Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Hebert em 16 de fevereiro de 2013 às 04:28:06»
Ó..... Edgar, acho que foste muito infeliz com a sua patada, uma vez que Zuzo Ben, propositalmente, fez uma crítica digna de ser listada entre as demais citadas acima.....
avatar
Angelina em 30 de janeiro de 2013 às 21:16:53»
Nunca serei boa crítica, não tenho opinião formada para nada.
avatar
Politico Honesto em 26 de janeiro de 2013 às 20:19:18»
Epic. V
Edgar Rocha em 26 de janeiro de 2013 às 19:45:38»
Profético, Zuzu Ben! Quem sabe a gente troca por algum blog engajado em política, religião, cientologia, BBB... tudo isto é muito profundo e ótimo pra ser discutido com pessoas especiais. Além do que, são assuntos tão pouco comentados e divulgados pela mídia, que seria preciso um lugar específico pra colher informações ou trocar ideias com o contingente atuante, participativo e intelectualizado desta nação varonil. Enquanto não mudamos de blog, que tal sentir o doce e suave sabor da glicerina com soda cáustica disponível num cantinho qualquer do tanque de vossa iluminada genitora?
ZuzoBem Gara em 26 de janeiro de 2013 às 19:24:21»
-Este blog é fútil e só tem mais de 3 meses de vida.
Depois disso os leitores se desinteressarão por ele.
JM em 26 de janeiro de 2013 às 17:22:52»
Chaplin sobre o cinema sonoro: "O som é tão necessário aos filmes quanto as letras em relação as sinfonias de Beethoven".
Não estava errado.
avatar
KaiserThel em 26 de janeiro de 2013 às 01:38:46»
A língua é o chicote do corpo, como costuma dizer minha mãe!
avatar
Sentinela em 25 de janeiro de 2013 às 22:50:43»
À parte dessa liça, o livro Alice no País das Maravilhas é muito bonito, na minha opinião. Mas nenhum dos filmes lhe fez jus.
avatar
Sentinela em 25 de janeiro de 2013 às 22:48:56»
A de Alice no País das Maravilhas não achei tão infundada assim. Não estou subestimando as crianças (é claro que elas entendem), mas o livro tem sim algumas complicações que o tornam um livro no qual se deve prestar atenção. E, na época que foi feito, era incomum que se esperasse tanto de crianças. Grandes mentes da época podem ter sido sabotadas com o "deixe de ler, vagabundo, e vá arrumar um trabalho braçal que ajude a sustentar a família".
avatar
LukeSchimmel em 25 de janeiro de 2013 às 20:03:55»
Na verdade, a única que me surpreendeu foi o do Byron... bem, até que nem tanto.
O resto, tirando algumas, só digo que perderam algumas boas oportunidades.
Edgar Rocha em 25 de janeiro de 2013 às 17:59:42»
Acadêmicos ou teóricos de qualquer área vivem na fogueira das vaidades. Mas, acho que temos que fazer justiça. Enquanto o crítico muitas vezes é levado a analisar a partir de referências canônicas, de regras consagradas as quais se submete, o artista, por mérito e por necessidade, tende a subverter as regras e inovar para sentir-se consonante com o público, tendo o artista maior contato com este do que obviamente, o crítico. Parece-me que a crítica voraz como este conjunto apresentado tem mais utilidade como termômetro da necessidade de inovação e do autoritarismo inerente ao meio em que esta se circunscreve. Além do que, muitas destas críticas advêm de autoridades com conhecimento de causa e prática, como pudemos observar. E os criticados, provavelmente, sentiram-se igualmente injuriados diante do novo que os sucedeu. Faz parte. E o fiel da balança sempre acaba sendo o público.
avatar
Led Franzoso em 25 de janeiro de 2013 às 15:56:14»
Depois o Chaplin se rendeu ao som e o utilizou de uma maneira foda em "O Grande Ditador", mas muitos cineastas se foderam com essa evolução do cinema. Um cara que vestiu a camisa contra o cinema falado e escreveu um puta artigo explicando os motivos de evitar ao máximo este recurso foi o genial Eisenstein.
avatar
Led Franzoso em 25 de janeiro de 2013 às 15:48:29»
hehe, teve a crítica que Machado de Assis escreveu para "O Primo Basílio" de Eça de Queirós, na qual ele estraçalhava o trabalho do portuga.
avatar
Moonwalker em 25 de janeiro de 2013 às 15:39:41»
A de Chaplin eu até concordo. É legal assistir um filme com som, claro, é bem melhor do que sem som. Mas não quer dizer que seja algo realmente indispensável.
avatar
msp1500 em 25 de janeiro de 2013 às 15:19:32»
São as pegadinhas da vida em cima de pessoas que se acham senhores da razão.
avatar
Politico Honesto em 25 de janeiro de 2013 às 15:06:44»
Lembro de críticas sobre os - futuros - computadores e aviões.