Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Ricardo Internet em 17 de março de 2015 às 11:08:22»
“Seja curioso. Leia muito. Experimente coisas novas. Eu acho que muito do que as pessoas chamam de inteligência apenas se resume a curiosidade.” ― Aaron Swartz
Kelly2787 em 20 de janeiro de 2013 às 17:05:31»
Me emocionei
avatar
msp1500 em 19 de janeiro de 2013 às 13:57:38»
Concordo em parte com ele. Sei que os autores devem ter seus direitos assegurados, porém, acho que tais direitos deveriam ser restringidos a no máximo 5 anos, e depois disso deveriam ser de domínio público.
É uma maneira de divulgar conhecimentos que seriam acessíveis a todos e poderiam auxiliar muita gente necessitada.
avatar
negresco em 19 de janeiro de 2013 às 01:19:54»
Tenho certeza que ele foi assassinado, é o sistema monopolizando todo conhecimento!!!
avatar
Luiz Felipe em 18 de janeiro de 2013 às 01:48:56»
Bora fazer, upando 5gb de pdfs no torrent para qualquer um ler.
Edgar Rocha em 17 de janeiro de 2013 às 21:01:01»
Que chacoalhão! Mas, este é o espírito. E esta é a contribuição maior que a juventude pode dar à sociedade. Aaron Swartz fez muito mais do que lhe pode ser exigido enquanto jovem e corajoso. Ele criou, produziu, inseriu-se num sistema que ele julgava injusto. Foi muito pra ele, não há dúvida. O ensejo de sua vida é exatamente igual ao de muitos que avançam os limites naturais desta fase da vida. Exceto o enorme pesar causado por seu sacrifício, seu legado foi ainda maior. E cada vez que leio algo sobre este desconhecido pra mim, mais o admiro. Convenhamos, ele não precisava morrer. Mas, é o preço que se paga por assumir a responsabilidade urgida por seu ideal. Jovens não são pra isto, não tem que tomar frente de nada, assumir riscos assim que se inserem no mundo adulto. Isto é terrível. Bastava ter feito exatamente o que ele fez enquanto jovem: rebelar-se, questionar, exigir da sociedade a tolerância pra dar vasão ao sagrado direito da desobediência civil. Direito este negado ao adulto já inserido nas responsabilidades da vida ou, ao menos, recusado por este, seja por conveniência, ou pela responsabilidades perante a vida. A garotada tem que voltar a fazer o que faz de melhor: reagir ao que acha errado, se irreverente. E a parcela da sociedade que reconhece seus anseios tem de saber ceder, saber escutar e fazer eco aos apelos da juventude. Não se deve cobrar do jovem a responsabilidade pela mudança. Isto é falácia. Deve-se respeitar as críticas e reconhecer o direito da geração posterior de recusar o que já não lhes serve. E cabe aos adultos agir pra implementar as mudanças. Este peso é nosso, não da garotada. Eles não devem morrer por causas que nós deveríamos abraçar. Desculpem o tamanho do texto.
avatar
revolt4d4 em 17 de janeiro de 2013 às 20:07:08»
Pois é. Já pensei nisso enquanto escrevia um artigo pra faculdade e não tinha muitos exemplares dos livros na biblioteca e não encontrava um pdf decente, pela internet.
Encontrei os sites dos autores, eram usados como currículos, tinham artigos gratuitos, mas os livros, apesar de serem de uso acadêmico, só comprando.
avatar
Politico Honesto em 17 de janeiro de 2013 às 19:42:26»
Uma briga que está longe de terminar.