Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Moonlight ^^ em 04 de junho de 2014 às 03:00:44»
Eu sofro desse mal e posso dizer: é a pior dor que eu ja senti em toda a minha vida, simplesmente não dá pra explicar, mas vc sente vontade de arrancar a cabeça, os olhos, cheguei a dar entrada no ps desmaiada de tanta dor, fiquei internada vários dias porque não sabiam de fato o que eu tinha, mas felizmente hoje em dia faço tratamento com neurologista e melhorou bastante
avatar
Politico Honesto em 01 de junho de 2014 às 23:36:45»
Que coisa.
avatar
PadreTorque em 28 de maio de 2014 às 12:25:44»
Jesus....
Que tenso...
Pobre gente...
:-/
Naiaraa em 28 de maio de 2014 às 10:48:24»
Consegui assistir 0:38 do primeiro video e senti uma agonia enorme. Coitados, é muito sofrimento.
L!$@ em 28 de maio de 2014 às 10:22:40»
Nossa me arrependi d ter assistido, estou chocada, me impressiono muito fácil quando o assunto é doença e não consigo esquecer... Fico imaginando alguém da minha família ou eu mesmo na situação! Muito triste.
ronaldo prado em 27 de maio de 2014 às 21:28:59»
assisti no Ndig e me arrependi
avatar
ICTUS em 27 de maio de 2014 às 18:27:48»
Eu imagino que a ciência moderna tem condições de encontrar a cura desta doença, mas como são poucas pessoas que sofrem deste mal (6%), encontrar a cura não seria algo lucrativo R$ para os laboratórios.
Edgar Rocha em 27 de maio de 2014 às 15:57:31»
Nem me empolguei pra assistir. É sofrimento demais. Não precisava disto pra ter solidariedade, né? Só que hoje o mundo está mesmo estranho. Filmar-se em agonia... o que devo fazer? Dar um like? Pelamor...

Mas, sublimando a escatologia, de fato, não há coisa pior que sentir dor e não ter outro remédio senão o tempo. Câncer, cefaleia, nevralgia do trigêmeo (putz! Nesse frio...), crise de rins, parto, coluna, artrite... Toda dor crônica derrota, desespera, mexe com a autoestima. Acho que o corpo grita quando a alma cala (filosofia de bar, mas tem algum fundamento).
sidnei em 27 de maio de 2014 às 14:56:58»
Demorou para repórter se mancar e deixar o cara sozinho.
Elson Antonio Gomes em 27 de maio de 2014 às 14:07:23»
Uma vez eu li ou ouvi (não me recordo) em algum lugar que se cada pessoa tivesse seus problemas transformados em uma pilha de papel, onde todos poderiam ver o tamanho da pilha de cada um. Cada pessoas imediatamente abraçaria sua pilha para não ter o risco de ser trocada por outra.

Se a minha pilha for menor do que destas pessoas, com certeza eu trocaria. Estranho? Não! Sofro praticamente desde que nasci, então estou calejado pelo sofrimento. Chega uma hora que vc acaba acostumando ou não dando mais importância.

Sou altruísta e também pergunto todo dia do por quê existe sofrimento.
avatar
anarosa em 27 de maio de 2014 às 12:37:56»
Minha nossa, fiquei com dor de cabeça só de ver o vídeo. Foda. cry