Faça o seu comentário

:

:







Comentários

Luiz Moraes em 08 de setembro de 2015 às 00:11:53»
Já fui surfista de trem no Rio de Janeiro. Ia e voltava todo dia do trabalho (e principalmente ir à praia) no teto da composição. Até ser preso fazendo isso. Não me orgulho mas também não me arrependo, o que fizemos está feito e pronto. Como disse a Mariah, na juventude a gente não tem medo de nada. Detalhe: de Duque de Caxias a São Cristovão dão 45 minutos, ida e volta eu surfava 90 minutos por dia, durante meses. Rsrsrs, tenho muitas horas de surf ferroviário.
avatar
PadreTorque em 31 de agosto de 2015 às 15:56:23»
Muito show !!!!
Poderia ter sido mais um vídeo de maluquices qualquer, mas o cara fez uma sequência, botou uma música legal e montou tudo direitinho...!
Muito bommm !
smile
avatar
Marya em 31 de agosto de 2015 às 11:20:38»
Ah a juventude... a época da vida em que não existe a palavra 'medo', 'juízo' e 'proibido', em nosso vocabulário.
avatar
Marya em 31 de agosto de 2015 às 11:19:02»
Isso me fez recordar os meus tempos de juventude, quando eu voltava da faculdade tarde da noite com o carro do meu irmão, e dava 120 quilômetros na decida da avenida que estava deserta àquela hora da noite... O vento fresco da madrugada batia em meu rosto e fazia-me sentir livre como um pássaro!...
Ah! Como eram quase bons aqueles tempos...
avatar
Marya em 31 de agosto de 2015 às 11:12:28»
Pular a catraca?!
Depende da nossa idade... se estivermos naquela idade que a artrose, a artrite, o rematismo e o nervo ciático nos amam incondicionalmente, aí acho meio difícil ( senão impossível ) de pular a catraca; masss, aqui no Brasil sempre se encontrará uma maneira criativa para fazê-lo.