Faça o seu comentário

:

:







Comentários

avatar
headbanger em 01 de junho de 2018 às 09:28:09»
Eu acho que pagar diretamente em dinheiro não é uma boa prática.

Quando eu tiver filhos, pretendo usar um sistema de pontuação e reputação:

- Para cada coisa bem feita (inclusive boas notas) eles vão adquirindo uma pontuação. Essa pontuação pode ser trocada por passeios que eles queiram fazer, ajuda de custo para comprar um brinquedo ou jogo, e até mesmo convertido em moeda se desejado.

- Mas aliado a isso há o sistema de reputação. Quanto mais próximo do nível "exemplar", mais valiosos serão os seus pontos, e eles poderão fazer mais coisas com eles.

- Então se a criança quer um videogame, e tem pontuação suficiente para 30% do valor, estando na categoria exemplar pode ganhar como benefício que os pais completem o valor.

- Porém se a criança está no nível "bom", não tem merecimento para este bônus, e vai ter que juntar pelo menos 50% em pontuação e ainda ficará devendo 50% (valor que pode ser reduzido se a criança avançar para o nível seguinte.

- Também estando em uma reputação mais alta, a criança ganha direito a mais tempo de videogame/computador/televisão e pode negociar quais tarefas quer fazer (se não gosta de lavar a louça, pode trocar por outra). Ao passo que quanto mais baixa a reputação, menos horas tem de diversão eletrônica, e tem que fazer as tarefas que receber (sem negociação) e ainda ganhar tarefas extras com pontuação zero como castigo.

- Em caso de mau comportamento, serão dados 3 advertências, na terceira será penalizada com o corte de 50% de sua pontuação e será rebaixada para o nível abaixo na tabela de reputação. Podendo reaver 25% dessa pontuação caso suba de categoria novamente em 2 semanas.

É mais ou menos como um jogo. Ainda tenho alguns anos para aprimorar a fórmula, mas o básico é: a própria criança escolhe se vai se ralar ou se dar bem. Todas as fórmulas e pontuações ficarão no corredor dos quartos para total transparência.
Paula Dentro em 31 de maio de 2018 às 19:36:33»
Cara, "obrigação" é obrigação! Tem que fazer e pronto (arrumar a cama, tirar a louça da mesa (ou lavar se for maiorzinho), cuidar do bicho de estimação, fazer o dever de casa, e etc...)
Mas e outras coisas? Ajudar o pai a lavar o carro, ajudar o irmão mais novo com o dever de casa, limpar a arrumar o quarto dos pais, aí blz, combina um valorzinho e conversa pros moleques saberem diferenciar obrigação com "bicos"!
avatar
PadreTorque em 31 de maio de 2018 às 13:03:00»
É isso aí !!!
Não é mercenário, pra ficar cobrando por obrigações.
Alguns até são...
:-/