Faça o seu comentário

:

:







Comentários

.Ester em 17 de dezembro de 2015 às 07:20:34»
Que pontaria!
avatar
Haiduqque em 17 de dezembro de 2015 às 00:38:41»
Para perceber este caso, há algo que todos têm de entender:
É insuportável para a maioria dos poderosos e milionários deste mundo a idéia de serem tratados pela lei de forma igual a qualquer "pé-descalço". Se tudo brilha à sua volta, se não sofrem apertos no ônibus, não esperam no hospital, se todos se vergam à sua importância... por que razão a lei os discrimina? Por que razão tem a lei de ser igual para todos, se em tudo o resto os ricos são diferentes e favorecidos?
Se nos poucos casos em que algum poderoso vai parar a uma prisão fica sempre em cela VIP, nunca amontoado com a plebe, e todos nós aceitamos isso como normal... por que razão não ir um pouco mais longe e impedir que a sua dignidade e importância seja vexada?
É assim que eles pensam, pois é assim que se habituam a viver. O povo, com a sua submissão e indiferença, faz eles acreditar que estão acima de tudo e eles depois... acreditam. E depois acreditam também que a lei é apenas para o povo se entender entre si.
É injusto que alguns não respeitem os poderosos e importantes, insinuando que eles têm de submeter à lei dos pobres.
avatar
Rex em 16 de dezembro de 2015 às 18:29:03»
Eu até entendo que existe sim mulheres interesseiras, que forjam estupros para conseguir uma graninha, mas esse não é o caso. Essa mulher foi estuprada enquanto dormia (o estupro é um ato covarde por si só, mas fazer isso enquanto a pessoa dorme é uma coisa que não tenho nem palavras), e essa desculpa só "colou" por que o juiz ganhou uma grana preta pra liberar esse bosta. Agora fico pensando, será que essa foi a primeira vítima desse canalha? Ou existe mais por ai.
Elson Antonio Gomes em 16 de dezembro de 2015 às 17:26:13»
Admin, não é "deliberando em privado", mas sim "contando o dinheiro em privado".
Me lembrou o caso do juiz italiano que inocentou um estuprador pq a calça que a vítima usava era muito apertada para o réu ter conseguido tirá-la.
A Justiça está falida no mundo inteiro.