Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
Luiz Felipe em 02 de janeiro de 2015 às 17:24:17»
War my friends. There's war coming.
Tenho fontes que dizem que em junho/julho vai começar uma guerra e vai ser feio.

Penso que vão ocorrer 3 coisas que vão mudar drasticamente o panorama que estamos acostumados desde 1980.

Os Estados Unidos estão a se tornar a nação mais vigiada e fechada. A opressão só vai aumentar e a democracia vai perder cada vez mais. De um lado empresas tradicionais querendo mais poder vão minando as ferramentas de controle, enquanto de outro lado as agencias do governo americano se aproveitam disso para ter um poder imenso, eventualmente será tarde demais.
Outros paises estão passando pelo mesmo processo. Os governos adoram esse tipo de poder, eles tem uma nova arma para o controle da população. Mas isto vai se virar contra eles e não vão conseguir controlar.
Talvez a Internet não nos salve mais, a maioria das pessoas utiliza vastas redes sociais sobre o controle de poucas empresas, a Internet como era ela em 2000 quase não existe mais, a neutralidade foi perdida nos ultimos anos.

Toda esta captura de informação exige tanta analise que o desenvolvimento de inteligencia artificial está passando por uma era dourada. A diferença é que desta vez os conhecimentos em biologia estão seguindo bem acelerado (na verdade tão acelerado quanto a lei de Moore que impulsionou a computação nos ultimos 40 anos). O resultado disso é que vai ocorrer automatização sem precedentes. Vai ser muito maior do que já se viu até agora. A proxima categoria de trabalhadores vai ficar desempregado, semelhante ao que ocorreu no começo do seculo.
Claro que com os desenvolvimentos da Fisica combinados em um novo tipo de computação vão acabar propiciando o surgimento da singularidade até o final do seculo. As maquinas tradicionais não são boas para simular redes neurais, mas os computadores quanticos só prestam para este tipo de aplicação.

O que nos leva ao proximo problema, que é o suprimento de energia e a mudança climatica. Os recursos estão se tornando cada vez mais escassos e as tecnologias para substituir a grade tradicional estão sendo guardadas e protegidas. Com o mesmo objetivo de sempre, causar escasses artificial.
A mudança climatica vai causar a quebra mundial da produção de alimentos, somente quem tem muito recurso economico vai conseguir continuar produzindo, lembre-se que está area já é bem automatizada. Toda esta complexidade vai ser atacada com agentes autonomos, uma vasta rede de inteligencias artificiais vai controlar a produção de alimento e energia, igual já ocorreu com o sistema financeiro.
Inevitavelmente conflitos vão ocorrer.

O que leva ao proximo estagio inevitavel e que já começou, modificação genetica massiva em tudo que é vivo, inclusive no proprio ser humano. Está area só não avança mais rapido porque depende de vasta inteligencia artificial para analisar a quantidade brutal de dados. Mas como tudo está evoluindo em conjunto, é a tempestade perfeita.
A humanidade ja tem muitos problemas, mas modificação genetica vai criar o equivalente a duas castas, e desta vez a diferença não vai ser religiosa, mas sim eficiencia mental e fisica. O que vai separar a especie em duas e causar mais conflito.

Todos estes fatores já estão ocorrendo e no final do seculo, a humanidade já não vai ser a mesma. Teremos seres humanos modificados geneticamente, maquinas mais inteligentes que a media da população e quem sabe que tipo de combinação entre estas 3 tecnologias.

A guerra vai ser o estopim da evolução, mas o futuro que esta sendo criado é bem pior que conseguimos imaginar em 1980.
O que vai sobrar disso é bem diferente do que existe agora, talvez este seja o ultimo seculo do homo sapiens.
Malinha em 30 de dezembro de 2014 às 19:56:51»
Foi formada uma cultura de : Brasil país do futebol! Onde muitos mamam nesse bordão. A Alemanha chegou e deixou um câncer que não tem cura, ou melhor só cura com oito, assim se torna incurável.
avatar
Marya em 30 de dezembro de 2014 às 16:36:38»
7 - É de arrebentar o coração.
avatar
PadreTorque em 30 de dezembro de 2014 às 16:31:57»
Curti as fotos...!!!
Mas a Alemanha de pé e o Brasil caído no chão foi a melhor !!!!
\o/
avatar
Marya em 30 de dezembro de 2014 às 08:30:27»
Tadinho do orangotango.
Tÿr em 30 de dezembro de 2014 às 07:05:28»
Verdade seja dita, Edgar. O cenário que aparece no horizonte é tão inócuo e improvável que falando assim qualquer um vai pensar que somos dois loucos conversando, o que não esta muito longe da verdade, mas não deixo de lembrar da história de Pearl Harbor, que se caso alguém dissesse que algo assim aconteceria - e aconteceu, pois um major da inteligência norte-americana cantou a bola - todos duvidariam do único que admitiu. "Fosse eu, sumiria de vista e quando menos esperassem atacaria com tudo". E ele, infelizmente acertou.

Bem, são somente suposições e é melhor mesmo ser somente dois aloprados conversando.

Bom dia.
Edgar Rocha em 30 de dezembro de 2014 às 00:22:39»
Talvez com alguns anos de distância seja possível traçar os caminhos deste xadrez político que nos atordoa, Tyr. Tenho acompanhado os argumentos de alguns analistas e percebo que ainda agimos como cegos tateando um elefante. Cada um "enxerga" um bicho diferente. Contudo, por mais que se discordem as posições, os prognósticos são sempre sombrios. Na Europa, a crise virou caldo de cultura pro ressurgimento de forças conservadoras (ULTRA conservadoras, diga-se), buscando culpados (em geral imigrantes), prometendo soluções mágicas, aglutinando forças em torno do ódio. Aqui na América do Sul, tenho sentido cheiro conservadorismo desde as jornadas de junho. Os blackblocs mostraram-se como milícias dispostas simplesmente a implantar o caos. As lutas "contratudoquetaí" convergem pra uma estratégia mundial de desestruturação institucional e geração de crise política artificialmente. O intuito aqui, na Ucrânia, no Oriente Médio parece ser o mesmo: incitar o descontrole para o surgimento de algo que "estabilize" a política (ditaduras, talvez). Os EUA enfrentam uma crise a qual conservadores julgam ser sanada somente com guerras e o fim deste ciclo pífio de crescimento nos países emergentes e conquista de uma certa independência econômica. É o que parece pra mim. Não sei se vão conseguir apertar o cerco contra os não-alinhados. A polarização hoje, é fato. BRICS, países árabes aliados ao Irã, países recém saídos da URSS... todos querem de alguma forma, romper a hegemonia americana. Precisam disto pra melhorar. Talvez seja um ciclo que se fecha. Vai ser dolorido. Não consigo ser otimista. No mais, é um prazer dialogar contigo novamente.
Tÿr em 29 de dezembro de 2014 às 21:59:51»
Bem pertinente o que acabou de dizer, Edgar. Existe uma grande movimentação de capitais por todo o planeta que sacudiu alguns mercados nos últimos dias. Transações vultuosas como nunca se viu em um espaço de tempo muito curto. Isso é preludio de alguma coisa maior. Países se estranhando e acusações de todos os lados. Putin perdendo as estribeiras com as sanções econômicas impostas pelos Estados Unidos e as duas Coréias agora correndo para fechar um acordo de reunificação. Sem falar aqui do cone sul da América que tem uma movimentação suspeita dentro dos países ligados ao Mercosul.

Como comentei outro dia; "Tudo o que Cassandra dizia era ignorado e só quando a profecia se cumpria notavam que ela estava certa". A guerra de Troia.
Edgar Rocha em 29 de dezembro de 2014 às 21:20:44»
Infelizmente, não tenhamos grandes expectativas quanto a 2015. Vivenciamos neste ano que passa o início de um processo o qual alguns analistas sociais respeitados e pessoas representativas na geopolítica (como o Papa Francisco) definem como o despertar sangrento de uma nova Grande Guerra. As provocações e a recente polarização de interesses já lembra muito os anos 70 e 80, naquilo que chamávamos de Guerra Fria. No entanto, dada a enorme quantidade de mortos e o número relevante de nações em conflito, pode-se afirmar que não se trata de uma mera turbulência. Não é nenhuma previsão profética. Ao contrário, é uma perspectiva baseada no que esta excelente coletânea de imagens nos revela. Fechamos o ano com a aprovação recente no Parlamento americano, com a quase unanimidade de deputados e senadores apoiando, de uma resolução que autoriza os EUA a enviar armas em apoio aos "revolucionários" ucranianos (entre aspas porque acho que onde há fascistas declarados no meio, há golpe, não revolução), cutucando a Rússia com vara curtíssima. O Governo americano começa a provocar também a China. Os doidos falcões (abutres) americanos estão doidos por uma guerra mundial. Que todos que avaliam a chegada de um ano de sombras, assim como eu, estejam errados e nenhuma loucura maior se concretize neste ano vindouro. É o melhor que podemos esperar.
avatar
Redação em 29 de dezembro de 2014 às 20:26:51»
Obrigado Nathaly. Desejamos o mesmo para você!
Nathaly Marinho em 29 de dezembro de 2014 às 19:26:40»
Olá pessoal da equipe MIDG, queria desejar a vcs um ótimo ano novo e que venha cheio de anúncios e muito dinheiro pra vcs.
Gostaria de deixar aqui minha admiração pelo tão belo trabalho desse site, que ao meu ponto de vista é um dos poucos que realmente pesquisa o conteúdo antes de postar e tem seriedade.Já acompanho vcs há uns 05 anos e sempre indico mais pessoas. Parabéns pelo belo trabalho , que me faz ficar horas no site de vcs! E que em 2015 venha Tudo de bom pra vcs!!!
zé rosquinha em 29 de dezembro de 2014 às 19:04:17»
Gostei, creio que a Malala Yousfzai merece o prêmio, porque no Paquistão, n sei se ainda, as meninas n podem estudar, quando uns anos átras ela tentou
fazer campanhas e os talibãs a tentaram matar, um cara dá 3 tiros,2 vão a cabeça de Malala a outra n sei aonde, ela sobreviveu e agora é conhecida universalmente.