Faça o seu comentário

:

:







Comentários

.Tyr em 08 de abril de 2014 às 08:58:27»
Vendo e respondendo.
Sim. De amor morre-se sim
Antonio ... Pereira, 69 anos. Hoje.
Dona Inês... Pereira, 64, 22 dias atrás.

Acho que fiquei velho rápido demais.
avatar
Angelina em 03 de abril de 2014 às 16:07:30»
Só não sei se diferenciam ai o "coração" ou "alma" com a psique ou mente. É difícil definir o que é alma, ou " o que vem do coração", mas entendo mais quando dizem que o que sentimos vai interferir no corpo. Me parece meio óbvio...
avatar
LukeSchimmel em 03 de abril de 2014 às 12:06:22»
Existem drogas que induzem sensações parecidas com amor, e dá para ter overdose delas.

Não entendo porque poetizar tanto o amor...

Já amei e amo mas nunca pensei em morrer por isto. Talvez morrer por aqueles que amo... valorizo mais o alvo que a ligação.
avatar
headbanger em 03 de abril de 2014 às 10:35:35»
Tudo o que acontece na alma repercute no físico.

Emoções fortes podem repercutir no disparo do coração, raivas reprimidas geram uma bela gastrite, entre outros casos.

Mas voltando ao post, acho que ninguém morre por amor. Amor é vida, é criação.

O que é possível é morrer de depressão (ou estresse) por não saber lidar com uma perda repentina.

As pessoas não sabem lidar com as suas emoções. Vejo isso dentro de casa. Por mais que eu e minha esposa tentemos ser o mais corretos possíveis e disciplinados, tanto em atitudes quanto em pensamentos, sempre vejo que em alguns casos ela se descontrola e se perde numa explosão emocional, seja ela de medo, de raiva ou de qualquer outra coisa.

Talvez isso seja mais difícil para as mulheres, que naturalmente são mais emocionais.

Mas acredito que nenhuma emoção deva "explodir" sem antes passar pelo crivo da razão. E nenhuma racionalidade pode ser posta em prática sem passar pelo crivo do coração.

Deu pra entender ou enrolei tudo? lol lol lol
avatar
Brazuka em 03 de abril de 2014 às 09:10:07»
Depende!

Principalmente se a pessoa tiver propensão (muitas vezes até mesmo genética) à depressão e cair em baitas distúrbios emocionais e psíquicos mais sérios, que deve inclusive ser visto como um caso clínico patológico, tratado através de acompanhamento de profissionais especializados e experientes em assuntos da mente; da psique, como psicólogos e até mesmo os psiquiatras.

Pode morrer de várias maneiras suicidas, quando completamente cego e iludido de amor, saudade e dor mortal da perda na alma daquele alguém que se foi da sua convivencia afetiva ( e não da sua vida pois a vida continua), pois não era de verdade e pode até de fato ter sido um dia tanto assim, seu mundo e o que "parecia ser o centro do seu tudo".

Ninguém merece sofrer à toa por quem quer que seja, pois as paixões se vão, a vida continua e muitas outras doces e maravilhosas paixões, amor, carinho e afeto, de repente e a toda hora cruzam e surgem em nossos caminhos, muitas vezes até sem mesmo a gente querer, esperar ou perceber. TE LIGA E CUIDADO! sha
avatar
KaiserThel em 03 de abril de 2014 às 02:09:43»
Minha mãe sempre falou em morrer de desgosto, mas nunca entendi... E quando fiquei maior vi que era erro dela. Mas agora vejo que ela tava certa! Minha mãe é foda

E já que ninguém postou, posto a frase irônica que atribuem ao Mario Quintana

"Tão bom morrer de amor e continuar vivo"
avatar
Politico Honesto em 03 de abril de 2014 às 02:08:57»
Fico com a explicação fisiológica das reações químicas.
avatar
PadreTorque em 02 de abril de 2014 às 22:25:03»
Interessante, heim ???
Mas acho que é verdade, sim...
Se morre por amor...
Tudo vem da cabeça...
:-/
avatar
Politico Honesto em 02 de abril de 2014 às 22:00:23»
Morrem por tanta coisa.
Matahari em 02 de abril de 2014 às 21:24:41»
É muito bonito esse amor calmo e confiante de duas pessoas que se respeitam, se completam e investem no relacionamento. E parece ser tão fácil para eles o exercício da convivência!
Conheci alguns casais assim.
Interessante que essas pessoas se comunicam até pelo olhar, parece até que são duas metades de um mesmo coração e se um vai embora...como viver só com metade?
É o tipo de "amor que não se pede, amor que não se mede, que não se repete"...
...aonde você foi morar?
.Tyr em 02 de abril de 2014 às 20:04:10»
5.2.2014 - Conheci uma moça com grave problema de anorexia, pressão alta, diabetes e pasmem onicofagia. É ela roía as unhas o dia todo. Perdeu 14 kg em 25 dias.
Bastou o ex (ex?) falar com ela e melhorou 75% em 20 dias.
Motivo do término: Ele não amava mais ela.
Motivo da visita: "Responsável pelo que cativa"
Não voltaram, mas ela esta bem.

Nem todo mundo sobrevive a isso.

Mas a sensação de dever cumprido é ótima e ela voltou pra faculdade.
avatar
Angelina em 02 de abril de 2014 às 19:33:52»
Interessantes histórias...