Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
sol em 03 de julho de 2016 às 10:20:54»
Adoro textos assim.
Eu sinto um aconchego gostoso.
Deve ser nostalgia dos tempos em que a gente conhecia as pessoas que moravam no mesmo bairro ou pelo menos na mesma rua.
Hoje nem todos os moradores da mesma rua eu conheço pelo nome. E olha que a rua tem uma quadra só.
Das figurinhas carimbadas de todo bairro nós tínhamos o Seo Pedro pinga, mulato franzino, pedreiro de segunda à sexta, pinguço no sábado e domingo.

A mãe do Seo Pedro era uma negra fortona que viveu, creio, até mais de 100 anos e que ia à pé até o centro da cidade quase todos os dias. 5 Km.
Seo Pedro tinha filhos à rodo e um deles, Davi, ele deu pra minha mãe e meu pai batizarem.

Numa manhã de inverno por volta de 1980 chegou a notícia que ele havia exagerado nas doses na noite anterior de cachaceira e foi encontrado morto por hipotermia na beira de uma rua do bairro.

Cada padrinho daqueles meninos ajudou como podia na criação deles.
O tempo passou, meus pais venderam a casa enorme depois que os filhos foram casando e perdemos todos de vista.

Reencontrei o Davi. Trabalha como padeiro na panificadora perto da minha casa. Nós nos emocionamos com as lembranças.
avatar
Moonwalker em 11 de março de 2011 às 16:36:13»
Dia 149? Hehe, legal mrgreen
Eu não sou doador, mas tudo bem. Ajudo de outras formas.
Lalah em 25 de março de 2010 às 01:17:48»
esse ano completo 18.. dia 149 de maio vou ao hemocentro doar sangue..e vou me lembrar do zé do pó
suzete cardozo em 18 de agosto de 2009 às 11:57:54»
Acho que Zé do pó, ñ tinha muita opção, mais tinha um coração enorme, um gesto apenas o definiu.
Yako em 18 de abril de 2009 às 12:26:53»
Ah! Me lembrou de meus tempos de criança - do Pereirinha, o bêbado sujo, barbudo e descalço que morava na Rua alberto Cortez, em Osasco. 1970 + ou -.
Apesar de tudo ele era engraçado, tinha uma cara simpática por trás da barba branca. Uma noite bebeu tanto que dormiu embaixo da roda de um caminhão de areia, que estava estacionado em frente ao bar, depois do mesmo ter fechado.
De madrugada o motorista ligou o caminhão e saiu. Até que notou um solavanco na roda traseira, mas foi embora assim mesmo. E assim acabou a miserável vida do Pereirinha.
Luciete em 19 de fevereiro de 2009 às 15:54:25»
Adorei esta história. Na minha cidade também tinha um "zé do pó" que na verdade era conhecido como Cabelo Loiro (pois certa hora do dia, sempre passava, bêbado, cantando esta música). Não sei o que aconteceu com ele, mas um dia sumiu e ninguém mais soube dele.
erick luiz coelho em 13 de fevereiro de 2009 às 18:13:05»
parabens pela sua iniciativa.deus te recompensara um dia com certeza.doar sangue deveria ser uma obrigacao de todos.
marcello em 05 de janeiro de 2009 às 23:25:20»
Lenda urbana ou não .......exemplo muito nobre.... eu conheço um tipo de "zé do pó" aqui na minha cidade.
Posso dizer EXCELENTE pessoa.
Ps. Amigos só bebam com moderação...........

Ahhh lí sobe um novo medicamento contra alcolismo.

Olivier Ameisen, um dos mais conceituados cardiologistas do país, alega que ele mesmo conseguiu abandonar o vício usando uma droga hoje receitada para relaxar os músculos chamada baclofen.
GEE em 29 de novembro de 2008 às 14:50:09»
ZE DO PÓ FOREVEEEER!!!
AUAHUHAUAHAUAHAUAAHUA!!!!
ADOREI A HISTORIA!!!!!!!
Stefano Torres em 14 de setembro de 2008 às 09:05:32»
Muito boa a história mesmo.
Concordo com a Daniela, vale a pena comentar smile
Amanda em 12 de setembro de 2008 às 14:36:51»
Bha que história. O Zé do Pó é o cara. Mas essa de cortar o próprio galho que estava sentado. Eitâ Zé hehehehe.
Mas le conseguiu dar uma lição de moral na cidade inteira com um simples jesto de humildade e caráter.

Agora falando da doação de sangue acho isso muito importante. E parábens porque vejo que vocês tentam influenciar as pessoas a doar sangue acho isso muito bom.
TATIANE em 03 de junho de 2008 às 16:51:47»
gostei muito da história, alguém que ninguém dava nada, de repente serve de lição p/ tanta gente que diz ter conciência......amei, valeu ZÉ DO PÓ clap clap
Alexandre em 16 de janeiro de 2008 às 22:00:32»
A vida tem seus altos e baixos, não que Zé do Pó fosse um exemplo de pessoa, mas pelo menos ele tinha "consciência social" smile
que muitas pessoas sãns de consciência não tem.

Verídica ou não, realmente é uma bela história ;D
_Maga em 18 de outubro de 2007 às 11:12:13»
bah... que história...

o ser humano é sempre surpreendente...

(tanto para a sapiência quanto para a estupidez. Contraditórios somos todos, humanos!)

beijos
Li Garone em 22 de julho de 2007 às 01:15:40»
Bela história!
Léu em 20 de julho de 2007 às 17:59:26»
Aahuahuauah Graaaaandee Zé do Pó!!!
eu me incluo desde já no grupo de doadores, não só de sangue, mas de orgãos tambem
quero que meu enterro seja simbólico, pretendo doar tudo que puder ser "reaproveitado" hehehe
belíssima historia
me comoveu huAhuahuahua
Thiago em 20 de julho de 2007 às 16:38:11»
Nossa.....acho que só eu e essa Daniela vamos comentar.....muito bonita a história...verídica ou não......Parabéns!!!! clap
Daniela em 20 de julho de 2007 às 16:15:52»
Resolvi comentar, mesmo depois de tanto tempo
mesmo que ninguém leia, mas achei bonita a história, por mais banal que pareça neutral
andressa em 25 de março de 2006 às 14:03:57»
doar sangue e muito importante parabens pelo ato d\que vcs tem em influenciar as pessoas a doar sangue cool