Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
Marya em 23 de dezembro de 2014 às 22:49:51»
Eu acho que ninguém se intrometeu porque já sabiam que o cara era solteiro, afinal toda noite ele tocava a bateria sozinho.
avatar
PadreTorque em 23 de dezembro de 2014 às 20:57:58»
Foda.....
Ninguém quer se meter...
Aï quando dá morte, vem os vizinhos e dizem "puxa, eu ouvi mas não pensei que fosse grave".
Em outras palavras: "tive preguiça de sair de casa, para amenizar a briga..."
:-/
zé rosquinha em 23 de dezembro de 2014 às 18:57:24»
Posso ser chamado de intrometido, mas de leal nunca, sempre ajudo, defendo quem está certo .
Elson Antonio Gomes em 23 de dezembro de 2014 às 18:40:07»
Muito bem feito este experimento social!

Realmente é um incomodo ver as pessoas reclamarem do barulho da bateria e não se importarem com o barulho da briga.

Eu nunca presenciei uma briga assim em uma residência vizinha, mas tenho certeza que se um dia acontecer eu irei meter o pé na porta e intimar o que está ocorrendo. O problema é que a mulher vai proteger o homem e eu vou ficar como besta, mas mesmo assim, se não no mesmo dia, no máximo no dia seguinte irei à delegacia da mulher da minha cidade e contaria o que aconteceu.

E eu disse que o problema é a mulher proteger o homem e eu ficar com cara de besta pq já passei por algo parecido. A diferença era que a briga não acontecia numa residência, mas sim na rua. E já vi três vezes: a primeira me intrometi e a mulher começou a chorar depois que eu comecei a bater no covarde. Aprendi! Na segunda fiquei assistindo a quatro metros de distancia, louco para arrebentar o cara, mas me segurei, pois sabia no que iria dar e deu. Apareceram outros caras e bateram no covarde. A namorada agredida entrou na frente chorando pedindo para parar. A terceira faz duas semanas. Estava indo raspar a careca e me deparei com um casal discutindo mais calorosamente. Como tenho espelho e sei que minha cara não é de bons amigos pensei em passar bem do lado só para ver se baixava a temperatura. Conforme me aproximei escutei o covarde falar que foi por isso que ela tinha apanhado da última vez. Continuei na minha intenção de amedrontar os dois, mas me veio o pensamento se a mulher já tinha apanhado do covarde, o que ela estaria fazendo com ele de novo. Eles nem se importaram comigo e segui o meu caminho despreocupado pq tinha uma obra próxima e os pedreiros estavam de olho.

Fica difícil quando vc quer ajudar e a mulher não quer ajuda. No segundo caso que eu estava a quatro metros de distancia, os dois me viam, pois apesar de não me intrometer meu altruísmo não deixaria ficar parado se as coisas caminhassem para algo mais grave. A menina me via e poderia pedir ajuda, mas não quis. Quando a coisa fedeu, ela protegeu o agressor dela.

Creio que as mulheres precisam decidir se querem apanhar ou não.

Agora uma briga que compraria com gosto e que ninguém está se importando é o que está acontecendo com as mulheres no Oriente Médio. Pq ninguém está se importando com isto?

http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/iraque-escravas-sexuais-do-estado-islamico-tentam-suicidio,9fe0c8663b47a410VgnCLD200000b1bf46d0RCRD.html

http://noticias.terra.com.br/mundo/fui-vendida-por-r35-como-escrava-sexual-do-ei-diz-mulher,89b5e0a91257a410VgnCLD200000b2bf46d0RCRD.html