Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Edgar Rocha em 25 de janeiro de 2014 às 03:56:49»
Voltamos ao malthusianismo do início do século XX: certa dose de desigualdade é positiva pois resulta "essencial para detonar crescimento e progresso, recompensando àqueles que possuem talento, que desenvolveram habilidades, e a ambição de inovar e assumir riscos ao empreender". Ou seja, a desigualdade não é problema, simplesmente está na dose errada, sendo capaz de colocar em perigo o sistema. Para mantê-lo, será necessário tomar providências. Perigo! Medo! Já que, pelo que lembro da cartilha malthusiana, uma boa guerra, uma catástrofe natural, uma epidemia, daria conta do contingente excedente de miseráveis capaz de abalar a estrutura do sistema. Alguém tem alguma dúvida de que estes poucos detentores de metade do dinheiro do mundo não desejam algo neste nível? A julgar pelo discruso recorrente pela internet à fora, tal linha de raciocínio já anda pairando sobre as cabecinhas mais influenciáveis. Sinal de que, mesmo que de forma subliminar, o discruso catastrofista já é um fato.
avatar
Semiramis em 22 de janeiro de 2014 às 20:26:22»
Concordo plenamente com o DanielWaos. Disse tudo.
L!$@ em 22 de janeiro de 2014 às 02:11:17»
Esse é um dos pontos onde não me faz duvidar muito da conspiração das 13 famílias rsrsrs
Rogério em 21 de janeiro de 2014 às 21:39:10»
o futuro da capitalismo é este, embora o capitalismo ainda seja o menos pior dos sistemas (socialismo, comunismo...etc), infelizmente oq gera isso não é o capitalismo pura e simplesmente, mas a exploração da mão de obra, os salários baixos, o lucro a todo custo cada vez maior. metas..metas.. a igualdade nunca vai e nunca deve existir, mas a exploração é diferente. ver exemplo da China...qual leitor do Mdig conseguiria viver com um de nossos salários mínimos... ou será q todos devemos ser gênios empreendedores, com uma ideia fantástica por dia, como sugere o relatório ai em cima?
André em 21 de janeiro de 2014 às 21:39:10»
Trabalhamos 8 horas por dia para alimentar o bolso desses afortunados 1%.

Oh mundo desigual...
avatar
DanielWaos em 21 de janeiro de 2014 às 17:14:06»
Estou de acordo com Haiduqque...Obrigado, Futebol, novelas e outras formas de estupidificação e controle de massas.
Ainda acrescentaria, funk, rolezinhos, bbb, e o povo em geral, políticos (até onde sei) não são alienígenas, são pessoas como eu e você que por alguma sorte ou malícia ou seja o que for foram para onde estão, mas antes de acusa-los lembre de onde eles saíram, do povão, ou da elite que seja de qualquer forma são humanos. Longe de querer defender eles, o que tento dizer é que se da noite para o dia sumissem todos, mais um dia bastaria (ou nem isso) para outros iguais tomarem seus lugares e assim continuarem o ciclo vicioso. Uma vez que se tem poder, dinheiro ou ambos o ponto de vista muda, as convicções também. Não conheço alguém que eu colocaria minha mão no fogo pelo mesmo. Não votaria em ninguém, seja um desconhecido ou da minha família. Pois independente de quem seja o fim é sempre o mesmo. Me incluo nisso também antes que alguém o faça. Enfim, não acredito na humanidade, em revoluções, em santos e milagres, como disse o luke eu também vou me censurar por aqui, porque se for publicar tudo o que penso ... É melhor não Hugs Obama \o/
avatar
LukeSchimmel em 21 de janeiro de 2014 às 16:59:01»
Natureza humana. E depois, não funciona assim: equilibre as coisas e não demorará muito para que outros comecem a tomar vantagem. Pessoas espertas (e/ou maliciosas, mas nem todas são) podem ter nascido na lama mas deitarão no ouro se quiserem.

E vou me censurar, por que já escrevi 8 rascunhos para esse comentário mas que não ouso publicar. Há pessoas incapazes de interpretar textos, o que só causaria problema.

Mas qualquer coisa: se todos fossem iguais, não viveríamos em sociedade mas sim em um rebanho de gados. Negar que há diferenças entre as pessoas é, de maneira paradoxal, uma repreensão e um ato contra um povo porque nega as individualidades de um povo.

Ah, o mundo precisa de diferença entre classes sociais para se manter girando. Claro que nem de longe precisa ser tão acentuado, porém todos nos sabemos que humanos não são contos de fadas e ninguém é o Batman para SEMPRE conseguir que algo dê certo por esperar que os outros façam algo.
Roberto G Lobo em 21 de janeiro de 2014 às 16:52:08»
A educação de alta qualidade é o caminho para que as pessoas se libertem da pobreza e da necessidade de assistência de governos corruptos, ineficientes e centralizadores, como este que temos do PT (ops, pessoas educadas não precisam de assistência, assim vão votar com a sabedoria do cérebro e não com a burrice do estômago e tripas).
avatar
Haiduqque em 21 de janeiro de 2014 às 16:39:04»
Obrigado, Futebol, novelas e outras formas de estupidificação e controle de massas.
.Tyr em 21 de janeiro de 2014 às 15:24:34»
E eu pensando que o CN era vago nesse assunto...
avatar
Confortably Numb em 21 de janeiro de 2014 às 15:10:03»
Pois é... e o pior é que não vejo esse cenário mudando daqui pra frente.
O que muito me preocupa falando em nosso país foi dito no texto: "Quando a riqueza se apropria da criação de políticas governamentais, então as regras tendem a favorecer os ricos, geralmente à custa do resto da população."

O atual modelo de financiamento das campanhas políticas estão colocando no planalto meros fantoches de grandes grupos empresariais e outros clãs endinheirados da sociedade que bancaram suas campanhas...
Essas 'bancadas' formadas por interesses comuns discutem concessões, privatizações e licenças milionárias rapidamente e na calada da noite, enquanto simples obras de infraestrutura para a população se afogam num mar de uma burocracia colonial e patética. rolleyes
avatar
Politico Honesto em 21 de janeiro de 2014 às 14:56:06»
Tentar reverter essa situação, visando ao equilíbrio, é praticamente impossível, pois "todos querem a sua fatia do bolo" e a corrida para pegá-la, além de não ser justa, leva a mais disputas. Quem está no topo não pretende dele descer e, portanto, as chances de ascensão daqueles que pouco ou nada tem tornam-se remotas, visto que não há "espaço" para todos, ao mesmo tempo. Além disso...
"Quando a riqueza se apropria da criação de políticas governamentais, então as regras tendem a favorecer os ricos, geralmente à custa do resto da população."