Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Dina em 02 de julho de 2014 às 08:05:12»
Eu sou contra a chinelada mas tem guri que com conversinha, castiguinho num se endireita de jeito nenhum. O que fazer?Deixar o pequeno demoninho crescer achando que pode fazer o que quer??? Muitas vezes os pais se alteram PRA PROTEGER os filhos de suas burrices! O chinelo cai bem nessa hora!
avatar
Moonwalker em 08 de abril de 2013 às 19:04:23»
Velhos tempos em que os pais podiam educar seus filhos. E eu nem estou falando dessa tortura horrível que os malditos politicamente corretos fazem parecer. Mas desde onde eu sei, umas palmadas nunca mataram ninguém. Até porque a palmada era um recurso alternativo quando só o olhar não iria funcionar...
avatar
Angelina em 08 de abril de 2013 às 13:30:19»
A chancla foi usada uma vez em mim de forma maravilhosa, e até hoje sou um amor de criança.
avatar
cacafilho em 08 de abril de 2013 às 12:58:14»
la chancla foi bem usada em mim! =c
Edgar Rocha em 07 de abril de 2013 às 18:54:29»
Ledo engano achar que quando uma mãe dá uns tapas é porque perdeu a moral ou porque nunca a teve. Uma palmada é a prova maior da indignação, se dada no momento certo. Além de mostrar à criança a gravidade do ato que cometeu, muitas vezes contra si mesmo. Surrar o tempo todo é falta de autoridade. Nisto não há dúvida. Mas, depois de um corretivo no momento certo, pelas razões corretas e com a expressão clara de uma figura maternal injuriada, pode-se evitar muitas outras palmadas. Basta depois, aquele olhar, aquela cara de quem já esgotou todos os argumentos, toda a paciência, que o filho já entende o peso de de sua atitude. Sem coerência não há autoridade. De que adianta horas de diálogo, com a mãe contando até dez, chorando de vontade de dar um basta, rebaixando-se diante da criança mimada e sem limites e demonstrando de uma vez por todas, que quem deve ter limites é ela e não o safadinho que conta com a coação moral do meio que o trata como um livro em branco? É assim que se demonstra autoridade e respeito? Desrespeitando a si próprio? Negar o direito à mãe de mostrar seu limite emocional é o mesmo que endossar na criança a sensação de ser o centro do Universo. Fora o rancor, a mágoa acumulada e o arrependimento mais que humano dos pais em terem escolhido a paternidade, sem nenhuma autonomia para exercê-la. É por isto que depois de um certo tempo, pais e mães sublimam a ausência deste direito reconhecendo uma falsa autonomia da criança e seu direito hipócrita de fazer escolhas erradas sem dar ouvidos a ninguém, sem uma referência capaz de apontar alternativas ou educá-los com amor. A mágoa supera qualquer sentimento e esfria qualquer afeto. Os jovens de hoje estão se auto-criando, se auto-educando, buscando referências de limites em qualquer sacana que lhes estende um sorriso e um falso direito de fazer de tudo. Traficantes e aliciadores são amados por eles mais do que os pais. E oferecem a eles o limite imposto pelo mundo ao qual pertencem. Vacilou, morreu. É esta a "liberdade" que um jovem precisa? É este o "limite" que devem receber? Em resumo, prefiro as chineladas.
avatar
Politico Honesto em 05 de abril de 2013 às 09:58:21»
"Grotesco erro bípede chamado humano."

Uma das melhores definições de ser humano que já vi.
avatar
Luna em 05 de abril de 2013 às 08:01:25»
Às vezes, gostaria de dar chineladas na cara de muitos adultos por aí. Fico na duvida se vão revidar com um tiro na minha cara ou vão ficar rindo da marquinha. O bicho homem possui a forma mais extraordinária de comunicação entre todos os animais, a fala. Mas, por vezes, precisa impor com palmadas uma moral que não se tem verbalmente. A natureza tem que se fuder com seu grotesco erro bípede chamado humano.
avatar
Politico Honesto em 04 de abril de 2013 às 23:12:44»
2º Vídeo: Pena que saiu com vida; poderia ter sangrado até a morte.
3º Vídeo: Se quer se matar, faça isso sozinho.
avatar
Politico Honesto em 04 de abril de 2013 às 23:01:52»
Chinelada - um corretivo que faz falta, nos dias de hoje.
avatar
Luiz Felipe em 04 de abril de 2013 às 22:30:12»
Ultimo video, porque os cabos eram encapados, quem foi que teve a brilhante ideia, agora ninguem mais pode se eletrocultar "sem querer".
em tempo: acabei de ver de relançe enquanto pegava agua, que morreram pessoas eletricultadas no brasil, esse sim é o brasil, sem cabos encapados. Darwin agradece assim, que todos os idiotas sigam o exemplo e morram.
avatar
Luiz Felipe em 04 de abril de 2013 às 22:24:31»
0:31, fazia tempo que não ouvia esse som.
1:04, esse grito é famoso.
Edgar Rocha em 04 de abril de 2013 às 14:46:24»
Engraçado, todo mundo que fala das chineladas e das surras que levou, normalmente, fala dando risada, aquela risada marota, não nervosa. Ficou trauma? Acho que não. A gente cresce amadurece e ri dizendo que deixava a mãe doida. Que a danada batia de um jeito que ficava aquela marquinha listrada e a bolinha da tira da chinela na bunda por dias. E a gente ri.
Edgar Rocha em 04 de abril de 2013 às 14:36:36»
Umas chineladas de vez em quando não fazem mal a ninguém. Fazia parte do processo e, salvo as psicopatas matronas, toda mãe sabia o quanto podia pesar a mão e o lugar certo pra assustar mais que doer e doer mais que machucar. O que importava era, como diziam, "não voltar atrás". O filho é que devia se reaproximar. E pronto: ficava o pacto social: se os pais disserem não, é não. E ninguém guardava mágoa. Porque depois vinha o sabão, e a gente entendia o ponto de vista e o porque do destempero. No entanto, e isto era o mais importante: havia uma certa coerência, um apreço pelo exemplo a ser dado. Quanto melhor os pais, mais coerente é o exemplo dado por eles. Não era o conflito, nem a surra que garantiam o respeito ou o entendimento da atitude radical do pai e, principalmente da mãe. Era saber que foi correta a repressão, a indignação, a raiva, enfim, todo o ritual da varinha mágica, como dizíamos aqui em casa. Hoje, tanto "amor", tanta "condescendência", tanta "proteção" à criança por parte de pais, autoridades etc... mas, não há exemplo, não coerência, não há limite... tanta coisa pra dizer que enche o saco levar adiante. Mas todo mundo sabe que algo de muuuito errado está ocorrendo. Disto ninguém duvida.
ANDREAAG em 04 de abril de 2013 às 14:10:21»
Tinha que dar é muitas "chancladas" nesse chinês bebum!
avatar
msp1500 em 04 de abril de 2013 às 13:12:43»
TERCEIRO VÍDEO
É a marvada pinga fazendo mais uma trapalhada.
O sujeito enche a cara, faz uma baita duma trapalhada, causa prejuízo aos moradores que ficaram sem energia, gera gasto pro estado, com o deslocamento de funcionários públicos, e nada acontece?
Talvez aqui nada aconteceria, mas na China?
Duvido que o cara vai sair dando risada do sistema e das autoridades como seria aqui no Brasil.
Cacete no lombo desse mané pudim de cachaça.
rsrsrsrsrs
avatar
msp1500 em 04 de abril de 2013 às 13:09:58»
SEGUNDO VÍDEO
vagabundo trapalhão e população palerma.
Eu me pergunto o que aquelas pessoas faziam ali que não caíram de cacete em cima dos 2 caras e poder prendê-los.
Mas não. Deixaram os miseráveis saírem dali ilesos e com certeza os 2 estão dando muita risada da trapalhada toda.
avatar
Confortably Numb em 04 de abril de 2013 às 13:08:33»
Minha mãe tinha uma pontaria do cacete.... kkkkkk

O segundo video é engraçado a porta abrindo vagarosamente depois da pancada.... kkkkk
avatar
msp1500 em 04 de abril de 2013 às 13:08:04»
PRIMEIRO VÍDEO
Levei muitas chineladas quando pequeno e não me arrependo de nenhuma delas. Eu fiz por merecer e me serviram como instrumnto de educação.
Hoje, com a edição de leis exdrúxulas, não pode-se nem dar um tapinha.
Até a Xuxa recebeu gordo cachê pra fazer propaganda alertando as crianças que não podem mais nem levar tapinhas.
Ensinam assim que elas podem fazer tudo sem que os pais possam dar as devidas reprimendas que por séculos funcionou.
É o fim da picada mesmo.
TOTAL ALIEN em 04 de abril de 2013 às 11:20:30»
FUNCIONAVA ?!
MAS VAGABUNDOS SEMPRE EXISTIAM LEVANDO CHINELADA OU NÃO !
SEMPRE SE LEMBREM MOÇADA NÃO ADIANTA UMA ÓTIMA EDUCAÇÃO SE A INDOLE É PODRE DE LIXO MARGINAL !
avatar
Politico Honesto em 04 de abril de 2013 às 10:57:13»
Eita.