Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Lindemberg em 22 de novembro de 2015 às 19:20:30»
"O vira-lata mais estranho e feio é muito mais brincalhão e agradável do que qualquer raça pura." Discordo dessa frase. Generaliza. Não é verdadeira. Tenho cães de raça e vira-latas.. As duas são brincalhonas.
Bellie em 13 de agosto de 2015 às 16:34:12»
Gostei mais do Dashound golden
avatar
Dominique em 27 de março de 2014 às 18:29:22»
Esquisitos, mas ainda assim fofos. Eu sempre preferi vira latas, daqueles que a gente nem imagina a raça.
avatar
PadreTorque em 25 de março de 2014 às 19:06:26»
Sabe aquelas mulheres que usam qualquer assunto pra descarregar a carência de sexo, que carregam na vida ?
Pois é...!!!
Sempre aparece uma, como a que fez o comentário e depois apagou, que vem dar o ar da graça...
Se eu fosse um pouco menos educado do que sou, diria que a Laura está é com falta de pau mesmo !!!
Ou foi muito mal comida, nos últimos tempos....
Mas tudo bem.... Faz parte....
:-/
brugnara em 22 de março de 2014 às 19:07:30»
Somente um completo ignorante ou vendedor de cães dirá que mistura de raça só pode gerar problema de saúde no animal. Podem surgir problemas de adaptação, no entanto. Como exemplo, as evidências apontam que cruzar um cão de patas curtas com um de pastoreio não é boa ideia pois irá juntar o espirito aventureiro de um com a limitação do outro.
A maioria dos problemas caninos são causados pelos genes recessivos, e quando raças iguais cruzam é mais fácil que estes genes se juntem, mantendo ou agravando algum problema de saúde do cão. Quando há cruzamento de raças, sempre existe a possibilidade de um gene dominante anular um recessivo fazendo com que mais genes dominantes apareçam nesses casos.
Os criadores de cães gostam de chamar de raça pura aquelas que se adaptaram otimamente a uma determinada característica e então, para mantê-la, decidem que haverá cruzamento somente entre animais da mesma raça. Mas muitos destes animais ditos puros são muito frágeis. A ninhada de um vira-lata abre os olhos em uma semana e todos sobrevivem sem desverminação, os de raça precisam de pelo menos o dobro de dias e morrem se não forem desverminados.
Também é bom lembrar que os cães domésticos (Canis lupus familiaris) nem são uma espécie. São uma subespécie surgida provavelmente do lobo cinzento há milhares de anos. A grande variedade de cores, formas e tamanhos, mesmo dentro de uma raça, é o que torna estes animais tão queridos pelo homem e isto só foi possível por anos e anos de seleção artificial, de cruzamento, de mestiçagem.
Symone em 22 de março de 2014 às 19:00:33»
Lindos lindos todos lindos.
George Fox em 22 de março de 2014 às 16:31:18»
É bom ressaltar também para que as pessoas não comprem cães. Nunca! Há milhares de animais soltos na ruas ou esperando um lar adotivo em abrigos. Adote um cão!
avatar
Angelina em 22 de março de 2014 às 15:09:32»
Ficaram engraçados, e alguns meio desproporcionais, mesmo. Mesmo assim, todos fofos. Muito interessante.
Seleção natural, que maravilha!
avatar
Redação em 22 de março de 2014 às 13:06:59»
Ajudou sim Paulo. Muito obrigado cara!

Sugestão anotada, Edgar.

Obrigado também, Laura!. Só não entendi toda essa grosseria, o que me leva a concordar que você, por auto-experiência, supera qualquer um quando o assunto está relacionado com caninos ou bovinos. Exatamente!
Paulo Rogério em 22 de março de 2014 às 12:36:38»
Sou contra a mestiçagem feita de forma deliberada só para criar um cachorro diferente para quem pode pagar, mas muitos acontecem de forma natural e não há como evitar. Mas a mestiçagem feita para fortalecer a raça é bem interessante. Antes de falar que mestiçagem só traz prejuízo aos animais, é preciso se informar melhor, como o caso do terrier mineiro (podengo crioulo). O prórpio cão é o resultado da seleção artificial dos cães em relação as sua características, aptidões e comportamentos.

Tem pelo menos dois cães “puros” ai: o Dalmachshund que é um dachshund chocolate, e o Golden Siberiano que é um filhote de Aussie, que é o resultado do cruzamento do cão basco, boiadeiro australiano, pastor mexicano e Collie. Esta “pureza” resultou em alguns que nascem com problema na coluna vertebral e muito cedo adquirem catarata.

Boa compilação. Espero ter ajudado.
avatar
Brazuka em 22 de março de 2014 às 11:02:31»
Gostei do teu comentário brother Edgar, valeu?
avatar
Brazuka em 22 de março de 2014 às 10:59:38»
Olha só a carinha do safado antepenúltimo!
avatar
Brazuka em 22 de março de 2014 às 10:58:36»
O MELHOR POST DO ANO!

Se fosse prá doação, queria todos pois amo cachorros!

Tenho duas, uma pincher já velhinha e quase cega e por isto meu cuidado constante com ela e uma poodle, que me deram na tentativa de me fazer esquecer do meu vira-latas de rua que mataram envenenado e chorei por ele como se fosse por uma pessoa.

Quem maltrata um animal, deve-se ter muito cuidado com "o doente psicopata", pois prá matar uma criancinha inocente e indefesa friamente, só precisa de uma chance. ma
Edgar Rocha em 22 de março de 2014 às 10:14:27»
Que bom que gostaram da informação (valeu Lilás, Pe. Torque, C. Numb e PH). Pra mim também é novidade. Descobri recentemente graças a internet. No mais, fico feliz que haja pessoas no país empenhadas em preservar a raça (é isto mesmo, uma raça de cães) tão bem adaptada ao nosso território e, como tudo que nos diz respeito, tão desprezada e subestimada. Tenho uma cadela que peguei na rua quando ela tinha uns dois meses de idade. Não me arrependo. Depois, fui descobrir que se tratava de uma variedade de podengo crioulo ameaçada de extinção. Trata-se de uma feiosinha muito engraçada, cor de palha e de pelo duro chamada Coquinho. Uma figura. É meio estabanada e temperamental como todo ser meio selvagem (dar banho na criatura, só com focinheira), mas, é um amor na maioria do tempo e uma excelente guarda. Recentemente, deu cria (pro meu desespero!). Mas, não faltou quem quisesse os filhotes pra guardar as casas. São excelentes, não pegam doença, não têm frescura nenhuma.

Valeu pelo post, PH! Espero que o Admin se interesse pela sugestão. Temos muitas raças desenvolvidas aqui, além do podengo crioulo. Temos o fila, o buldogue campeiro, o veadeiro, o perdigueiro, o fox paulistinha... todas muito rústicas e adaptadas. E lindas! Meu preferido é o buldogue campeiro. Muito legal. Fica a dica.
avatar
PadreTorque em 22 de março de 2014 às 09:42:23»
Gostei...
Mas vira-latas mesmo só é bom quando não tem raça definida.
Deve ser mesmo como o Edgar falou. Bem crioulo...
Eu dou muito mais valor a cães sem raça, que me representam ser mais próximos à relação homem-bicho...
Sei lá...
Bruna em 22 de março de 2014 às 06:05:18»
Antes de divulgar informações incorretas e estimular o acasalamento entre raças diferentes, o que comprovadamente só traz prejuízos para a saúde dos animais, procure se informar melhor. Das várias baboseiras que li aqui, a que mais chama atenção é a foto do "Golden Siberiano" , que caso você não saiba nada mais é do que um exemplar puro da raça Pastor Australiano. Poupe a humanidade da sua ignorância.
avatar
revolt4d4 em 21 de março de 2014 às 21:34:46»
Alguns ficaram desproporcionais.
E acho que conheço um Yorkshoodle, só não tenho certeza da metade york.
avatar
Confortably Numb em 21 de março de 2014 às 20:04:52»
Pois é, exceto a primeira foto que eu achei que ficou feio, cruze qualquer coisa com um Husky que dá certo. razz

Parabéns pelo Comentário Edgar, muito interessante!
avatar
Politico Honesto em 21 de março de 2014 às 19:57:15»
Patrimônio genético do Brasil, Edgar:
http://acasaazul.org/blog/?p=91
Shirley em 21 de março de 2014 às 18:26:34»
O Pomsky é o mais lindo! Aliás, cruze o Husky com qualquer outra raça e ele fica lindo, rsrsrs.
Lilás em 21 de março de 2014 às 18:20:06»
Legal seu comentário, Edgar! Eu não fazia ideia.
Edgar Rocha em 21 de março de 2014 às 18:00:27»
Mas, estes não são "autênticos" vira-latas, né? O nosso vira-latas é registrado como "podengo-crioulo" e é considerado uma raça semi selvagem. Ele possui um padrão muito bem definido e descende de três raças muitíssimo primitvas: o basenji (trazido por naivios negreiros), o podengo português (cão celta-fenício com mais de três mil anos de registro) e o aracambé (única raça conhecida de cão indígena em território brasileiro, aparentado com o chiuaua, porém, um pouco maior e ainda comum na região Norte do Brasil). Portanto, nosso vira-latinhas tem ascendência nobre e padrão muito bem definido pela mãe natureza, graças à seleção natural. sabe aquele cachorro que você vê perambulando pelas ruas de Porto Alegre, aí você paga um avião e vê um idêntico andando pelas ruas de Manaus (sem que ele tenha pego carona contigo, lógico)? Então, ei-lo!

Fica a sugestão de post: o podengo crioulo.