Faça o seu comentário

:

:







Comentários

zé rosquinha em 29 de setembro de 2014 às 23:24:15»
N gosto dessas besteiras,tem que crescer mesmo que tenha 100 anos tem que parar de ser criança,se um te processa,te mata,nunca mais fala com vc por mandar corrente.
avatar
guizul em 24 de dezembro de 2010 às 02:17:01»
Quebre estas correntes biggrin
avatar
Brunin em 30 de dezembro de 2009 às 15:27:06»
eu tbm odeio correntes, mas essas...são muito massas...principalmente a que tem que enviar o email a 5096 pessoas em 5 segundo...hasuashusa
avatar
Perfect em 30 de dezembro de 2008 às 19:41:09»
cara eu odeio correntes, eu só encamio um email se for uma piada ou alguma coisa engraçada, pq eu tenho certeza que mais ninguém gosta de recebe essas porcarias!!!
ma
Sentinela em 30 de dezembro de 2008 às 19:03:24»
Estive fazendo um levantamento de todas as baboseiras, idiotices e porcarias que me enviaram pela Internet e observei como elas mudaram a minha vida:
Primeiro deixei de ir a bares e boates com medo de me envolver com alguém ligado a alguma quadrilha de ladrões de órgãos e que me roubem as córneas, rins ou baço para vender na Internet.
Assim, deixei também de ir ao cinema com medo de sentar-me em uma poltrona com seringa infectada com o vírus da AIDS.
Depois parei de atender ao telefone para evitar que me pedissem para digitar *9, minha linha ser clonada e eu ter de pagar uma conta telefônica astronômica.
Acabei dando o meu computador, porque iriam me presentear com o modelo mais novo com tela de plasma-in da Apple que nunca chegou. Então tive de comprar outro, mas abandonei-o em um canto com medo que as microondas me dessem câncer no cérebro.
Deixei de comer vários alimentos com medo dos estrógenos.
Parei de comer hambúrgueres porque eles não são mais que carne de monstros horríveis sem olhos, cabeludos e cultivados em um laboratório.
Parei de beber Coca-Cola, porque, como derrete até aço, poderia furar meu estômago, ou, Deus me livre, corroer as paredes do meu intestino.
Aproveitei e abandonei o hábito de tomar qualquer coisa em lata para não morrer pela urina de um rato.
Deixei de ir aos shoppings com medo de roubarem a minha carteira e gastarem todos os limites do cartão de crédito. Ou colocarem alguém morto no porta-malas do meu carro.
Eu também doei todas minhas poupanças à conta de Brian, um menino doente que estava a ponto de morrer umas 700 vezes no hospital.
Participei arduamente de uma campanha contra a tortura de alguns ursos asiáticos que tinham a bílis extraída, e contra o desmatamento da floresta amazônica.
Fiquei praticamente arruinada financeiramente por comprar todos os antivírus existentes para evitar que a maldita rã da Budweiser invadisse o meu micro ou que os Teletubies se apoderassem do meu protetor de tela.
Deixei de fazer, beber e comer tantas coisas que quase morro desnutrida.
Cansei de esperar junto à minha caixa de correio os R$ 150.000 que a Microsoft e a AOL me mandariam na participação de rastreio de e-mails enviados. Tampouco chegou o computadoe que a Apple prometeu, muito menos a passagem para a Disneylândia.
Quis doar os meus bens para a instituição beneficente que recebe um centavo por cada pessoa que anota seu nome na corrente pela luta pela independência das mulheres no Paquistão, mas não pude entregar porque tive medo de passar a língua sobre a cola na borda do envelope e me contaminar com o antraz, segundo haviam me informado por e-mail.
Também não ganhei um bilhão de dólares, não conheci o Orlando Bloom pessoalmente e nem fiz uma turnê com o elenco de “Harry Potter e o prisioneiro de Azkaban”, que foram as três coisas que pedi como desejo quando recebi e encaminhei o Tantra Mágico totalmente seguro e 100% confiável enviado pelo Dalai Lama lá da Índia.
Passei a fazer as mais absurdas contas com todos os números que estão na minha vida (cep, nºda mimha casa, da minha quadra, meu manequim, meu nº da chamada, telefone, essas coisas) para ver se davam 666. E, como se não bastasse, acabei acreditando que tudo de ruim e de injusto que me aconteceu é porque quebrei todas as correntes ridículas que me enviaram e acabei sendo amaldiçoada.
Resultado: estou passando fome, entrincheirada, obcecada, desiludida. E o pior: estou ficando paranóica.
NOTA IMPORTANTE: Se você não enviar esta mensagem a pelo menos 10 pessoas a cada 16 horas por duas semanas, nada irá te acontecer. No entanto, as mentiras e baboseiras continuarão infernizando a sua vida em 2009 por falta de informação e esclarecimento. Espero que você quebre essa corrente.
alberto em 29 de dezembro de 2006 às 22:36:17»
nao gosto muito de comentários mais vou dizer....
q nao entendii..já q nao li...
caso alguém queira converssar...
alberto_cg_rj@hotimail.com....
xauzinhuuu
kelly em 28 de outubro de 2006 às 22:20:22»
hauhauhauhauhauhau mas sinceramente, se eu recebo msg, eu envio às pessoas necessárias... afinal, melhor prevenir, neah? wink lol bjinhos pla vocex!!!
ANDREIA em 26 de janeiro de 2006 às 15:22:07»
QUE MERDA DE CORRENTE MEU QUEM INVENTOU ISSO TEM QUE MORRER......QUE PORRA.
Muito P* da vida... em 16 de julho de 2005 às 23:57:38»
Porra, corrente é uma merda. Essa de mais de umas 3 decadas a tras eu recebi e pensei a mesma merda.
O pior é que uma desgraçada de uma amiga minha que é religiosa acredita nessas merdas e me manda essas porras...
Vai pra PQP quem inventou essas desgraças
evil
PQP em 16 de julho de 2005 às 18:19:03»
vou fazer uma corrente dizendo que se alguem receber outra corrente e responder ao que ela pede, a pessoa vai ficar com um tumor no cérebro, talvez assim essa imbecilidade pare de encher minha caixa postal
HughosThozO em 12 de julho de 2005 às 13:17:50»
Aheuaha, sensacional...