Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
LukeSchimmel em 02 de setembro de 2012 às 09:06:11»
Mais pessoas... confused
Jorge Luis em 31 de agosto de 2012 às 19:26:27»
História é história. Como é contada que deixa ela interessante ou não. São ótimos 17 minutos contando as passagens dessa figura.
E uma coisa importante; Curitibano não é fechado, só não tem o habito de falar com estranhos.
ZuzoBem Gara em 31 de agosto de 2012 às 16:55:53»
Na época eu estudava em Bandeirantes, nortão do Paraná, e morava em São José dos Pinhais, cidade-dormitório de Curitiba.
Finais de semana, sempre passava pela XV (Rua das Flores) e via a "figura" lá pelas bandas da Praça Osório. Se não o visse, era como não ter ido.
Lembro-me da notícia da morte dela (se não me engano, esfaqueada). Comoção na cidade...

Lembranças: Porto Velho, Bife Sujo, Rainha Careca, Jack-O, Sessão da meia-noite do Astor, Feirinha, Lá-no-Pasquale, Bariguí, Caxuxa, Pingo, Chimin, Cogumelos em São Juska dos Pinharowisk, vinho de Santa Felicidade, furar a bilheteria do Guaíra...
Curitibano em 31 de agosto de 2012 às 13:24:46»
Muito bom!!! Eu sou novo demais para conhecer a Gilda.

Parece que pelo povo curitibano ser historicamente frio e fechado, a extroversão e irreverência da cidade se concentram em alguns apenas. E esses alguns devem ser cultivados como patrimônio da cidade, pois eles expressam a riqueza e contradição da nossa história, da fria Curitiba nesse país tropical.

Temos sim identidade, e ela deve ser cantada aos 4 ventos, temos que ter orgulho de sermos curitibócas, pois cultura não é algo certo ou errado, simplesmente é! E viva a fauna curitibana.
avatar
Marya em 31 de agosto de 2012 às 13:20:02»
Tadinha da Gilda sad

Oi Sol ! Beijos ! biggrin
avatar
Politico Honesto em 31 de agosto de 2012 às 12:23:12»
"Curitiba, a cidade com a maior fauna de gente esquisita por metro quadrado."
Não tem como não fazer alusão ao começo do texto e àquele post.