Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Osaminha em 16 de julho de 2013 às 18:12:05»
Não existe trabalho ruim, o ruim é ter que trabalhar.

Todos são doutrinados que o caminho de uma pessoa correta e de sucesso é estudar, se formar e arrumar um emprego, depois se casar, juntar as rendas, comprar um imovel, carros, etc e pronto, vão ser assalariados a vida toda, tendo que acordar cedo todo santo dia para conseguir seu sustento e se quiser mais suce$$o, vai ter que trabalhar mais ainda. Essa é a vida vivida por 90% dos casais brasileiros.

O que dizer então de quem tem filhos novos, a pessoa passa o dia todo fora de casa e quando chega, os filhos já estão cansados e com sono, a pessoa praticamente não participa da vida do filho, a babá passa mais tempo com o filho do que a mãe, chegando a casos extremos do filho chamar a babá de mãe...

Há tantas coisas boas para se fazer na vida do que ficar preso em um escritorio num belo dia de sol resolvendo problemas dos outros e sendo cobrado constantemente.

Eu não pretendo passar mais 28 anos trabalhando para poder me aposentar com mais de 60 anos... Se eu não conseguir me tornar um bom especulador financeiro até os 45 anos certamente pedirei uma redução de jornada de trabalho. Nem que eu ganhe menos, mas quero viver para mim e passar o maior tempo possivel com as pessoas que amo e fazendo as coisas que gosto.
A vida tem que ser desfrutada e não sofrida, corrida, pressionada...

Do que adianta ter um condição financeira boa com mais de 60 anos, sendo que a esta altura já terá muitas limitações para realizar coisas que sempre sonhou quando tivesse mais tempo.

Obviamente que uma pessoa com uma vida vazia mergulha no trabalho pois é sua única opção. Meu chefe me mandou um email semana passada as 22hrs de um sabado, fiquei com pena dele...

Mas eu certamente não pretendo fazer parte da grande maioria que acha que trabalhar dignifica o homem.

Essa é velha mas ainda tem muita gente que não sabe:
O segredo de uma vida tranquila não é trabalhar por dinheiro e sim botar o dinheiro para trabalhar por você.
avatar
Confortably Numb em 16 de julho de 2013 às 11:43:06»
Bom... eu penso mais ou menos como o PH disse abaixo.

Não faço no meu trabalho o que gosto, mais gosto muito do meu trabalho.

Minha filosofia é a seguinte, eu não gosto de trabalhar!!!
Porém preciso dele pra realizar as outras coisas que gosto. Em decorrência disto, procurei seguir minha carreira em algo que eu considero "menos chato". E tento fazer do meu ambiente de trabalho menos estressante e mais produtivo possível... Meu lema com minha equipe é menor esforço dispendido pro melhor resultado obtido... Hora extra é proibido por lei aqui... kkkkk
avatar
Moonwalker em 16 de julho de 2013 às 11:35:21»
É mais ou menos isso, PH... Eu sou uma pessoa fácil de agradar. Em casa, o que mais gosto de fazer é limpar o banheiro, mais pelo prazer de ve-lo brilhando depois.
Mas se eu transformar isso em trabalho - obrigação - acaba ficando chato e até nojento.
Agora, sobre trabalho secular, o grande problema no meu caso é que eu nunca gostei de sair de casa cedo, acordar antes do necessário para o meu corpo, ficar o dia inteiro cumprindo horário por conta de trabalhos que eu faço em questão de minutos... Acho que é isso que me faz não gostar muito do trabalho em si, apesar de gostar do meu.
avatar
Politico Honesto em 16 de julho de 2013 às 11:00:49»
Concordo com o raciocínio do Pulguento, mas, a meu ver, o que dá ao trabalho suas inúmeras imagens negativas é justamente fazê-lo somente por obrigação. No entanto, quando há alguma motivação prazerosa, por menor que seja, a situação é contornada. Por exemplo: ao realizar uma tarefa porque, simplesmente, é preciso, vêm o desânimo, a preguiça e a vontade de procrastiná-la. Este cenário, porém, muda, quando você encontra um motivo que "faça sentido", com o qual concorde e decide se empenhar, por vontade própria – e não mais por obrigação. Acredito que esse é um dos estágios iniciais pelos quais passam aqueles que, atualmente, gostam do que fazem.
avatar
Roberto 100 em 16 de julho de 2013 às 10:36:21»
La pergunta... fool
avatar
Moonwalker em 16 de julho de 2013 às 08:42:37»
Eu gosto do que eu faço, mas acho que trabalhar é um desperdício de tempo, de maneira que se não precisasse trabalhar, a essa hora estaria acordando numa das belas praias daqui do sul.
avatar
LukeSchimmel em 15 de julho de 2013 às 22:08:09»
Trabalhar... é chato
avatar
Politico Honesto em 15 de julho de 2013 às 20:05:29»
"O segredo não é fazer o que gosta, mas gostar do que faz."
avatar
Adryanss em 15 de julho de 2013 às 19:02:09»
"Se nas sextas-feiras a tarde você experimenta uma felicidade transbordante e nos domingos a noite mergulha em um vazio desolador..."

"Se amanhã espontaneamente resolvesse seu futuro econômico pelo resto da vida, você continuaria fazendo o que faz?"

A minha resposta para ambos os casos é sim! Bizarro, não?
Com o diferencial que o vazio começa no sábado à noite! rolleyes

Odeio o trabalho, é muito estressante, desgastante e "improdutivo", mas gosto do que faço e quando a sexta-feira acaba fico feliz por tudo o que fiz! cool
avatar
Angelina em 15 de julho de 2013 às 18:07:50»
O prazer de trabalhar, além de gostar do que faz, também está em ganhar o sustento, é como algo essencial para a vida, e geralmente, é o que dá sentido a ela.
Penso que quero trabalhar com o que gosto de fazer, sendo que ainda nem sei o que quero fazer... :/
avatar
Fabio em 15 de julho de 2013 às 17:31:35»
eu nao trabalho mas mesmo assim ja sei que a felicidade nao se compra com essas porcarias materias, sei que viverei uma vida infeliz, mas o que eu levarei comigo mesmo, serao minhas virtudes que realmente importam
avatar
Elbereth em 15 de julho de 2013 às 16:44:10»
Eu amo o que faço, amo o local onde trabalho.

Adoro as sextas a noite e não gosto muito dos domingos, mas é simplesmente porque amo passar tempo com minha cadelinha e PRECISO arrumar várias coisas na minha vida pessoal e na minha casa, fora obrigações da pós graduação, o que só posso fazer no fds. Mas não venho ao trabalho já pensando nas seis horas.

E, se eu não precisasse mais trabalhar, provavelmente não trabalharia mais onde trabalho, ou reduziria a carga horária aqui, para poder trabalhar em alguma ONG, de preferência em alguma área parecida com a que hoje trabalho. Não por não gostar do que faço, mas para poder ajudar quem precisa.
avatar
Politico Honesto em 15 de julho de 2013 às 16:42:02»
"Se amanhã espontaneamente resolvesse seu futuro econômico pelo resto da vida, você continuaria fazendo o que faz?"

Tal pergunta me lembra outra, feita pelo médico e palestrante Lair Ribeiro, numa de suas colunas: "Se o trabalho não fosse obrigatório para garantir seu sustento, você continuaria trabalhando?".

Há mais de uma variável a se considerar, para responder à pergunta do título do post: satisfação com as tarefas, com o ambiente de trabalho, com os colegas e com o chefe, satisfação pessoal, salário, entre outras – avaliações para cada uma (e, por fim, para o trabalho como um todo) dependem dos objetivos de cada um. Se pararmos para pensar, não é uma pergunta fácil de ser respondida.
avatar
cacafilho em 15 de julho de 2013 às 16:13:13»
nao estou trabalhando no momento justamente para poder conquistar a possibiliade de fazer algo q irei amar..
acho q farei parte da minoria um dia! =]
avatar
Politico Honesto em 15 de julho de 2013 às 15:49:45»
Ver este post logo agora... Chega a ser irônico.