em 29 de fevereiro de 2012 às 08:57:02»
Eu Opino que tem que respeitar a cultura deles,nao digo aceitar,mas respeitar alguem disse que a ingorancia se cura lendo e o racismo se cura viajando,eu ja viajei quase o mundo inteiro e posso entender perfeitamente,ja vi coisas de arrepiar,mas fazer o que ne?cada país tem a sua cultura,"generalizada e refletida en seus habitantes.
Como por exemplo existem paises que a sua populaçao tem a mente atrofiada e hipocrita,fingem que odeia certas coisas e só o travesseiro é que sabe...
avatar
LukeSchimmel em 29 de fevereiro de 2012 às 07:37:37»
Eles fazem sexo com garotos, mas tem quantidades limitadas para fazer com mulheres? confused
Logo, eles preferem fazer com homens, que na verdade são crianças impúberes, que mulheres.... e se dizem guerreiros viris.
Guerreiro viril? Deve ser por lá, por aqui onde moro se chama outra coisa confused eek
avatar
Brazuka em 28 de fevereiro de 2012 às 21:59:27»
Serginho do BBB é muito macho e detestaria 'tá num lugar sinistrão assim! twisted ma
avatar
Politico Honesto em 28 de fevereiro de 2012 às 21:29:37»
Trocadilho infame, mas me anima não ter nascido nessa cultura e ficar livre dessa porra.
sooneca em 28 de fevereiro de 2012 às 21:15:30»
Toda vez que eu vejo esses absurdos culturais, penso que os homens no futuro ficarão boquiabertos com certas coisas que fazemos também.
avatar
Michel Sanderson em 28 de fevereiro de 2012 às 20:58:24»
Nem sei o que comentar...mas que coisa horrivel...
avatar
Bentolino em 28 de fevereiro de 2012 às 20:56:24»
Terrivelmente terrível uma coisa dessas! ma

Se tiverem estomago forte, leiam só o que eles fazem lá com os portadores de HIV:

"Família enterra portadores do HIV vivos por não saber como cuidar dos doentes

Portadores do vírus HIV, que provoca a Aids, estão sendo enterrados vivos pelos próprios familiares em Papua Nova Guiné, país localizado na Oceania. A denúncia feita pela assistente social Margaret Marabe, fundadora da organização não-governamental "Viver com o HIV", afirmou que a família teme a propagação da doença.

Marabe acrescentou que outro motivo freqüente para a atitude dos parentes acontece quando o paciente apresenta quadro crítico da enfermidade, momento que, segundo ela, os familiares não sabem mais como cuidar dos enfermos.

A declaração de Marabe foi publicada no jornal de maior circulação de Papua Nova Guiné, "Post Courier". Em trecho da reportagem, a assistente social lamentou ter presenciado algumas vezes o episódio. "Vi três pessoas (serem enterradas vivas) com meus próprios olhos. Quando ficaram muito doentes e as pessoas não podiam mais tomar conta delas, foram enterradas", declarou.

Margareth Marabe disse que a prática é muito comum na região. Durante a entrevista, ela chamou a atenção para a importância de implantar um programa de treinamento sobre o HIV na região urgentemente. A especialista afirmou que nada parecido foi feito no país.

Recentemente, a Organização das Nações Unidas (ONU) divulgou um relatório sobre a atual situação de Papua Nova Guiné. Segundo o documento, o país registra cerca de 90% dos casos positivos diagnosticados na Oceania. Estima-se que 2% dos seis milhões de habitantes do país sejam portadores do HIV, sendo que os diagnósticos de novas infecções aumentam em 30% a cada ano.

O pedido de Marabe às autoridades governamentais não foi o primeiro. Agências de saúde internacionais já alertaram para a necessidade de adotar medidas preventivas a fim de evitar que novas pessoas sejam contaminadas".

Fonte: http://www.elnet.com.br/canais_interna.php?materia=2750
avatar
Evandro Eloy em 28 de fevereiro de 2012 às 18:54:21»
Hã???
Serginho BBB em 28 de fevereiro de 2012 às 18:37:09»
Ui! Adoraria ser pedofilado lá....
avatar
Nordestino em 28 de fevereiro de 2012 às 18:16:19»
eu poderia dormir sem ler este post. redface
avatar
Tyr em 28 de fevereiro de 2012 às 18:15:07»
Porra! Eu podia passar sem saber isso! eek
Eca!
avatar
Horus em 28 de fevereiro de 2012 às 18:11:23»
veii na boa, que merda kkkkkkkkk
avatar
Nordestino em 28 de fevereiro de 2012 às 18:05:50»
biggrin