Faça o seu comentário

:

:







Comentários

AChein em 25 de novembro de 2013 às 19:38:44»
dos valores, talvez?
Jean Carvalho em 23 de novembro de 2013 às 13:48:50»
Primeiro, teríamos de saber o quê exatamente o autor considerava como sendo "o desvirtuamento da língua pátria"... se é simplesmente o surgimento de novas expressões, acho complicado sustentar a teoria do autor... talvez, se ele estivesse se referindo também ao Esquecimento do significado de termos e de antigas palavrar da mesma língua, aí Talvez pudéssemos estabelecer alguma relação, entre este fato e a "degeneração" da nação...
avatar
Sentinela em 22 de novembro de 2013 às 22:37:25»
Concordo. A dominação de um povo também, começa quando se impõe o uso de termos em outras línguas que poderiam ser traduzidos, mas não são. Por exemplo, "delivery" no lugar de "entrega a domicílio".
avatar
Admin em 22 de novembro de 2013 às 11:39:11»
Concordo com ambos, Edgar e Ruy Barbosa, em termos. O idioma deve ser vivo e revitalizado de tempos em tempos com gírias, novas palavras, anglicismos, italianismos, estrangeirimos, etc. Purismo é bobagem que leva a língua à morte. Mas também não posso concordar com este pensamento "lulista de ser", que diz que o importante é que "nóis consiga se comunica e se fazê desententer". Isso é preguiça e vadiagem de aprender um conjunto de regras que rege qualquer idioma.

Tá serto, cerumano, discursão e outras pérolas do gênero devem continuar nos memes e nas provas do Enem.
avatar
revolt4d4 em 22 de novembro de 2013 às 10:16:30»
Concordo com o Edgar Rocha.
avatar
Haiduqque em 21 de novembro de 2013 às 21:52:45»
Há quem não saiba que a linguagem é um código, que serve para o emissor ser entendido pelo recetor. Se o emissor não sabe escrever corretamente, o recetor tem de corrigir mentalmente o código emitido ou, pior, faz uma interpretação errada dele.
Quando a mensagem emitida não tem valor, nada se perde com essa errada interpretação.
Quando a mensagem tem valor, ela fica desvalorizada.
Vírgulas! Há quem não saiba onde colocar elas numa frase. É um bom princípio, quando, na leitura de algo, não se tropeça nelas.
Tyr (Puto da vida) 100 logar em 21 de novembro de 2013 às 20:21:18»
Já tiveram a impressão que algo que foi dito com o passar do tempo mudou?
Tipo assim... eu sou capaz de jurar que mandei alguém pra um lugar feio e quando volto... Tô trocando beijos com ele?????

Porra meu! Assim não dá!!!!!
avatar
Cheat em 21 de novembro de 2013 às 19:50:23»
Eu ri do que escreveste, irmã De Maria, que não, não é irmã da Maria. (ou é?)
Maiquel em 21 de novembro de 2013 às 18:33:45»
Penso que o "desenvolvido" ser humano criou uma ferramenta chamada "língua", para que pude-se usar ela em seu benefício.

O que não consigo entender é porque esse tão "desenvolvido" ser, consegue complicar a tal ferramenta a ponto de ser difícil de usar ela corretamente.

Podem até me chamar de ignorante... Mas que a linguagem em geral poderia ser muiiiito mais simples. Poderia.
E então não teríamos tanta gente assassinando ela como dizem os ditos "Não Ignorantes", que certamente também cometem delitos as vezes...
Edgar Rocha em 21 de novembro de 2013 às 16:32:43»
Barboseiras! Na língua está a alma de um povo. E, como dizem muitos, é também um ser vivo em constante evolução. O pensamento do Ruy Barbosa é consonante com o período em que viveu: nacionalismo, pureza de raça... conceitos já em evidência no século XIX e que se tronariam cada vez mais decisivos até a primeira metade do século XX, embora não tenha se apagado totalmente nunca mais (espasmos fascistas é que não faltam, atualmente). O que conta, pelo penos pra mim, é o grau de liberdade em que se ocorrem estas mudanças linguísticas.
avatar
Confortably Numb em 21 de novembro de 2013 às 15:55:27»
Nosso povo indígena que o diga... rolleyes
avatar
Cheat em 21 de novembro de 2013 às 14:26:02»
Minha mãe sempre me disse isso. A língua é uma das principais marcas/identidades de uma nação/região, ultrajá-la é ultrajar-se. Ademais, um texto mal redigido, por mais que seja essencialmente bom, perde toda a credibilidade.

Mas também não adianta abusar do léxico e acabar dizendo nada com nada. (muito comum por aqui) Coerência é fundamental.
Tyr 100 Logar em 21 de novembro de 2013 às 14:13:05»
Legal, você tambem é um bom sujeito. Continue assim.
Diojenes em 21 de novembro de 2013 às 13:58:17»
Tyr, você é muito legal. Continue sendo essa ótima pessoa.
avatar
Moonwalker em 21 de novembro de 2013 às 13:13:11»
É, cheguei a fazer um post sobre isso a uns anos atrás aqui no MDIG... acho que tem gente que me xinga até hoje por conta do que escrevi. Mas ainda acho que tenho razão.
avatar
Angelina em 21 de novembro de 2013 às 13:00:17»
Comunicação.
Tyr 100 Logar em 21 de novembro de 2013 às 12:42:14»
Bom, da ultima vez que escrevi isso um zé-arruela veio dizer que escrevi errado por não saber que serto é errado e o certo era certo mesmo.

Bom, gueeeeeeeeeeeeeeeeenta Admin!
avatar
Politico Honesto em 21 de novembro de 2013 às 12:39:08»
Tenho aversão a textos de verdadeiros assassinos da língua portuguesa.