Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
Bele Natal em 17 de fevereiro de 2015 às 17:14:31»
Pra quem assistiu american horror history nessa ultima temporada, fora claro as bizarrices normais da serie, viram um pouco da depressao do que é ser considerado freak
Moonwalker (sem logar) em 04 de janeiro de 2015 às 16:59:54»
O circo nunca me pareceu um lugar de alegria... Como diz aquele texto do Adolar Gangorra, aqui do MDIG mesmo: o palhaço espirra água na cara dos outros, faz rir e tal, mas depois vai chorar no camarim.
Mas temos que admitir: as pessoas em geral tem lá um fascínio pelo bizarro, principalmente quando envolve outras pessoas.
Neoraptor em 03 de janeiro de 2015 às 09:41:48»
Freaks, de Tod Browning, 1932. Se não me engano conheci esse filme pelo MDIG e desde então sou fã deste. Além de Schlitzie Surtees(homem que fora vestido de mulher intencionalmente no filme para estimular a mente do público) também traz Prince Randian o Torso Humano e a habilidade desde último ao abrir uma caixa de fósforos e acender o cigarro sozinho me deixou pasmo! Num texto perdido aí pela web me recordo de ter lido também que ele [Pince Randian] foi pai de uma quantia considerável de filhos. Mas a cena mais estarrecedora foi a cena final envolvendo a trapezista.
zé rosquinha em 03 de janeiro de 2015 às 08:30:05»
Eitxa porr@,n sei se vou conseguir ter dó ou dormir.
avatar
cacafilho em 03 de janeiro de 2015 às 03:43:29»
o homem leão era igualzinho o chewbacca!
avatar
100Nossao em 02 de janeiro de 2015 às 23:36:31»
Padre, Pip e Flip eram gêmeos. Havia um estranho costume de vestir homens que sofriam de microcefalia como mulher. Schlitzie Surtees foi o mais famoso caso.
Edgar Rocha em 02 de janeiro de 2015 às 23:24:09»
Obrigado pela informação, Joa. De fato, dado o sofrimento o qual foram submetidos, tanto o físico quanto o psicológico, é bem provável que muitos pudessem ter desvios sérios de personalidade. Isto sim, é triste e me causa pena. E absolutamente verossímil. Não vi por este lado.
Joa em 02 de janeiro de 2015 às 23:09:33»
vale lembrar que o Grady Franklin Stiles Jr era uma assassino e abusava constantemente da própria familia
avatar
PadreTorque em 02 de janeiro de 2015 às 22:19:33»
Pip e Flip eram OS gêmeos ou AS gêmeas...???
:-/
Mas o restp...
Jesus Amado...
Não sei se provoca meio que pena, medo...
Sei lá...
:-/
Edgar Rocha em 02 de janeiro de 2015 às 21:26:56»
Vou ser sincero e dizer o que senti. Claro, um sentimento de compaixão e pesar por saberem que pessoas que saem da "normalidade" - ainda hoje - sofrem e tem pouquíssimas escolhas. Também fiquei feliz por entender que, apesar de tudo as coisas melhoraram um pouco. Mas, o que mais me deixou desconcertado foi um sentimento enorme de curiosidade e encantamento. Não sei se é o mais correto. Mas, não senti repulsa, nem medo, nem horror. Adoraria, sinceramente ter conhecido estas pessoas. São realmente fantásticos. E imagino a experiência de vida que cada um tem a oferecer. Já pensou? Quanto tiveram que se superar, se adaptar... Quanta força interna pra suportar as humilhações, pra colocar-se acima disto e seguir vivendo. Francamente, isto é lindo. No mais, morro de inveja de quem tem hipertricose. Acho o máximo o visual. Se eu tivesse, me divertiria muito. Ou abriria um 'banho e tosa". Seria o melhor garoto propaganda.
Tere em 02 de janeiro de 2015 às 19:44:38»
Que dó! É de cortar o coração.
L!$@ em 02 de janeiro de 2015 às 19:30:32»
Não sei o que é pior, viver assim sendo explorado, ou não ter onde morar... Veja bem já havia lido sobre este Barnum por causa da nova temporada de American Horror Story: Freak Show, e este homem ao menos deu um lugar onde essas pessoas morarem, claro que isso não é vida para ninguém mas nesta época infelizmente pessoas assim tinham uma vida de cão, era desumano, se eles não participassem disso não tinham como viver pois não davam trabalhos, não eram inclusos na sociedade, não tinham casas pois ninguém alugava, enfim, o minimo para uma vida, creio que era a sua unica escapatória para ter um "trabalho" se é que pode ser chamado assim, e um lugar para morar, vergonha mas a verdade... E também se tornavam amigos, pois nesta época as pessoas "normais" tinham medo, pavor e horror por pessoas com deficiências, por isso o nome: Show de horror. Então eles viviam entre sí com amizade, pois se conheciam, e viviam dentro do circo onde era sua casa, sua pequena sociedade e ganhavam ao menos o que comer, fazer o que uma realidade triste. Assisti também Carnivale, ótima série que aborda este assunto.