Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
Luiz Felipe em 10 de março de 2014 às 23:12:21»
Verdadeiro perigo de cães? o dono.
Wald em 10 de março de 2014 às 15:19:41»
Tem gente boa e gente ruim, nao tem como definir a raça humana como boa ou ruim. Isso serve para os caes
Raven em 10 de março de 2014 às 10:55:25»
Eu possuo dois cães extremamente dóceis, com crianças principalmente, mas de forma alguma os deixaria só com uma criança, principalmente o boxer, (conhecido como cão babá), o meu com certeza jamais atacaria uma criança, mas ainda não entendeu que ele é extremamente forte e pesado, da mesma forma que ele brinca comigo ele brincaria com uma criança pequena e as consequências de um bichão desse, (o meu apesar de ser puro, é acima do tamanho para raça), pulando para lamber uma pessoa que não tenha uma força e equilibro necessário, pode não terminar nada bem.
E também, certo dia fez um teste com os meus dois cães, me fingir de desacorda: o labrador latiu muito e me lambeu tentando me acordar, já o boxer ficou mais nervoso tentando me acordar cavando minhas costas, o que pode machucar muito uma criança. Portanto é muito lindo uma criança com uma cão, mas até os mais dóceis nunca devem ficar com crianças sem a supervisão de uma pessoa adulta.
avatar
Confortably Numb em 10 de março de 2014 às 09:58:38»
Não confio em estudos deste tipo.
Concordo com 90% do comentário do Haiduqque. Se eu quero presentear um filho meu com um companheiro, com certeza não escolherei um pittbull pra ele. E em se tratando de crianças, acho melhor evitar. As vezes animais atacam por reflexo quando cutucados, importunados ou por outras coisas. E crianças pensam num animal como um brinquedo como outro qualquer. Se for um chihuahua uma brincadeira pode ser engraçada, se for um rottweiler o estrago pode ser pra vida toda.
avatar
Elbereth em 10 de março de 2014 às 09:35:17»
Ao mesmo tempo em que sei de cachorros de raças "agressivas" que eram um amor, eu morro de medo desses animais.

Afinal de contas... são animais. Se por acaso forem ameaçados, a reação de animais "criados" pra luta é atacar.

Sei de um menino que teve o rosto desfigurado porque, ao pular a janela do quarto pra fugir de um castigo, caiu em cima do cachorro que dormia embaixo da janela dele (e fazia isso justamente porque tinha instinto protetor com o menino). Reação do cachorro ao ser acordado com alguma coisa pesada caindo em cima dele? Atacar...

Fora que cachorros menores, e mesmo de raças grandes que não tem a mandíbula tão desenvolvida, quando atacam não fazem um estrago tão grande, ne?
Caroline em 09 de março de 2014 às 18:00:23»
Primeiramente afirmo: o cão é o espelho de seu dono, se esse cão tem mandíbulas fortes e orelhas cortadas, isso não o definirá como um ser vivo perigoso se não pelo incentivo/adestramento. Um cão não é racional o bastante para escolher ser agressivo e matar ou machucar outros seres vivos. Se você puxar as orelhas de um dócil e pequeno yorkshire receberá a mesma mordida que voce receberia puchando as orelhas de qualquer outra raça. Animais atacam com dois objetivos: por defesa ou porque foi ensinado a agir assim diante de alguma situação.
Se alguém é atacado por um animal, tem que dar uma martelada na cabeça do dono dele (caro Eduz), óbvio há de se tomar medidas para evitar contado com este animal (já que foi criado para agredir), porém o matando não acabará com o problema, já que o dono retardado e agressivo continua vivo!
avatar
Angelina em 08 de março de 2014 às 20:12:38»
V eek
Enfim, também sou da opinião de que mesmo que a criação do cão seja conhecida há muito tempo, deve se tomar cuidado, aliás, com qualquer animal, principalmente quando perto de crianças. Talvez eu pense isso porque nunca fui muito próxima de nenhum bichinho...
Eduz em 08 de março de 2014 às 13:40:53»
Tenho um vira-lata que foi atacado por um pitbull do meu vizinho. Quando meu vira-lata se aproximou da grade que o pitbull tava ele o mordeu. Neste mesma grade atraí o pitbull com uma salsicha, quando o bicho veio puchei um martelo e trinquei a cuca do filha da puta com uma martelada, ele caiu durinho. Esse nao encomoda mais.
avatar
PadreTorque em 08 de março de 2014 às 12:56:13»
Cãõ bravo é cão bravo e pronto !!!!
Não interessa se é um Pit Bull ou um Coker...
Conheço um Pit Bull que é uma bichona e conheço um Coker que é um leão...!!!
Não é questão de raça, acho. É questão de cuidar que qualquer animal é irracional e pode morder, assim, do nada....
:-/
avatar
Haiduqque em 08 de março de 2014 às 00:33:07»
Estudo demagógico e com agenda a defender o lobby dos criadores de raças potencialmente perigosas.
Uma raça que foi apurada com caraterísticas de ataque, como o rottweiler ou pitbull, não é usada para companhia, assim como raças apuradas para a caça não são as mais indicadas para guiar cegos.
Tal como as orelhas grandes e levantadas indicam que uma raça foi desenvolvida para ser bom guarda, as mandíbulas extra-fortes de um cão de raça atacante não deixam dúvidas: são para atacar!
Havendo centenas de raças por onde escolher, quem escolhe ter um Rottweiler tem um objetivo: deseja se sentir seguro em um meio hostil.
O estudo referido no post parece sugerir que, se um pitbull for educado para ser um dócil e meigo golden retriever, ele será um cão tão ou mais dócil que esta raça.
Acho isso um atentado à inteligência alheia. Se uma pessoa comum for na rua e um "golden retriever" ou chihuahua vier correndo na sua direção, ela provavelmente não sentirá medo algum. Se for um pitbull, ela gelará de medo. Sabe que não deve confiar no afeto de uma raça que foi desenvolvida para não ser sensível à dor.
Uma raça potencialmente perigosa é sempre escolhida por pessoas potencialmente perigosas ou inseguras, tal como quem escolhe um yorkshire terrier não deseja proteger-se de bandidos nem ir à caça de raposas.
Não vejo razão para não se assumir que a escolha de um cão para fazer parte da família nem sempre é feita a pensar na sua cor, tamanho ou estética. A sua função também é determinante.
avatar
Dessabelle em 07 de março de 2014 às 23:26:10»
Acho que uma criança não deve ficar sozinha com um pet, independente do tamanho, porque quando não é pet que dá uns deixa disso na criança, é a criança que faz isso com o pet, sabe que pra criança tudo é brinquedo e nada além dela sente dor, mas acho que, com acompanhamento de um adulto, uma criança deve ter um bichinho por perto, esse pode ser o primeiro grande amigo de uma criança, e ajuda a prender a ter amor pela natureza.
†Mr_Prince† em 07 de março de 2014 às 23:17:49»
Deixaria de acordo com o dono(a).Se a pessoa tem problemas,o cachorro também tem.
Celio em 07 de março de 2014 às 21:37:18»
Minha vizinha sempre dizia que os cães só iriam agredir pessoas sem caráter e ria de mim quando seu grande São Bernardo latia para mim.
Como língua não tem osso, certo dia esse mesmo cão mordeu o rosto de seu filho deixando cicatrizes que jamais irão desaparecer. Aí ela o matou.
Sei de inúmeros casos onde cães, grandes amigos, massacraram e até mataram seus donos ou seus filhos.
Quando alguém lhes disser que animal só mata para saciar a fome,é mentira. Nunca acreditem nisso.
Com animais, todo o cuidado é pouco. Sabe-se até de golfinhos que atacaram pessoas e as mataram.
Lembrem-se que os animais, mesmo os mais inteligentes, são irracionais.
Elson Antonio Gomes em 07 de março de 2014 às 21:01:45»
Um cachorro potencialmente perigoso ou não que não conheço sua criação, com certeza não deixaria. Mas com um cachorro mesmo sendo potencialmente perigoso criado por mim, sem problema nenhum. Garanto que ele vai ser mais seguro que um ser humano.
De quebra deixo um filme que conta uma história feita em cima de fatos reais que tem a ver com está postagem. Creio eu. Mas aviso, a história é até aturável, mas os atores são péssimos. Peço até desculpas, mas é uma sugestão. Talvez alguém goste.
https://www.youtube.com/watch?v=Qmv7ZsHiupk