Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Alfasilas em 25 de outubro de 2016 às 08:48:26»
Mas nos vemos sequencias de fotos e GIFs com frequencia menor, não parece um filme, mas da para ver a sequencia de movimentos
Marcelo Pacheco de Almeida em 13 de outubro de 2016 às 13:54:28»
Observem a pupila do bichano, kkkk
Junico sem login em 11 de outubro de 2016 às 22:22:12»
A taxa de atualização de uma TV digital se relaciona com a quantidade de imagens que ela mostra a cada segundo e não de FPS. Televisão digital não tem varredura. Se você ver um monitor digital com taxa de atualização menor que 40 Hz, seu cerebro vai perceber o surgimento de flickers e imagens "borradas" e repetitivas, assim como os animais. Muitos monitores de computador permitem alterar a atualização da taxa em suas configurações, tente baixar para 33 Hz e verá como funciona. O mesmo pode acontecer se a ténica de processamento de atualização for falsa, apresentando uma tela preta intermitente.
avatar
sol em 11 de outubro de 2016 às 20:09:18»
lol
quero lá saber de frequência ou sei lá o quê.
O susto foi igual aqui. Ele deixou até um tufinho de pelo pra trás na hora do pulo.
Olivio Roberto em 11 de outubro de 2016 às 19:43:35»
Essa parte " Para que vejamos a ilusão de movimento produzida no cinema ou na televisão é provocada uma sucessão rápida de imagens estáticas, no mínimo a uma frequência de 40 Hz (isto é, 40 imagens a cada segundo)." não faz sentido. Para nós seres humanos mesmo um filme com (baixa) taxa de 18 quadros por segundo é razoável, sem contar que os filmes em geral são filmados a 24 quadros por segundo.
Em relação as TVs o assunto é mais complexo, pois depende do tipo de sinal. Nas TVs analógicas do Brasil (padrão Pal-M) eram de 30 quadros, 60 campos (para evitar que a imagem cintilasse, primeiro "varre-se" a tela nas linhas ímpares, 1° campo, depois as pares, 2° campo, para formar um quadro dos 30).