Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Grande Cabeça em 29 de dezembro de 2013 às 19:46:40»
A verdadeira teoria se baseia no entendimento da escrita cuneiforme. Porque o formato dela lembra uma ponta de algum tipo de ferramenta moderna? E se as pessoas dessa época não eram escravos de seres de outro mundo que, para se comunicarem sem entenderem o uso de linguagem moderna ou caligrafia entendida, usavam a ferramenta que lhes eram dada, algum tipo de chave de fenda para consertos de aparelhos usado na época, barro para se fazer de "papel" e a simbologia de se colocar essa ferramenta em linha de sinais padromicos e repetitivos que os humanos entenderiam uma hora?

Vai ser difícil entender, minha cabeça esta numa fase de evolução que nem eu consigo entendê-la. Gostaria de escrever uma enciclopédia sobre a Verdadeira Terra. Se o mundo não acabar como o conhecemos em 2014 eu talvez explique o que quis dizer acima.
manoel ribeiro em 09 de agosto de 2013 às 23:16:52»
justamente pela maioria ridicularizar um assunto sério;é que somos a sociedade que somos. Pobres de espirito e de conhecimento;independente de sua visao e ou opiniao a respeito de qualquer assunto que seja;deveriamos ao menos tratar com respeito e seriedade o tema; afinal realidade ; fantasia ou fanatismo; talves o pior de tudo é que seja tudo isso junto.
farihr aman em 29 de março de 2013 às 13:32:11»
Tem muito sobre maçonaria nestes livros que estão sendo publicados, acredito que o cara se mantém anonimo, e que não é o nome real ali nos livros pelo teor. eu comprei o primeiro e tem muita coisa ali. Tem coisas que ninguém conta ou quer que seja mostrado, muito conhecimento que poderia ajudar todos os cidadãos mas acaba privilegiando poucos.

http://clubedeautores.com.br/books/search?utf8=%E2%9C%93&what=maxell+egens&sort=&commit=BUSCA
avatar
Moonwalker em 04 de março de 2013 às 12:04:13»
Haha bem colocado, KaiserThel... lol
Se eu te digo que a vermelha é melhor, você pode comprar uma se quiser, usar um pouco, mas a decisão é sua...
Usar a dos outros não está com nada!
avatar
Elbereth em 04 de março de 2013 às 11:45:25»
Izabela, espero que sim. Cueca branca e/ou preta é tão demodê...
avatar
Politico Honesto em 04 de março de 2013 às 10:17:33»
Agem como a maioria dos fanáticos. V
avatar
Elbereth em 04 de março de 2013 às 10:02:00»
O maior problema dessas teorias conspiratórias é que tem muita gente fraca que acredita em toda e qualquer uma.

Não digo, de modo algum, que acreditar em teoria da conspiração é sinônimo de gente fraca. Claro que se uma pessoa estuda determinada teoria, se debruça sobre ela, pensa, questiona, e chega a conclusão de que provavelmente é verdade, essa pessoa não pode ser considerada de mente fraca de modo algum.

Eu me refiro apenas a pessoas que, basicamente, acreditam em tudo o que leem. Uma coisa que disseminadores de teorias da conspiração tem muito bem é boa retórica. Sabem construir textos, e expor fatos e teorias de modo a convencer quem lê. E saber isso é puxar a pessoa pra concordar com você, meio que dar a impressão que a pessoa chegou a essa conclusão sozinha.

Já conheci mais de uma pessoa que TODA teoria da conspiração bem escrita que lia, todo documentário sobre qualquer coisa não comprovada que via, tomava como verdade absoluta. E, se você começa a questionar a teoria maluca, ao não saber te responder, geralmente tentam te diminuir: "você não consegue ver, tudo bem, fizeram com você o que queriam mesmo".

Essas pessoas que chamo de fracas, e que me assustam um pouco.
avatar
Politico Honesto em 04 de março de 2013 às 00:46:38»
Pois é. V
Defender uma ideologia, sem invadir o espaço alheio, pode ser bom. Contudo, tentar impor aos demais... Acho que nem preciso dizer.
avatar
KaiserThel em 04 de março de 2013 às 00:21:31»
Moon... O problema não é esse! O problema é a pessoa gostar de vermelha e querer fazer com que a gente use a vermelha, sendo que gostamos da azul! E o pior usar a vermelha dele toda cagada, compreende? Foi o que eu disse por mim se a pessoa acredita em unicórnios é problema dela... Agora querer fazer os outros acreditarem em unicórnios também é outra história
Pedro Silva em 03 de março de 2013 às 23:41:24»
Acho, que estamos vivendo em uma matriz, desde que o mundo é mundo, somos influenciados. Os anúncios nos induzem ao consumo, como dizem "A propaganda é a alma de um bom negócio". Não é uma forma de domínio de massas?, as guerras mundiais não foram articuladas por governantes que queriam se sentir os donos do mundo? Penso que todos deveriam ler mais sobre a verdadeira história da humanidade para ver que realmente há uma elite dominadora e uma esmagadora mamada de pessoas sendo dominadas como gado e até mesmo sendo vista como subespécie, não precisa ser muito inteligente para ver como somos tratados no nosso país, não vou enumerar porque nós sabemos; dominação já vem ocorrendo ao longo dos tempos, e está agora se aperfeiçoando, para um futuro bem próximo poder colocar um fim na liberdade da humanidade, recomendo assistirem o filme Watchman, (obs: não me recordo se a grafia está correta). "O pior cego é aquele que não quer ver" Pedro
avatar
Moonwalker em 03 de março de 2013 às 21:59:21»
Eu voltei para ler os comentários novos e fiquei aqui pensando que quem não usa cuecas cedo ou tarde vai prender o peru no zíper e descobrir que a cueca serve de proteção.
E nem estou falando de religião, conspiração ou reptilianos. É que se você for ver, geralmente a gente acredita numa coisa que nos faz sentir bem, protegidos, sem medo do futuro. Então, na boa, use sua cueca e seja feliz. Não critique quem usa a vermelha só porque você gosta da branca. Todo mundo acredita em coisas diferentes, mas pelo mesmo motivo.
Palmas para mim pelo comentário mais sem noção do fim de semana!
clap
avatar
Politico Honesto em 02 de março de 2013 às 22:26:31»
"Existem por conta da natureza do ser humano em simplesmente não aceitar que as coisas que ocorrem no mundo tem um fator aleatorio/randomico muito grande. E por fator aleatorio, entenda-se o fator difuso da teoria do caos, para quem estudou matematica superior, não o fator aleatorio do senso comum, que é o errado."

A – já conhecida – necessidade de o ser humano acreditar que existe algo maior que ele não compreende agindo numa esfera totalmente alheia a ele e que, por isso mesmo, pode ser verdade. Se analisarmos bem, é uma tentativa, ainda que indireta e insuficiente, de superar a sensação de impotência gerada pela ignorância (falo no sentido de desconhecimento).
avatar
KaiserThel em 02 de março de 2013 às 19:27:37»
Geralmente estas pessoas não acreditam em coincidências... Acham que tudo é planejado minuciosamente, como um filme de espionagem. O que de fato é ridículo! Também estou de acordo com o admin... Acreditar é o que move as pessoas, por mim podem acreditar em papai noel, só é ridículo usar argumentos duvidosos e enganar as pessoas para fazê-las acreditar em papai noel também!
avatar
misterX em 02 de março de 2013 às 15:12:58»
Eu não uso cuecas...
O Mdig Faz parte de uma celular da nova ordem Mundial...
O fim Do Mundo esta Proximo..
Acho que vou comer chocolate....
avatar
Luiz Felipe em 02 de março de 2013 às 14:00:03»
Sobre as conspirações, não é tão dificil entender porque existem. Existem por conta da natureza do ser humano em simplesmente não aceitar que as coisas que ocorrem no mundo tem um fator aleatorio/randomico muito grande. E por fator aleatorio, entenda-se o fator difuso da teoria do caos, para quem estudou matematica superior, não o fator aleatorio do senso comum, que é o errado.
Por isso as pessoas anseiam explicações, por mais malvado que seja, elas desejam que algo controle as ações do mundo, elas precisam pensar que tudo tem um propósito, mesmo que supostamente regido por entidades maléficas.
Mas a realidade, é que são tantas organizações, empresas e grupos de pessoas indo cada um para um lado, que dificilmente existe uma estrutura por traz mantendo isso. Pois na realidade, a sociedade humana é um sistema distribuido, é um organismo sem cerebro e na verdade funciona semelhante a um fungo (existem pesquisas cientificas e several modelos matematicos corroborando isso). Por vezes ela contem niveis que quase formam uma piramide, mas essa piramide não tem o cume, ela não tem realmente um centro de comando.
Por isso penso que o que leva a surgir essas teorias conspiranoicas é o desejo de que exista um propósito em tudo o que ocorre no mundo. Mas os fatos dizem que há baixa probabilidade de que exista propósito algum, já que não há correlação, apenas ruido estatistico.
avatar
Politico Honesto em 02 de março de 2013 às 13:53:51»
Mensagem subliminar? V
avatar
Luiz Felipe em 02 de março de 2013 às 13:12:10»
Comparar fé com uma cueca foi brilhante.
avatar
Luiz Felipe em 02 de março de 2013 às 13:10:01»
É obvio que a crise na grecia se deve a sediar as olimpiadas. O mesmo vai acontecer com o brasil, mais divida para pagarmos nos proximos 40 anos.
Alessandro Max em 02 de março de 2013 às 12:00:37»
Agora compreendi Edgar. Meu post realmente pode dar a entender isso, mas é uma critica ao modo como um assunto tão importante foi tratado aqui no mdig, pelo admin (agora que vi que ele que escreve tudo aqui haha), convido-o a reaver os modos como trata o assunto ou se abster de um assunto que, por meu ver, não exige menos do que as paginas de muitos livros para ser esclarecido. Ele tentou tocar no ponto mais fraco da teoria conspiratória, a falta de provas e o numero elevado de teorias viajadas demais para serem reais, então tentei enfatizar:

""São poucos os que tem refinamento em escrever sobre conspiração, pois convenhamos, há muita insegurança no tema. Queres provas, não pode encontra-las se não pela comunhão correta das evidencias, tão esparsas, peças soltas de um quebra cabeça tão confuso""
e também
""Tenho um grande respeito a muitos estudiosos eruditos que com afinco tentam descobrir, dando a cara a bater, caminham em um campo minado. Não é uma área fácil. Costumo dizer que não há becos sem saídas no conspiracionismo, mas sim dicotomias, tantas dicotomias que formam uma arvore de possibilidades, e é preciso muito conhecimento multidisciplinar ao lidar com isso. E é bem ai que reside o maior problema, como interpretar resultados tão complexos? A insegurança domina, e nada da oficialidade as informações (alias, o que da oficialidade as informações, o núcleo midiático da ciência?). Seria lúdico demais pensar que uma mente muito inteligente estaria jogando com esses pobres tolos e rindo de toda esta desinformação?"" (apenas reavendo)

Edgar, quanto a este assunto politico corrupto que nos envolve, de quase nada compreendo. Não cheguei a tocar na base, mas foquei nas camadas mais elevadas do que acredito realmente conspirar.
Enfim, não vou me aprofundar nisso, mas acredito que nossos governantes são meros fantoches de um poder maior, como nossa presidenta, olho para ela e duvido muito que teria a capacidade de chegar a este cargo se não fosse para "atuar", o mesmo vale para todos os outros, que direta ou indiretamente satisfazem a exigências externas.
Acredito que todo este esquema de corrupção que citou seja um resultado direto disto. Quem esta envolvido nos altos escalões da politica sabe que nada é tão real quanto parece, que seu trabalho não é satisfazer os interesses de vida da população mas sim de um poder maior, seja econômico ou alguma ideologia obscura ( a qual nunca me arriscaria a discutir aqui). Então alguns realmente "tocam o foda-se" haha. Como diria raul seixas:

"A arapuca está armada
E não adianta de fora protestar
Quando se quer entrar
Num buraco de rato
De rato você tem que transar"
avatar
Angelina em 02 de março de 2013 às 11:05:34»
Essa metáfora maravilhosa já me deixou confusa, me abstenho.
Edgar Rocha em 02 de março de 2013 às 06:31:02»
Alessandro, obrigado por responder. Do jeito que colocou a primeira frase, deu a a entender que ficou enojado não pelas cuecas mas pela abordagem do tema e pelo cunho do post ao qual você se referiu na frase posterior. Pareceu estar com nojo de quem discute o assunto. desculpe se entendi mal. Quanto a ser uspiano, que bom que não entendeu. Só entende o que eu disse quem foi de lá (especialmente da FFLCH).

Quando eu me refiro ao elitismo, penso, por exemplo, nos discursos políticos ao estilo PT, que arrebata multidões e toca profundamente nos anseios da sociedade mas, nem de longe refletem as reais intenções de quem o profere, ficando a consciência sobre estas restrita a um círculo bem exclusivo que lidera o partido (quem esperava o mensalão, tendo votado no Lula?). Ficou claro, a despeito de qualquer rótulo conspiranoico, que há um esquema cujo objetivo é a manutenção deste grupo no poder a qualquer custo. Considero isto, de fato, uma conspiração. Os que foram eleitos em função de um discurso, de um objetivo e de um projeto, quando na verdade tinham absolutamente outra coisa em mente, conspiraram contra a nação, traíram o povo, os eleitores, os ideais que defendiam hipocritamente. Havia um grupo de conspiradores. E aqueles que desconfiavam antes e aqueles que denunciaram, não podem ser chamados de conspiracionistas, como se suas ideias fossem infundadas. O mesmo acontece com o PSDB, em especial aqui em São Paulo, como mencionei anteriormente, respondendo ao Administrador. Sou conspiranoico por achar que tem um esquemão mafioso no estado de São Paulo? Quem me faz pensar assim é minha epiderme. Enfim, conspiração é um ato elitista pra mim, porque demonstra um total desdém pelos que não pertencem ao grupo que conspira, mentindo descaradamente, não para seus opositores, mas para seus apoiadores. É fazer as coisas sem o conhecimento de mais ninguém, sem revelar pra mais ninguém as intenções reais de seus atos. É achar que o outro tem de se submeter às suas mentiras, por ser inferior. Isto é a base da conspiração. Se sabemos a intenção de um opositor, então ele não conspira. simplesmente é contra e demonstra isto. Perder pra ele faz parte. O jogo de interesses não é em princípio, um jogo de conspiração. A conspiração parte de dentro e contra os que acreditam e tomam por verdade as ideias que defendem. O antagonista não conspira, ele articula, ataca, critica, enfrenta. Quem conspira é quem trai, colocando a todos abaixo de suas verdades.

Forte abraço!
avatar
msp1500 em 02 de março de 2013 às 05:01:09»
Eu não sei nem o que dizer, pois nessa seara sou meio cético, e acho que essa teoria é fruto de imaginções férteis, assim como as teorias de fim do mundo.
tony tuga em 02 de março de 2013 às 04:13:46»
Confesso desde já que sou um adepto das teorias da conspiração.
Não pretendo dar lições a ninguém porque não sou professor, nem sequer licenciado. Mas esse facto não invalida que eu, assim como muitos outros que, são ávidos consumidores de outras formas de ver o mundo, sejamos totalmente destituídos capacidade critica.Há teorias para todos os gostos e feitios. Umas com uma vertente mais ficcional outras com bases mais sólidas, apoiadas em factos, com raciocino lógico, onde a hipótese colocada não sofre de "saltos quanticos" de imaginação. Por isso mesmo de intitula de teoria.
Muitas dessas mal afamadas teorias da conspiração deram origem a casos documentados. Como um dos mais famosos dou o exemplo do watergate.
É principalmente a capacidade critica do homem que origina estas formas de ver o mundo. Mas a meu ver é uma das características valiosas que temos e que mais contribui para o desenvolvimento das sociedades. O que não impede, pelo contrário, obriga a que sejamos criticos também quanto ás teorias.
É este o ponto que pretendo realçar. A critica de uma teoria depende da análise e da avaliação de quem critica. E quem critica está dependente da sua forma de ver o mundo, que tem várias condicionantes. Como por exemplo a sua instrução; a sua educação e o seu meio social.
Alguém "que para ser sincero não me recordo" disse que por cada individuo que morre, é uma explicação do universo que se perde. Traduz exactamente o que eu penso sobre as crenças. Quer sejam sobre as teorias da conspiração, sobre a religião, etc.
Para finalizar, o que me levou a escrever este comentário, foi uma critica ao "post". O titulo deveria ser rectificado por um acrescento no fim, da palavra "ridículas" ou "bizarras". Justifico salientando o facto de haver um incontável nº de diferentes teorias e que muitas delas não sofrem de "excessos" de imaginação.
A beleza da diversidade não está só no aspecto. Está também na forma de pensar.
Um abraço a todos.
Alessandro Max em 02 de março de 2013 às 01:40:01»
Edgar, por conspiracionistas me referia as pessoas que conspiram em pró de algum objetivo especifico. Ora me referi a nóia conspiracionista me referindo as pessoas que viajam em suas conclusões.

Gostei dos seus comentários Edgar, mas confesso que não compreendi bem o motivo do ultimo sobre o meu. Desculpe se pareci prolixo ou denotei aparentar certa vaidade intelectual, como lhe pareceu. Não sei exatamente se me compreendeu, o que mais é preciso para definir meus conceitos?
Me fez reler o texto e pensar muito se realmente ele transmite a ideia que eu gostaria.
Não nego o valor da discussão, muito pelo contrario, ainda discuto muito a respeito, mas depois de muito tempo estudando a respeito eu perdi toda a segurança que tinha em falar sobre , em conceituar e defender com afinco a minha posição. Se me conhecesse veria que sou um grande apreciador de "teorias da conspiração", eu realmente creio que a conspiração por trás dos eventos deste mundo é colossal , mas simplesmente considero-a mais profunda do que se possa tornar tangível para as pessoas comuns compreenderem, assim como eu ou você, mas não descarto o valor da discussão, eu vivo discutindo a respeito, mas depois de certo ponto tudo fica tão rarefeito que não se pode mais ir a diante. Este é o foco de meu discurso.
Não cobro oficialidade da informação, inclusive repudio o conceito daquilo que é oficial. O que da oficialidade as informações? Eu contestei, no sentido de contestar o dogma de que é valido apenas aquela informação que passa por “órgãos oficiais”, por assim dizer.
“”Conspirar é agir de forma elitista e sobretudo, exclusivista”” ... Discordo!
Como é horrível transformar algumas coisas em palavras, é tão limitado, mas ao mesmo tempo é apenas do que dispomos (em primeira instancia) para a comunicação.
Acho que tentar definir meus conceitos quando sei que não ha definição precisa seria algo leviano. Tentei passar uma mensagem, mas realmente não sei transmitir a profundidade que almejo para a superficialidade das palavras em um texto tão pequeno de um comentário.

Tambem não entendi por que o meu nojo por este post do mdig cheio de cuecas cagadas seja mais fruto da necessidade de endossar minhas afirmações pela coação do que qualquer coisa.?
E não sou da USP!!!!!!!!!!!
avatar
Redação em 01 de março de 2013 às 23:55:24»
Sei que não era Edgar e agora entendi o que quis dizer e dessa forma parece mesmo confuso.

Abraços Fraternos.
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 23:37:36»
Alessandro, está querendo ser mais realista que o rei. O que ficou muito clara é justamente a iniciativa em se questionar estas teorias conspiranoicas que rodam pelo mundo afora. Ninguém aqui pretendeu endossar a teoria da nova Ordem Mundial. Ao contrário, foi um esforço em desmembrar um discurso difícil, rarefeito e por isto mesmo, atraente aos que têm preguiça mental. Acredito que teu declarado nojo seja mais fruto da necessidade de endossar suas afirmações pela coação do que qualquer coisa. Me desculpe, mas é vaidade intelectual de quem deseja colocar-se acima da discussão como se tivesse a resposta definitiva (você é da USP?). Isto não leva a nada. As teorias existem, os medos existem e as conspirações, bem... tua definição sobre elas me parece superficial. O que você entende por conspiração? A teoria sobre os fatos ou o fato em si? Quem conspira realmente? Os que formulam as ideias malucas, ou aqueles que pelo seu modo de pensar, estão realmente conspirando? Os que teorizam sobre conspiração têm razão ou é só bobagem, já que conspirar é tão natural quanto respirar, pra você, lógico? Seres humanos não conspiram o tempo todo, creio eu. O que difere um ato conspiratório do simples embate social, este sim, inerente à condição humana, é a clareza de objetivos, a transparência e amplitude do discurso aglutinador e lealdade entre todos aqueles que o defendem, entre seus pares ou os que acreditam sê-lo. Conspirar, por exemplo não é organizar doze apóstolos pra se opor ao poder instituído. Seria conspiração se só eles soubessem os objetivos e ferissem assim, a confiança de seu séquito. Conspirar é agir de forma elitista e sobretudo, exclusivista. Por outro lado, é ingênua (ou seria propositalmente ingênua?) cobrar oficialidade da parte de quem levanta uma lebre. Bandido não passa recibo, sabia? Negar o valor desta discussão me parece mais suspeito e arrogante do que tentar abordá-la. Até porque o fato de querer naturalizar a atitude conspiratória e a desconfiança generalizada não contribui pra entender nada, e leva a legitimação do comportamento conspiratório (da traição), algo suspeito pra mim. Melhor tentar definir seus conceitos e ser menos leviano. Antes que tenhamos nojo também.
Alessandro Max em 01 de março de 2013 às 23:30:40»
Um bom livro que li foi "O Poder Secreto" de Armindo de Abreu . No Entanto, deve-se ler com muito discernimento.

http://www.armindoabreu.ecn.br/
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 23:04:05»
Ah sim! Quando falei que era necessário ter senso de ridículo, não era uma farpa pra você, se é que entendeu assim. Disse que era necessário ter senso de ridículo pra não se levantar teorias esdrúxulas como a do Iguana, ops! Obama.

Isto vem antes de duvidar dos fatos ou das teorias.
Kong Lei em 01 de março de 2013 às 22:59:38»
Quem leu o livro Hitler ganhou a guerra, sabe que é bom, porém não é tanto, um leitor mais critico nota que o autor juntou um monte de peças de quebra cabeças diferentes e foi juntando convenientemente para criar uma boa trama para envolver o leitor menos cético. O próprio autor mostra retidão ao dizer que são apenas teorias, ele não pode provar nada, mas como tem um pouco de credibilidade (não sei se um técnico do BC argentino merece isso) foi adotado pelos conspiracionistas da nom.
Alessandro Max em 01 de março de 2013 às 22:59:08»
Muito bem, tocou no assunto mais controverso e complicado deste mundo de maneira tão fétida que me deu nojo.
Primeiramente digo que amo este site, mas quanto ao cunho deste post (que promete ser seguido de outros) tenho algo importante a lhes dizer: ‘O leviano que se abstenha’.
O que dizer da natureza humana? Se não são conspiracionistas natos, sempre pensando em como tirar proveito das situações, na visa social sempre estão propagando ideias, mudando opiniões, tantos interesses obscuros, em pequenas e grandes empresas, na ciência, na religião, NA ECONOMIA. Enfim, um bom observador e entendedor da psique humana sabe acima de tudo desta malicia que ascende da mente mais simples a mais complexa, dos níveis mais baixos aos mais elevado de organização, é da natureza humana conspirar.
Ademais, compreendo os motivos desta revolta. É tanta “nóia conspiracionista” que encontro por ai que me preocupo com quem as le. São poucos os que tem refinamento em escrever sobre conspiração, pois convenhamos, há muita insegurança no tema. Queres provas, não pode encontra-las se não pela comunhão correta das evidencias, tão esparsas, peças soltas de um quebra cabeça tão confuso que já desisti de tentar montar.
“Onde há fumaça, há fogo”, mas qual seria a natureza deste fogo? Tenho um grande respeito a muitos estudiosos eruditos que com afinco tentam descobrir, dando a cara a bater, caminham em um campo minado. Não é uma área fácil. Costumo dizer que não há becos sem saídas no conspiracionismo, mas sim dicotomias, tantas dicotomias que formam uma arvore de possibilidades, e é preciso muito conhecimento multidisciplinar ao lidar com isso. E é bem ai que reside o maior problema, como interpretar resultados tão complexos? A insegurança domina, e nada da oficialidade as informações (alias, o que da oficialidade as informações, o núcleo midiático da ciência?). Seria lúdico demais pensar que uma mente muito inteligente estaria jogando com esses pobres tolos e rindo de toda esta desinformação?
Em suma, não gosto de quem fala com tanta certeza sobre o assunto. Depois de longos anos estudando, me sinto extremamente inseguro em falar a respeito, aprendi que realmente ha mais coisas entre “os céus e as terras” do que pode supôs a nossa vã filosofia.
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 22:58:22»
Joy Riviolli, valeu pela nova referência. É sempre bom poder adquiri-las. Vou procurar pra ler.
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 22:55:04»
Admin, obrigado pelo esclarecimento. Contudo, pedindo licença pra polemizar, o mais confuso no texto está na própria definição de conspiração. Acredito em conspiração, quando se fala, por exemplo, de um sistema policial no Estado de São Paulo em que, a PM e o PCC vivem uma relação simbiótica e que há toda uma estratégia e um conjunto de atitudes deliberadas para impedir qualquer forma de resistência, cooptando amplamente todos os setores representativos e centralizando suas atuações em mão comprometidas com este SISTEMA, a saber: a mídia, as instituições educacionais, grupos de representação pelos encarcerados, ONGs, igrejas, o judiciário, os poderes públicos em geral e, logicamente a própria máquina do Estado. Tá tudo dominado! Pra mim é um bom exemplo de teoria conspiratória a qual infelizmente, não consigo me esquivar, dadas as circunstâncias em que se encontra o poder do crime. Outra coisa seria eu atribuir isto ao fato do Alckmin ser maçom (o que é verdade) anunnaki (aí eu já não sei, kkk), judeu, etc. e que isto seria a prova de que somos governados por extraterrestres. Li e reli seu texto com muita atenção, porque o motivo de eu acompanhar este post é a sensatez e a coerência com que se apresentam as ideias. Mas, esta diferenciação não ficou muito clara. Senti-me no mesmo nível que os doidões abdusíveis. Aliás caiu um objeto ontem à noite aqui na região. Não chegou a tocar o chão, mas deixou um rastro lindo de luz fumaça no céu (isto é verdade). Ai, como eu desejei, como eu desejei.... (deixa pra lá! Tá vendo o que você me fez!) kkkkkk. Mais que caiu, caiu.
avatar
Redação em 01 de março de 2013 às 19:00:19»
Edgar, em momento algum digo que questionar e inclusive propor e aventurar suposições sobre um determinado assunto enviesado seja errado. Muito pelo contrário. Fazemos todos isso o tempo todo. O caso é que algumas teorias conpiranoicas, *neste caso específico* o da nova ordem mundial, querem incutir, mais do que propor, questões retóricas ridículas. Misturam algumas pequenas verdades comprometedoras (freadas de bicicleta) com histórias ou mentiras homéricas. Dan Brown fez muito mal ao mundo.

Ás vezes escrevo na velocidade do que penso e algumas coisas podem ficar meio confusas, mas a frase que você destaca merece outro significado se for lida desde "Poderíamos pensar que o problema está..." até "...os conspiradores criam o seu Dr. Destino." COm isso quis dizer que existem várias possibilidades de questionamento e, por conseguinte, de conspiração válida, inclusive o da própria maldade do ser humano, mas os conspiradores em geral inclinam na direção de um vilão. O reducionismo só existiu no sua interpretação do isolamento da frase ou na forma possivelmente confusa que tenha me expressado.

No mais, como disse, cada uma acredita naquilo que lhe faz bem.
Jhoy Riviolli em 01 de março de 2013 às 18:55:23»
Já leram o livro Hitler ganhou a guerra do argentino Walter Graziano?

O Livro trata sobre esse tema com fontes clareza, e não foi escrito por um leito no currículo do autor podemos ressaltar:
- Ele se formou na Universidade de Buenos Aires e estudou pós-graduação em Nápoles e em Washington DC , uma concessão do Ministério das Relações Exteriores italiano e do Fundo Monetário Internacional , respectivamente.
Até 1988 ele foi Diretor Técnico do Banco Central do país.
É um livro muito esclarecedor e trás fontes sobre cada assunto e fala com provas contundentes sobre o que muitos chamam de teorias da conspiração
Teletubbies em 01 de março de 2013 às 17:57:47»
Edgar Rocha, não fui eu qeu comecei, não fui eu que comecei!
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 17:47:10»
Teletubbies? Sei. Se não que discutyr, por que está aqui?
Headbanger em 01 de março de 2013 às 17:39:46»
Só digo uma coisa: onde há fumaça, há fogo!

E assino embaixo o comentário do Edgar Rocha.

Abraço e bom findi!
Teletubbies em 01 de março de 2013 às 17:00:18»
Lá vamos nós galerinha!!
Iupiiiiii
Eu trouxe a pipoca.
Ebaaa!!
avatar
Elbereth em 01 de março de 2013 às 16:49:31»
Sinceramente? O texto ficou confuso.
Edgar Rocha em 01 de março de 2013 às 16:44:42»
Muito mais do que duvidar, é preciso ter equilíbrio nas afirmações e um pouco de senso de ridículo. Duvidar de toda teoria, simplesmente porque supõe um sistema com objetivos claros, também não leva a nada. As razões para teorias conspiranoicas terem tanto sucesso é, em primeira instância, isto mesmo: fazem sucesso. Vendem, entretêm e desviam a percepção da realidade. Mas, há uma diferença entre descrever sistemas e organizações e supor teorias esdrúxulas. Mesmo este site tem ganhado muita audiência aventando possibilidades de obscurantismo institucional. Seria isto, exploração das teorias de conspiração? Creio que não. O que dizer do caso dos supostos "suicídios" de algumas mentes brilhantes do mundo virtual? Razões para duvidar de coincidências existem, não? Quem estaria por trás destas mortes? Por que não se investiga a fundo? O que dizer da saída do atual Papa, com tantas evidências de relações escusas no interior da organização religiosa mais poderosa do planeta? Seria conspiração pensar em certas possibilidades? Minha grande discordância neste post advém do reducionismo em direção ao isolamento factual e descontextualização de certos eventos: "Mas na negativa ante a ideia de que o homem pode ser malvado por natureza, os conspiradores criam o seu Dr. Destino". Também aí, já é demais.
Pra terminar, a simples apresentação de um post observando, por exemplo, que a maioria da produção industrializada se encontra nas mãos de uns poucos grupos empresarias; ou que boa parte do PIB americano tem sido sustentado com dinheiro dos narcos latinoamericanos em lavagem de dinheiro nas instituições financeiras daquele país, nos conduz à suposição de um conceito consagrado de interpretação: o da existência de máfias e de uma rede de relações político-econômicas com efeitos colaterais terríveis para a maioria e difíceis de serem compreendidos. Seríamos todos conspiranoicos?
avatar
LukeSchimmel em 01 de março de 2013 às 16:26:08»
Por que tantas cuecas?
avatar
Politico Honesto em 01 de março de 2013 às 16:01:14»
Menos, Pulguento. Já bastam os trocadilhos escatológicos do texto. fool
avatar
Moonwalker em 01 de março de 2013 às 15:47:58»
Nesse caso seria "Lavamos", PH... Afinal, estamos falando de cuecas... mrgreen
avatar
Politico Honesto em 01 de março de 2013 às 15:46:43»
Lá vamos nós.
avatar
Confortably Numb em 01 de março de 2013 às 15:33:51»
Só uso cuecas pra ir trabalhar.... lol
avatar
Moonwalker em 01 de março de 2013 às 15:20:29»
(depois de ler meu comentário, percebi que essa história das cuecas o deixou um pouco confuso... mrgreen )
avatar
Moonwalker em 01 de março de 2013 às 15:18:21»
A questão das cuecas, Luisão, é que cada um gosta de uma marca ou um modelo específico.
Por exemplo, eu gosto das boxer. Já experimentei várias marcas e modelos, e para mim estas são as melhores.
No caso da crença é a mesma coisa: Eu só escolho acreditar naquelas que se moldam ao que eu prefiro pensar, seja em sentido político, alimentício, religioso. O que para mim é verdade, para você às vezes não é.
O problema é que certas pessoas querem tirar a cueca e esfregar na nossa cara. Então pra mim a raiz do problema não é o que pensamos, e sim como exteriorizamos isso.
avatar
Moonwalker em 01 de março de 2013 às 15:10:29»
cool cool cool