Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Edgar Rocha em 05 de dezembro de 2013 às 20:49:14»
O mal de Baco. E o dito cujo era considerado senhor da temperança. Não é pra menos. Diziam os antigos que o poderoso vinho fortalecia os fracos, elevava o espírito mas, se um homem bebesse em excesso e passasse a sentir-se um deus, seria acometido pela loucura, faria coisas que não se lembraria e ainda ganharia uma bela ressaca (além, é claro, de que poderia acordar com o rabo ardendo. C* de bêbado não tem dono, já dizia meu avô). Mesmo assim, a humanidade não aprendeu a lidar com os prazeres da vida até hoje.
Thays Fontana em 05 de dezembro de 2013 às 19:24:23»
João Mauricio, se você acha "ingnorancia" e conservadorismo jovens beberem, deve estar totalmente certo que é muita beleza beber tanto que, se chegar em casa, não sabe se anda com os pés ou com os joelhos e mãos.
Para achar isso você deve ser um desses jovens que tomam como ídolo um jogador de futebol, sonha em pegar uma panicat e ia adorar tirar uma foto fazendo algo ilegal, e postar na internet.
Tire um pouco do seu tempo de crítico da web e vá estudar, assim quem sabe não precise beber para se sentir alguém e talvez comece a ser alguém.
avatar
Politico Honesto em 05 de dezembro de 2013 às 14:03:16»
Removeram o vídeo.
avatar
Sentinela em 05 de dezembro de 2013 às 12:46:33»
É... complicado falar sobre isso. Tá, os jovens estão constantemente sendo informados dos malefícios da bebida, tem campanhas e é proibido por lei. Mas toda propaganda de bebidas mostra pessoas jovens. Jovens sorrindo, jovens com carros legais, jovens com muitas namoradas, jovens independentes e responsáveis. A propaganda de cerveja (e bebidas em geral), junto com as músicas, filmes e senso comum ensinam ao jovem que beber é uma ótima coisa. Em todos os meios (propagandas, músicas, filmes) o consumidor de bebida é feliz, popular, tem uma vida interessante e rodeada de alegrias. Muitas atitudes vem do exemplo. Como esperar que um jovem adulto cujos pais bebem em festas não use álcool para efeitos recreativos? Não é só por única falta de discernimento que o jovem bebe. Há até incentivo familiar e social (do tipo: um verdadeiro homem tem que aprender a beber) para o jovem que bebe. Não adianta que haja propaganda de conscientização contra a bebida se todas as outras mídias passam uma imagem tão positiva do jovem que bebe.

E mais uma coisinha: eu também acho reprovável quando uma mulher bebe até ficar vulnerável. Mas penso que, em vez de exclusivamente educar a mulher para não beber até cair, está na hora de educar o homem para não se aproveitar desse tipo de situação. Todo mundo ensina que o homem deve pegar todas, mas dificilmente o orientam a respeitar situações como a embriaguez alheia. Se fosse o contrário, e uma moça fizesse sexo com um homem muito bêbado que nem se lembraria depois, ainda assim ele seria parabenizado e ela, reprovada.
AugustoGawaim em 05 de dezembro de 2013 às 11:54:29»
O cara escreve "ingnorante" e os outros é que são sem-noção!
joao mauricio leal em 05 de dezembro de 2013 às 10:14:16»
cara vc é um conservador ingnorante! basta ver as coisas q vc publica! uma pessoa sem a minima noção!
avatar
Politico Honesto em 05 de dezembro de 2013 às 09:56:12»
Realmente, não é um caso isolado: é muito fácil encontrar menores bebendo em ambientes familiares – muitas vezes, estimulados pelos próprios pais.