Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
headbanger em 22 de junho de 2017 às 17:28:43»
Eu acho que não adianta abandonar o planeta se não deixarmos de ser parasitas.

É muito fácil exaurir a terra em poucos séculos, depois jogar fora o bagaço.

Se essa mentalidade não for mudada, a história estará fadada a se repetir.

Precisamos de um consumo mais consciente, principalmente o fim da obsolescência programada. Precisamos agir de maneira efetiva e definitiva em todas as formas de poluição. Tornar a reciclagem uma realidade.

Se mesmo utilizando todas as medidas cabíveis a Terra não for capaz de suportar mais a vida humana (o que acho pouco provável), aí pelo menos entraremos em outro planeta começando certo desde o início. Senão, o tal planeta não vai durar mais que 500 anos na nossa mão.

E se não conseguirmos nem implantar essas medidas, talvez seja melhor mesmo que a vida humana chegue ao fim na Terra.
avatar
Roger Laz em 22 de junho de 2017 às 06:07:52»
Outro dia os argumentos de um negacionista climático me deixaram em estado de vergonha alheia e me perguntei por que as teorias conspiratórias e ideias imbecis se espalhavam tão rápida e facilmente pela internet? Nesse caso em específico descobri que é porque os ecologistas “do bem” estão associados com a extrema esquerda e os negacionistas climáticos com a extrema direita. Ou seja, perde-se o viés científico em prol de ideologias fundamentalistas e foda-se o planeta, enquanto as vertentes estereotipadas do “comunista ecológico” e do “empresário capitalista malvado” se matam na internet para ver quem tem o melhor argumento (não a razão).

Porém outro fundamento que faz tantas pessoas serem cativadas pela verborreia leviana de negacionistas das vacinas e do clima, criacionistas e demais, é a sensação de que estão com a posse ou domínio de um conhecimento especial e secreto, e que ninguém mais tem. Isso permite aos “iluminados”, que muitas vezes nem têm formação acadêmica, achar que podem contradizer um especialista ou ter a petulância de chamar Hawking de ignorante. Da mesma forma faz com que mesmo que sejam expostos a claras evidências científicas contrárias, eles as ignorem. (https://skepticalscience.co...)
avatar
Nerd guy em 22 de junho de 2017 às 01:34:24»
Em relação ao comentário de que é melhor investir na terra, eu acho que faltou entender que não importa o que se faça aqui, a terra deixará de ser habitável com ou sem nossa intervenção e pode ser amanhã mesmo ou em 1000 anos.

Como o diz o artigo, a principal razão de sua proposta é que uma tarefa assim implica a união global. Implica que qualquer avanço que permita melhorar o ecossistema de outro planeta pode ser aplicado aqui com benefício a nosso próprio ecossistema. Implica criar a cultura global para aprender a viver com escassos recursos, coisa que não temos atualmente.

Implica que em vez de estar investindo recursos em guerras internas, desperdiçando não apenas recursos materiais senão também a atenção de cientistas, que poderia ser dedicada à pesquisa e desenvolvimento da sobrevivência da humanidade e não só de uma raça, nação, religião ou economia em particular.
avatar
xandy46 em 21 de junho de 2017 às 23:03:18»
Apesar de ser um pouco catastrófica, a previsão de Hawking é muito brilhante na razão pela qual pede para conquistar novos mundos. Hawking advoga por um mundo mais unido e o único objetivo comum neste momento seria algo dessa envergadura, como o próprio cientista diz: a última grande meta da humanidade na terra é salvar-se de si mesma... coisa que parece não interessar muito a Trump que não enxerga muito mais longe que seu próprio umbigo.
Junico sem login em 21 de junho de 2017 às 22:08:05»
O que o Joel recomenda é a sintropia na agricultura. Outra corrente de talibãs do pensamento que não pensa, apesar de contar em suas fileiras com alguns renomados nomes.

Este pessoal é hipócrita ao não contar que hoje somos bilhões no planeta e não só um grupo de 'pessoas do bem'. Eles também se esquecem de dizer que a maioria da população mundial morreria de fome, e todas as selvas do planeta deveriam ser devastadas (ou modificadas) porque a tal sintropia produz muito pouco.

Química básica, se a agricultura não usar fertilizantes ou adubos sintéticos, acaba com os nutrientes minerais na terra, sobretudo o potássio e o fósforo e mais sulfeto, manganês, cálcio, etc. Assim a produtividade cai vertiginosamente. Este inconveniente pode ser solucionado com a mistura de um tipo específico de rocha triturada ou farinha de ossos de peixes na terra, mas estes devem ser extraídos ou pescados, lógico. Também há a possibilidade de plantar leguminosos e deixar que apodreçam na Terra... mesmo que enquanto isso um monte de gente morra de fome.

O discurso riponga é lindo, o problema é colocá-lo em prática. Com este tipo de agricultura os 7 bilhões de habitantes da Terra hoje estariam enfrentando um grave problema de falta de alimentos. Mas a médio prazo a agricultura sintrópica funcionaria pois dizimaria grande parte da população... de fome. Perfeito!

Realmente, é inegável pensar que o físico, teórico, astrofísico e cosmologista mais brilhante de nosso tempo seja um ignorante e não saiba o que está falando. Vamos todos nos curvarmos a opiniões dos especialistas de Facebook, negacionistas da mudança climática e terraplanistas, pois esses caras sim sabem muito bem o que estão dizendo.
Teófilo em 21 de junho de 2017 às 20:55:10»
Lamentavelmente a humanidade ainda não usa a razão e a consciência assim que continua sendo um animal muito ligado a seus instintos primitivos...
Juarez Manzini em 21 de junho de 2017 às 20:34:02»
Normalmente, não costumo levar muito a sério as predições de cientistas (não antropólogos) sobre o futuro comportamento humano... mas, desgraçadamente, o que Hawking comenta é muito plausível e é senso comum em um planeta cada vez mais cheio de idiotas que dão corda para o movimento de que o homem não tem pegada de carbono e não está provocando o efeito estufa. Trump fez muito mal ao mundo, não bastasse ele ser um estúpido deu voz a milhões de retardados.
Edna Velho em 21 de junho de 2017 às 19:57:01»
Não, Fernando, mas da forma que estamos vai chegar um momento em que para viver aqui será como se vivêssemos na Lua. Também não se trata de viver na lua, se trata de motivar a todos a impulsionar o desenvolvimento espacial, estamos ainda de fraldas nesses aspectos. Além disso a tecnologia desenvolvida para o espaço termina beneficiando aqui em diferentes áreas, inclusive na agricultura, afinal de contas é avanço tecnológico.

E ainda que tenha parte da razão de investir dinheiro em melhorar o que já temos há coisas que por muito que melhoremos e dediquemos não podemos controlar ou evitar.
Fernando Lins em 21 de junho de 2017 às 19:39:49»
Não sei se Hawking já não tem nada interessante a dizer e portanto recorre à ficção científica. O pior é que lhe dão importância. Realmente é melhor viver na lua que na terra? Esse monte de bilhões que investem nestas besteiras deveriam ser investidas no planeta, em áreas de saúde, educação, conservação do meio ambiente, etc.
Joel em 21 de junho de 2017 às 18:33:48»
Impressionante como alguém tão inteligente como Hawking pode ser tão "ignorante" a ponto de afirmar tal bobagem por não entender razoavelmente o ecossistema a ele mais próximo! Esgotamento dos recursos? Aquecimento global? Enquanto não compreendermos o funcionamento natural do nosso planeta, e enquanto não nos colocarmos no nosso lugar na natureza, seguindo as engrenagens da terra e potencializando-a, de nada serve sair por aí passeando em outros planetas, nos tornando os vilões interplanetários que imaginamos antes em filmes inúmeros.
Que façamos também isso de viajar por aí, ao mesmo tempo que procurarmos entender o nosso papel aqui na terra e trabalhemos para curá-la.

Sugiro ao pessoal do Mdig um simples vídeo sobre uma visão diversa das resoluções para os nossos problemas: https://www.youtube.com/wat...